Twitter sinaliza 'comportamento abusivo' em postagem de Trump sobre manifestantes

Rede social alerta usuários pela terceira vez sobre publicações do presidente dos EUA

Washington | Reuters

O Twitter colocou um alerta de "comportamento abusivo" em uma postagem do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta terça-feira (23), alegando que a publicação viola as regras da plataforma.

Na mensagem, Trump ameaça com o uso de "muita força" manifestantes antirracistas que declararam, nesta segunda (22), a criação de uma Zona Autônoma Casa Negra em uma área próxima à Casa Branca.

A Zona Autônoma é uma referência à "Zona Autônoma de Capitol Hill”, em Seattle, espaço de seis quarteirões ocupados e fechados com barricadas por ativistas após a polícia deixar o local na semana passada.

Manifestantes reagem ao efeito de spray de pimenta atirado pela polícia no Lafayette Park, em Washington
Manifestantes reagem ao efeito de spray de pimenta atirado pela polícia no Lafayette Park, em Washington - Tom Brenner - 22.jun.20/Reuters

"Enquanto eu for presidente, nunca haverá uma 'zona autônoma' em Washington. Se eles tentarem, serão recebidos com muita força!", escreveu Trump.

O tuíte foi mantido pela rede social, que o considerou de interesse público, mas foi sinalizado por conter ameaças a um grupo identificável.

O Facebook, que tem adotado uma política de não interferir no discurso de líderes políticos, deixou o mesmo post sem quaisquer interferências.

Pelo menos 150 mil pessoas curtiram o tuíte de Trump e 33 mil o retuitaram antes de a rede social restringir o engajamento, de acordo com a imagem mais recente capturada pela ferramenta Wayback Machine do Internet Archive. A postagem no Facebook recebeu 12 mil comentários.

Depois que o Twitter começou a colocar alertas às mensagens de Trump, o presidente americano anunciou planos para enfraquecer uma lei que protege empresas de tecnologia e adotou, por meio de decreto, uma regulação mais agressiva das plataformas de mídia social.

Em 29 de maio, o Twitter rotulou outro post de Trump com um aviso de "glorificação da violência". Na ocasião, o presidente americano escreveu que "quando começam os saques, começam os tiros", em referência à violência dos protestos pela morte de George Floyd.

Naquele caso, a empresa também optou por manter a postagem.

A primeira publicação de Trump a ser marcada pela rede social com um alerta afirmava que votações por correio comprometem a validade de uma eleição. Há grandes chances de o pleito presencial de novembro ser parcialmente realizado por meio de voto postal devido às medidas de combate ao coronavírus.

A notificação —um ponto de exclamação azul— orientou usuários da rede social a "obterem informações sobre as cédulas por correio" e os direcionava a uma página com notícias e artigos de checagem de fatos sobre as alegações do líder americano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.