Nos EUA, 12 estados batem recorde de Covid-19, e Casa Branca se prepara para 2ª onda

Flórida e Carolina do Sul registraram pelo terceiro dia seguido o maior número de casos em 24 horas

The New York Times

Recordista mundial em número de contaminados pelo novo coronavírus, os Estados Unidos já se preparam para uma possível segunda onda de infecções, segundo o assessor da Casa Branca para Comércio e Manufatura, Peter Navarro.

"Estamos enchendo o estoque em antecipação a um possível problema no outono", disse ele à CNN neste domingo (21). "Estamos fazendo tudo o que podemos."

Os comentários contrastam com as constantes declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, de que o vírus "irá embora" e seus questionamentos sobre a capacidade de a crise se prolongar durante o outono e o inverno no hemisfério norte.

Pessoas frequentam praia em Miami, na Flórida, estado que teve recorde de casos diários por três dias seguidos
Pessoas frequentam praia em Miami, na Flórida, estado que teve recorde de casos diários por três dias seguidos - Eva Marie Uzcategui - 16.jun.20/AFP

De qualquer forma, o vírus tem ganhado terreno no país —o número de casos cresceu 15% nas duas últimas semanas. Há aumento nos registros em 18 estados no Sul, Oeste e Meio-Oeste dos EUA.

Sete estados bateram seu recorde diário de novas infecções neste sábado (20), e cinco outros superaram suas marcas no início da semana.

Flórida e Carolina do Sul bateram pelo terceiro dia seguido o recorde de números de casos, e Missouri e Nevada superaram suas marca neste sábado –altas que ocorreram no mesmo dia em que os EUA registraram mais de 30 mil novas infecções tanto na sexta (19) quanto neste sábado, as maiores cifras de 1º de maio.

A Flórida somou 4.049 novos casos neste sábado, levando o total de infecções no estado a cerca de 94 mil e mais de 3.000 mortes; a Carolina do Sul teve 1.155 novos casos; o Missouri, 375; e Nevada, 452. Arizona, Utah e Montana também bateram seus recordes.

Califórnia, Texas, Alabama, Oklahoma e Oregon igualmente superaram suas marcas na última semana.

Ao mesmo tempo, o número total de mortes caiu muito. A média nos últimos 14 dias foi 42% menor do que a registrada no sábado anterior (13).

Surpreendentemente, as novas infecções atingiram os mais jovens, com mais pessoas na casa dos 20 e dos 30 anos recebendo diagnóstico de Covid-19, de acordo com o governador da Flórida, Ron DeSantis.

Esses grupos podem ser especialmente preocupantes para universidades que planejam receber os estudantes de volta ao campus no outono no hemisfério norte, quando os vírus da Covid-19 e da gripe devem circular simultaneamente.

Na Flórida —que pode ser o próximo epicentro, segundo projeções do PolicyLab do Hospital Infantil da Filadélfia—, um assessor do Departamento de Saúde estadual recomendou neste fim de semana que se evite aglomerações de mais de 50 pessoas.

O estado também incentivou o distanciamento social e o uso de máscaras em reuniões menores.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.