Mais de 350 são resgatados de helicóptero após chá revelação causar incêndio na Califórnia

Estado enfrenta a pior temporada de queimadas em anos

Sacramento (EUA) | Reuters

Helicópteros militares resgataram no sábado (5) cerca de 360 ​​pessoas e 16 cachorros que participavam de um chá revelação próximo a Fresno, na Califórnia, após fogos de artifício usados na festa causarem um incêndio de grandes proporções durante uma das piores temporadas de queimadas no estado.

“Cal Fire lembra ao público que, com as condições secas e o clima propício a incêndios, não é preciso muito para iniciar um incêndio”, afirmou o Departamento de Proteção Florestal e contra Incêndios da Califórnia, conhecido como Cal Fire, numa rede social, lembrando ainda que pessoas que causam incêndios "podem ser responsabilizadas financeira e criminalmente".

Chamas do incêndio Creek em uma área sem construções de Fresno, na Califórnia
Chamas do incêndio Creek em uma área sem construções de Fresno, na Califórnia - Josh Edelson/AFP

Os chás revelação ficaram famosos após vídeos mostrando formas criativas de contar o sexo do bebê aos pais viralizarem na internet —as festas têm desde bolos com recheios coloridos (rosa para menina, azul para menino, por exemplo) a balões com papéis picados, raspadinhas e fogos de artifício.

Não é a primeira vez que um evento do tipo dá início a um incêndio florestal. Em abril de 2017, um chá revelação no Arizona desencadeou uma queimada que durou uma semana e consumiu mais de 18 mil hectares. O pai, Dennis Dickey, foi condenado a cinco anos de liberdade condicional e a pagar uma indenização, de acordo com a BBC.

Na terça (8), helicópteros de resgate recolheram dezenas de moradores e de pessoas que acampavam e faziam trilhas próximas às áreas atingidas por incêndios na Califórnia —um piloto descreveu as condições como mais perigosas do que as de uma guerra.

Kipp Goding, um piloto da Guarda Nacional do Exército, pousou várias vezes em um acampamento na doca de um lago, enchendo seu helicóptero UH-60 Black Hawk até a capacidade máxima, disse.

“Todo pedaço de vegetação que a vista alcançava estava em chamas”, afirmou Goding, acrescentando que as missões eram piores do que levar um tiro em combate.

Em seu último pouso, o militar disse a duas pessoas que estavam em trailers que aquela era a última chance de serem evacuadas, mas elas optaram por ficar, contou.

Dois pilotos morreram desde meados de agosto no combate a incêndios florestais na Califórnia e no estado vizinho de Oregon.

"O estresse adicional e a carga de trabalho de chegar ao incêndio e sair é certamente o tipo de voo mais difícil que já fiz", disse Goding, que voou 25 anos pelo Exército dos EUA.

Para otimizar os resgates, os pilotos estão voando à noite e usando óculos de visão noturna para enxergar através da densa fumaça que durante o dia pode tornar as missões impossíveis.

“Os óculos nos permitiram continuar avançando um pouco mais”, afirmou o militar.

No domingo (6), o governador da Califórnia, Gavin Newsom, declarou estado de emergência nos condados de Fresno, Madera, Mariposa, San Bernardino e San Diego devido aos incêndios florestais.

"Tenho zero paciência para os negadores da mudança climática", disse ele, citando as altas temperaturas e os anos de seca que mataram milhões de árvores, deixando combustível para incêndios. "[Essa postura] é totalmente inconsistente com a realidade."

O incêndio foi uma das dezenas de grandes queimadas que atingiram os estados de Washington, Oregon e Califórnia durante o fim de semana do feriado americano do Dia do Trabalho, enquanto o termômetro disparava. As temperaturas na parte oeste do vale de San Fernando, em Los Angeles, chegaram a 49 ºC.

Bombeiros e equipes de emergência procuraram na terça por moradores da pequena Malden, cerca de 480 km a leste de Seattle, no estado de Washington, um dia depois de uma tempestade destruir 80% de suas casas, assim como a sede do corpo de bombeiros, os correios, a prefeitura e a biblioteca.

O incêndio que destruiu Malden começou por volta do meio-dia de domingo, impulsionado por ventos de 63 km/h, e durou cerca de três horas. As autoridades foram de porta em porta para que os moradores cumprissem as ordens de evacuar a cidade antes que o fogo chegasse.

"A escala deste desastre realmente não pode ser expressa em palavras", disse Brett Myers, xerife do condado de Whitman, onde fica a cidade de cerca de 300 habitantes. "Eu rezo para que todos tenham deixado a área a tempo."

Cerca de 14 mil bombeiros lutaram contra 25 incêndios na Califórnia, que já registra o recorde de mais de 890 mil hectares queimados, desde que a época de queimadas teve um início precoce —e mortal— no mês passado, segundo o Cal Fire. O pico da temporada de incêndios na Califórnia ainda não começou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.