Pesquisa mostra que coronavírus desgasta Trump em estados cruciais para eleição

Levantamento do New York Times e do Siena College aponta Biden à frente do republicano em Arizona, Maine e Carolina do Norte

São Paulo

A gestão de Donald Trump frente à pandemia do coronavírus tem ameaçado as chances de reeleição do presidente americano e atrapalhado candidaturas de republicanos ao Congresso.

Pesquisa divulgada nesta sexta-feira (18) pelo jornal americano The New York Times e pela instituição de ensino Siena College mostra que o democrata Joe Biden está à frente na preferência de votos em estados considerados cruciais na corrida eleitoral americana.

De acordo com o levantamento, Biden tem nove pontos percentuais a mais que Trump no Arizona. No Maine, a vantagem é de 17. Na Carolina do Norte, a pesquisa mostra empate técnico, com Biden um ponto percentual à frente do atual presidente —45% contra 44%.

O candidato democrata à Presidência, Joe Biden, discursa em evento na Flórida
O candidato democrata à Presidência, Joe Biden, discursa em evento na Flórida - Drew Angerer - 15.set.2020/AFP

Em todos os três estados, os candidatos democratas ao Senado estão à frente dos republicanos por ao menos cinco pontos percentuais. O cenário mostra que os eleitores condenam a administração Trump no combate ao vírus: 60% afirmam que confiam mais em Biden quando o assunto é pandemia, enquanto 35% disseram acreditar na política do atual governo.

A pesquisa tem margem de erro de quatro a cinco pontos percentuais e foi conduzida por telefone entre 10 e 16 de setembro, portanto depois de o jornal The Washington Post e de a rede de TV CNN divulgarem declarações de Trump admitindo ter escondido intencionalmente da população americana a gravidade do coronavírus. A revelação está em “Rage” (raiva), novo livro de Bob Woodward.

Conhecido por ter revelado o escândalo de Watergate, o jornalista fez uma série de entrevistas com o presidente do final de 2019 ao meio de 2020. Numa delas, em 7 de fevereiro, Trump conta ter sido informado por seus assessores que a situação da crise gerada pela Covid-19 era gravíssima.

Segundo o New York Times, os democratas parecem estar melhor posicionados para conquistar várias cadeiras no Senado. A senadora Susan Collins, do Maine, uma republicana que busca um quinto mandato, por exemplo, trava batalha difícil contra Sara Gideon, perdendo por cinco pontos.

A maioria dos eleitores também afirma que é melhor quando a Casa Branca e o Senado são comandados pelo mesmo partido. Por fim, o levantamento aponta que apoiadores de Trump consideram o presidente "um pouco mais confiável” em questões de economia e de segurança que em relação à pandemia, mas não a ponto de reverter a desaprovação do republicano.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.