Descrição de chapéu Governo Trump

Após troca de prisioneiros, Trump diz ser possível chegar a acordo com Irã

Países vivem tensão após Washington matar general Qassem Soleimani, em janeiro

Washington | AFP

Os Estados Unidos e o Irã realizaram uma nova troca de prisioneiros nesta quinta-feira (4), apesar das tensões entre os dois países.

Michael White, ex-membro da Marinha dos EUA, foi detido no Irã em julho de 2018. Ele "estará com sua família nos Estados Unidos em breve", afirmou o presidente Donald Trump em uma rede social.

O republicano prometeu continuar agindo em favor da libertação de "todos os americanos reféns no exterior", questão sobre a qual obteve êxitos nos últimos três anos.

O presidente agradeceu ao Irã pelo gesto. "Isso mostra que um acordo é possível!", escreveu Trump, indicando que havia falado com White por telefone.

Teerã, por sua vez, anunciou que um cientista iraniano, Majid Taheri, detido nos Estados Unidos por "razões falaciosas", segundo o regime, foi libertado por Washington ao mesmo tempo que White.

Taheri se declarou culpado em dezembro de desvios financeiros e também foi acusado de ter enviado um instrumento técnico ao Irã, violando as sanções impostas por Washington a Teerã.

No entanto, um juiz dos EUA ordenou sua libertação nesta quinta, de acordo com documentos judiciais consultados pela agência AFP.

Em meados de maio, as autoridades iranianas afirmaram que pretendiam trocar todos os prisioneiros com Washington, após a última operação, realizada em dezembro, entre o americano Xiyue Wang e o iraniano Masud Soleimani.

O veterano da Marinha dos EUA Michael White (esq.) posa ao lado do enviado especial americano ao Irã, Brian Hook, no aeroporto de Zurique, na Suíça
O veterano da Marinha dos EUA Michael White (esq.) posa ao lado do enviado especial americano ao Irã, Brian Hook, no aeroporto de Zurique, na Suíça - Departamento de Estado dos EUA/AFP

White, que serviu 13 anos na Marinha dos Estados Unidos, foi preso em julho de 2018 na cidade de Mashhad, no norte do país, depois de visitar uma mulher que ele teria conhecido online.

No ano seguinte, ele foi condenado a dez anos de prisão por ter insultado o aiatolá Ali Khamenei, líder supremo do Irã, e por ter feito comentários contra o regime nas mídias sociais sob um pseudônimo.

Segundo o ex-governador do estado do Novo México Bill Richardson, que pressionou pela libertação de White, ele havia sido diagnosticado com a Covid-19.

A tensão nas relações entre o Irã e os Estados Unidos aumentou desde que Trump abandonou em 2018 o acordo nuclear internacional assinado entre várias grandes potências e Teerã.

A libertação de prisioneiros tem sido vista como uma maneira de acalmar as tensões, que atingiram o pico em janeiro, após o assassinato pelas forças americanas do poderoso general iraniano Qassem Soleimani em um ataque a Bagdá, no Iraque.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.