Descrição de chapéu Governo Trump

Veja sete pessoas próximas a Trump, além de Bannon, que foram alvo de processos criminais

Maioria foi condenada no âmbito da investigação sobre interferência russa nas eleições dos EUA em 2016

Reuters

Estrategista responsável pela campanha presidencial de Donald Trump em 2016, Steve Bannon foi preso nesta quinta (20) por autoridades americanas.

Bannon foi acusado de fraude em uma campanha de financiamento coletivo que buscava auxiliar a construção de um muro na fronteira entre os EUA e o México, uma promessa de Trump.

Além de Bannon, veja outros casos de pessoas ligadas a Trump que foram presas nos últimos anos.

*

Roger Stone

Amigo e conselheiro de Trump há décadas, o lobista foi condenado por falso testemunho durante depoimento ao Congresso sobre a interferência da Rússia nas eleições presidenciais dos EUA em 2016.

Em novembro de 2019, Stone foi condenado a três anos de prisão. Um dia antes do início do cumprimento da sentença, o presidente americano eliminou a pena por decreto.

Roger Stone, ex-conselheiro de Donald Trump, a caminho de tribunal em Washington
Roger Stone, ex-conselheiro de Donald Trump, a caminho de tribunal em Washington - Andrew Caballero-Reynolds - 5.nov.19/AFP

Paul Manafort

O chefe da campanha de Trump em 2016 foi acusado de tentar ocultar milhões de dólares que recebeu como consultor para políticos ucranianos favoráveis à Rússia.

Foi condenado em 2018 a sete anos e meio de prisão por fraude fiscal e bancária, lavagem de dinheiro, prática de lobby ilegal e corrupção de testemunha. Em 2019, nova condenação: 73 meses de prisão por conspiração. Em maio, foi colocado em prisão domiciliar devido à pandemia de coronavírus.

Foto de Paul Manafort saindo de um carro.
Paul Manafort prestes a dar testemunho no processo no qual foi condenado a sete anos e meio de prisão - Mandel Ngan - 15.jun.2018/AFP

Michael Cohen

Advogado pessoal do então candidato à Presidência, Cohen se declarou culpado de pagar propina a mulheres com quem Trump teve relações sexuais quando já era casado com Melania.

O advogado pagou US$ 130 mil (R$ 728 mil) à atriz pornô Stormy Daniels e US$ 150 mil (R$ 840 mil) à modelo Karen McDougal para que elas não falassem, durante a campanha, sobre os encontros.

Cohen foi condenado a três anos de prisão que, no momento, cumpre em casa. O advogado também diz que Trump insinuou que ele deveria mentir ao Congresso. O republicano nega.

Michael Cohen após deixar corte federal em Nova York
Michael Cohen após deixar corte federal em Nova York - Drew Angerer - 7.dez.18/Getty Images/AFP

Michael Flynn

Primeiro membro do governo Trump a renunciar —o ex-militar foi conselheiro de segurança nacional por menos de um mês em 2017—, Flynn se declarou culpado de mentir ao FBI, a polícia federal americana, a respeito de conversas que teve com o embaixador da Rússia antes de ser empossado.

O ex-militar voltou atrás na declaração e diz ter sido perseguido pelo FBI. O caso ainda será julgado na segunda instância. Flynn aguarda em liberdade.

Recentemente, o ex-militar postou um vídeo no qual anuncia que se tornou um membro da teoria da conspiração QAnon, que alega que Trump luta contra um “estado profundo” de pedófilos e satanistas. Flynn é considerado um mártir pelos seguidores da conspiração.

Michael Flynn sai de um carro
Michael Flynn sai de um carro para comparecer a julgamento em uma corte em Washington - Jonathan Ernst - 18.dez.2018/Reuters

Rick Gates

Outro membro da campanha presidencial de Trump, Gates se declarou culpado de conspirar contra os Estados Unidos e de mentir para investigadores. O lobista testemunhou contra Paul Manafort e Roger Stone em troca de redução de pena. Foi condenado em dezembro de 2019 e passou 45 dias preso.

Rick Gates sai de um prédio.
Rick Gates sai de tribunal em Washington após ter sido condenado a 45 dias de prisão - Al Drago - 17.dez.2019/Reuters

George Nader

O empresário libanês-americano foi conselheiro de Trump em questões de política externa e teve várias condenações ao longo da vida por pedofilia. Ele testemunhou durante a investigação do procurador especial Robert Mueller a respeito de interferência russa na campanha presidencial de Trump.

Em 2019, Nader foi condenado a dez anos de prisão por trazer um adolescente de 14 anos da República Tcheca para os EUA em 2000 com o intuito de fazer sexo, além de posse de pornografia infantil.

George Papadopoulos

Também membro da campanha de Trump, Papadopoulos foi condenado por mentir para o FBI a respeito de contatos com autoridades russas e com um homem de Malta que dizia que os russos poderiam incriminar Hillary Clinton, adversária de Trump. O analista político passou 14 dias na prisão em 2018.

De óculos escuros, Papadopoulos olha para a câmera, seguido de sua mulher, também de óculos.
George Papadopoulos e sua mulher, Simona Mangiante, saem juntos de tribunal após o analista ter sido condenado a 14 dias de prisão - Yuri Gripas - 7.set.2018/Reuters
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.