Descrição de chapéu Diário de Confinamento

Diário de confinamento: 'San Isidro com flores e máscaras'

Há 5 dias, manifestantes tomam as ruas de Madri para protestar contra a gestão da crise

Susana Bragatto
Barcelona

Dia #63 – Sexta, 15 de maio. Cena: as rosquinhas típicas de São Isidro datam do século 18 e eram de dois tipos, chamados “tonta” e “lista” (espertinha).

Hoje é dia de São Isidro, padroeiro de Madri.

As Fiestas de San Isidro são uma das celebrações espanholistas mais queridas dos madrilenhos —e uma das mais antigas, sendo os primeiros registros anteriores ao século 16.

É tradição subir ao bairro homônimo, beber água da fonte ao lado da capela em homenagem ao santo e fazer piquenique na colina chamada Pradera, entre muita dança, comida e roupas típicas. O costume foi imortalizado em inúmeras obras de arte, como "La Pradera de San Isidro" (1788), de Goya.

O escritor peruano Mario Vargas Llosa usa máscara para discursar em frente à prefeitura de Madri na abertura da comemoração do dia de São Isidro - Emilio Naranjo - 15.mai.20/AFP

Neste ano, não deu pra celebrar "a lo grande", como se diz por aqui. Mas os resistentes saíram de casa pra manter um pouquinho da tradição. Idosos, crianças e até imigrantes deram o ar da graça na Pradera vestindo seus trajes de "chulapos" —homens de colete cinza, boina e cravo na lapela, mulheres com vestidos longos, xale e flor no cabelo. Elegantes, com uma novidade: máscaras. Tudo sob a atenta vigilância de policiais.

Madri ainda se encontra na primeira de quatro etapas de desconfinamento. Além das medidas de distanciamento social, a atividade econômica nessa etapa é restrita e as reuniões sociais estão proibidas.

Nesta sexta, o governo central anuncia quem avança no processo de desescalada no país a partir da segunda-feira que vem. A decisão é tomada pelo conselho de ministros após extensa análise dos dados epidemiológicos e sociais enviados por todas as comunidades autônomas.

O clima com Madri está cada vez mais tenso. Há cinco dias, manifestantes tomam as ruas todo fim de tarde para protestar contra a gestão da crise e pedir a demissão do premiê Pedro Sánchez e equipe.

Nesta quinta (14), porém, eles se depararam com mais efetivos policiais nas ruas. O objetivo: garantir o cumprimento das normas de distanciamento social.

A governadora de Madri, Isabel Díaz Ayuso, afiliada ao principal partido da oposição no Congresso, o Partido Popular (PP), apóia publicamente os protestos. Em sessão no plenário nesta quinta, declarou inclusive que o que está acontecendo "vai ser uma piada" quando as pessoas de fato sairem em massa às ruas.

A celebração 2020 de San Isidro em Madri teve casais de idosos de máscara e outfit de “chulapos” bailando o “chotis” a distância, sem se tocar; muitas flores, não sei se de papel crepom ou verdadeiras, porque onde cazzo numa urbe em plena pandemia se encontram tantas abundantes flores verdadeiras?; varandas decoradas, mulheres vestidas de flamenca fazendo olé olé, “lives” da população celebrando em casa, preparando as rosquinhas glaceadas típicas e fazendo piquenique na sala.

Na tevê, um “chulapito” mirim me chama a atenção. De coletinho cinza e boina, parecendo um personagem de outros tempos, risca o asfalto de uma rua de San Isidro com seu patinete, enquanto é observado de longe por um punhado de policiais.

“Músicas para Quarentenas” podem ser escutadas aqui.

DIÁRIO DE CONFINAMENTO

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.