Descrição de chapéu Coronavírus

Casal abre restaurante com uma única mesa na Suécia para respeitar isolamento

Sem garçons, cliente recebe refeições ao ar livre por meio de um sistema de cordas

Ransater | Reuters

Desde o começo da pandemia de coronavírus, o governo da Suécia adotou uma abordagem mais permissiva para a população, contrariando a tendência global de isolamento ao manter bares, lojas e restaurantes abertos.

Um novo restaurante em Ransater, no centro-oeste da Suécia, promete, entretanto, lutar contra o coronavírus: com um cliente de cada vez.

O Bord for En (mesa para um) tem, literalmente, apenas uma mesa e uma cadeira ao ar livre. Não há garçons, e a comida é servida em uma cesta que vai da janela da cozinha até o cliente por meio de um sistema de cordas.

Restaurante Bord for En, com mesa para um único cliente, na Suécia
Restaurante Bord for En, com mesa para um único cliente, na Suécia - Linda Karlsoon - 26.mar.20/Reuters

Na chegada, o cliente é guiado até a mesa por meio de outra corda que o leva ao prado. "Quando a corda termina, temos a cadeira e a mesa", diz o chef Rasmus Persson, acrescentando que a primeira cesta a chegar à mesa leva uma bebida.

Persson, que fundou o restaurante com sua parceira, Linda Karlsson, disse que eles tiveram a ideia quando os pais dela vieram visitá-los em março. Na ocasião, ele preparou uma mesa para os sogros do lado de fora e serviu uma refeição pela janela.

"Acho que uma das coisas que muitos de nós mais sentimos falta atualmente é viajar", disse Persson. "Como não podemos viajar geograficamente para longe, acho que pelo menos podemos viajar por nossas mentes, e acho que um dos melhores métodos de fazer essa viagem interior é por meio da comida e da natureza."

O restaurante exclusivo está com as reservas preenchidas até o fim de maio, mas há datas disponíveis para junho e julho.

O casal afirma que, em caso de chuva, o restaurante também oferece proteção.

A Suécia ocupa a última posição em um "ranking de preparo para deixar a quarentena" elaborado pela Escola de Governo Blavatnik, da Universidade de Oxford.

Em uma escala de 0 a 10, o país obteve nota 4, assim como a Alemanha. O país de Angela Merkel é forte na disciplina da população e no controle de casos importados, mas ainda tem um número significativo de novos casos e não completou o sistema de rastreamento de contatos.

O levantamento de Oxford concluiu que, para 33 dos 36 países europeus analisados, sair do confinamento é bem mais difícil que entrar.

Até esta segunda-feira (11), a Suécia havia registrado mais de 26 mil casos e 3.225 mortes por Covid-19, de acordo com dados apurados pela universidade americana Johns Hopkins.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.