Homem é preso na Flórida após atirar para obrigar hóspedes a manter distanciamento

Mulher e filho não ficaram feridos; atirador diz que disparos foram 'de aviso'

Miami | AFP

Um homem na Flórida foi preso por disparar quatro tiros no saguão de um hotel após uma mulher e o filho dela se recusarem a atender seu pedido de manter a distância recomendada para prevenir o contágio pelo novo coronavírus.

Douglas Marks, 29, estava em Miami Beach, no sul da Flórida, na segunda-feira (27), quando confrontou os dois hóspedes.

"Você não está mantendo a distância recomendada", disse ele, de acordo com o relatório policial obtido pela agência de notícias AFP nesta quarta (29). "Vocês têm que ir embora."

Homem passa por centro móvel de testes para a Covid-19 em Miami Beach, na Flórida
Homem passa por centro móvel de testes para a Covid-19 em Miami Beach, na Flórida - Chandan Khanna - 24.jul.20/AFP

A mulher e o filho ignoraram o homem e sentaram-se em um sofá de costas para ele.

Nesse momento, ela ouviu Marks dizer: "Deixe que eu me encarrego deles, há pessoas aqui que não respeitam o distanciamento social".

A mulher escutou vários disparos e fugiu para fora do hotel. Ninguém ficou ferido.

Quando a polícia chegou, Marks confessou que havia tirado a arma da mochila e disparado quatro "tiros de aviso".

Ele foi preso por lesão corporal de natureza grave com uma arma mortal e por disparar uma arma em público, entre outras acusações.

O clima na Flórida é de tensão, particularmente em Miami, que concentra um quarto dos casos de coronavírus no estado —que soma 6.333 mortos pela doença.

Na semana passada, outro homem foi preso porque ameaçou com uma arma uma pessoa que lhe pediu para usar uma máscara em uma loja da rede Walmart.

A Flórida possui leis mais flexíveis para a compra e venda de armas, apesar de ter sofrido dois dos mais mortais ataques a tiros da história dos Estados Unidos: um em Orlando, que deixou 49 mortos em 2016, e outro em Parkland, que levou à morte de 17 pessoas em 2018.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.