Descrição de chapéu Coronavírus

Espanhóis saem às ruas pela 1ª vez para se exercitar após 49 dias de confinamento

Corredores, ciclistas, skatistas e surfistas foram vistos nas ruas de Madri e nas praias de Barcelona

Madri | AFP e Reuters

Os espanhóis saíram neste sábado (2) para passear ou praticar atividades físicas pela primeira vez após 49 dias confinados em suas casas.

Assim, corredores, ciclistas e surfistas de todo o país saíram às pressas para se exercitar ao ar livre. Em Madri, próximo ao parque do Retiro, que segue fechado, muitas pessoas corriam, às vezes em grupos.

Também na capital espanhola, ciclistas e skatistas percorriam as amplas avenidas da cidade. A praia de Barcelona estava cheia de corredores, enquanto surfistas e praticantes de remo curtiam as ondas.

"Aqui no calçadão da praia há tantas pessoas quanto em um dia de verão", disse uma assessora da capital catalã, que informou apenas o primeiro nome, Samara.

A Espanha planejou um desconfinamento por fases, que começa agora e vai até o final de junho. Em outros países europeus, como Itália, França e Alemanha, os governos também suavizam pouco a pouco as medidas de restrição, sempre a depender da evolução dos números de infecções e mortes.

Atingida por um dos piores surtos da Covid-19 no mundo, a Espanha impôs um bloqueio rigoroso em março, confinando a maioria da população em suas casas, exceto para saídas consideradas essenciais. Esportes e caminhadas recreativas foram proibidos.

Até agora, os espanhóis podiam sair de casa apenas para trabalhar —nos casos em que o esquema de "home office" não fosse possível—, para comprar comida e medicamentos, ir ao médico ou para curtos passeios com animais de estimação.


Faixas de horário 
do alívio espanhol

6h às 10h e 20h às 23h
Pessoas com 14 anos ou mais

10h às 12h e 19h às 20h
Maiores de 70 anos ou pessoas que precisam da ajuda de cuidadores

12h às 19h
Menores de 14 anos (máximo de 3 e sempre com um adulto)

6h às 10h e 20h às 23h
Atividades físicas não profissionais


O panorama muda a partir deste sábado, ainda que seja preciso respeitar faixas de horários para evitar aglomerações e que crianças e idosos tenham de ser mantidos a distância, uma vez que não podem circular no mesmo horário.

A tarde está reservada para os menores de 14 anos, que podem sair de casa junto com um adulto. No fim de semana passado, eles já haviam recebido autorização para ir às ruas durante uma hora por dia.

À medida que a taxa de infecção diminui e os hospitais se recuperam, o governo de Sánchez mudou seu foco para reabrir o país de forma progressiva e reviver uma economia bastante prejudicada.

O bloqueio atingiu a economia, e o governo espera que o PIB do país contraia 9,2% em 2020.

O chefe de emergência sanitária Fernando Simon disse que os parques espanhóis serão abertos "na hora certa". Em entrevista coletiva em Madri, ele acrescentou que a ideia por trás das mais recentes medidas de alívio era que as pessoas se exercitassem, e não que socializem em grupos.

O primeiro-ministro Pedro Sánchez reforçou o pedido para que os cidadãos sigam as orientações sobre distanciamento social. "Hoje damos um novo passo nas medidas para o desconfinamento, mas devemos fazê-lo com prudência e responsabilidade. O vírus ainda está aí", publicou no Twitter.

Também neste sábado, o premiê anunciou a aprovação de um fundo de reconstrução de 16 bilhões de euros (R$ 97,41 bilhões) para ajudar comunidades regionais a lidar com os impactos sociais e econômicos do coronavírus.

Empresas que operam com hora marcada, como cabeleireiros, poderão abrir a partir de segunda-feira (4), dia em que passará a ser obrigatório o uso de máscaras no transporte público, segundo determinação divulgada por Sánchez. Bares e restaurantes permanecerão fechados por pelo menos mais uma semana.

A Espanha registrou, no total, 25.100 mortes por coronavírus, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados neste sábado, além 216.582 casos confirmados.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.