Prefeita negra na capital da Geórgia é exceção que confirma falta de diversidade na política dos EUA

Democrata Keisha Lance Bottoms ganhou destaque ao enfrentar pandemia e protestos contra racismo

Washington

Cinquenta dias antes da eleição americana, a Folha começou a publicar a série de reportagens “50 estados, 50 problemas”, que se debruça sobre questões estruturais dos EUA e presentes na campanha eleitoral que decidirá se Donald Trump continua na Casa Branca ou se entrega a Presidência a Joe Biden.

Até 3 de novembro, dia da votação, os 50 estados do país serão o ponto de partida para analisar com que problemas o próximo —ou o mesmo— líder americano terá de lidar.

*

Keisha Lance Bottoms é minoria mesmo depois de chegar ao poder.

Entre as cem maiores cidades dos EUA, somente sete são comandadas por mulheres negras, e a Atlanta de Bottoms integra a lista que escancara a falta de diversidade na política americana.

Eleita prefeita da capital da Geórgia em 2017, a democrata ganhou destaque ao enfrentar de forma assertiva duas das principais crises que assolaram os EUA às vésperas da eleição à Casa Branca: os protestos contra o racismo e a violência policial no país e a pandemia do coronavírus.

No primeiro caso, Bottoms agiu rápido ao fazer da reforma do sistema de Justiça uma bandeira renovada de sua gestão e, no segundo, recusou-se a seguir o cronograma de reabertura do governador republicano Brian Kemp, que se ateve a um roteiro precoce, estimulado pelo presidente Donald Trump, a despeito do aumento de casos de Covid-19 em Atlanta, principalmente entre a população negra.

A prefeita de Atlanta, Keisha Lance Bottoms, durante festival em New Orleans
A prefeita de Atlanta, Keisha Lance Bottoms, durante festival em New Orleans - Paras Griffin - 6.jul.18/Getty Images/AFP

Com 10,6 milhões de habitantes, 32% deles negros, a Geórgia se tornou um campo de batalha importante na disputa à Presidência dos EUA e serviu de palco para Bottoms amplificar a mensagem imperativa de que é preciso mais diversidade em todas as esferas de poder do país.

O Congresso eleito em 2018 é o mais diverso da história americana, mas ainda está longe de representar de fato os EUA. Entre os 535 deputados e senadores, somente 22% são considerados minorias —negros, latinos, asiáticos ou indígenas. Mais: apesar de o número ter aumentado cerca de 80% em 20 anos, ainda é desproporcional se comparado à população geral.

De acordo com o censo dos EUA, 39% das pessoas que vivem no país são consideradas não brancas.

As mulheres são 55% do eleitorado, mas representam somente 25% do Congresso e, se o assunto for parlamentares negras, o índice despenca ainda mais.

Dos 435 deputados da Câmara de Representantes, somente 22 são mulheres negras. Dos cem senadores, só Kamala Harris carrega os dois títulos, e sua indicação como vice na chapa de Joe Biden à Casa Branca foi um aceno justamente a dois grupos que, apesar de subrepresentados por seus líderes, serão decisivos como eleitores para novembro: mulheres e negros.

Essa é a primeira vez que uma mulher negra concorre à vice-Presidência nos EUA por um grande partido, e também a primeira vez que uma candidata tem origem indiana. Em seu primeiro mandato como senadora, Kamala tornou-se a cara da renovação do Partido Democrata, ao lado da deputada Alexandria Ocasio-Cortez, a AOC, jovem de origem latina que representa a ala à esquerda da sigla.

Caso vença em novembro, Biden será o presidente dos EUA mais velho a tomar posse, com 78 anos, e já se colocou como um líder de transição, abrindo caminho para que Kamala, por exemplo, seja sua possível sucessora em 2024.

Há dois anos, o número de candidatas mulheres tentando uma vaga no Congresso americano era o maior de todos os tempos, impulsionado pelos democratas. Agora, é o Partido Republicano que tenta recuperar o espaço perdido entre o eleitorado feminino. Enquanto 356 candidatas democratas tentam uma vaga na Câmara neste ano, o mesmo número de 2018, as aspirantes republicanas saltaram de 133 para 227.

Na esteira da renovação que elegeu Kamala, AOC e Bottoms, movimentos que pedem mais diversidade na política argumentam que essa é a chave para mobilizar às urnas mais jovens, negros e latinos —o voto não é obrigatório nos EUA, mas as minorias representarão pela primeira vez um terço do eleitorado.

O desafio é dar capilaridade a esse esforço em um país tão complexo e desigual. Os EUA elegeram o primeiro homem negro à Presidência de sua história, mas deixaram que a misoginia fosse um dos motivos que impediram a vitória de uma mulher para sucedê-lo.

50 ESTADOS, 50 PROBLEMAS

  1. Minnesota

    Morte de George Floyd em Minnesota escancarou outra vez racismo sistêmico americano

  2. Texas

    Divisa do Texas se tornou ícone da cruzada de Trump contra imigrantes

  3. Indiana

    Rusga com China põe estados rurais como Indiana na linha de tiro da guerra comercial

  4. Missouri

    Caso no Missouri ajudou a pavimentar decisão da Suprema Corte que protege comunidade LGBT

  5. Califórnia

    Califórnia, de moradores de rua e aluguéis caríssimos, espelha problema da habitação nos EUA

  6. Idaho

    Superlotação em prisões de Idaho expõe encarceramento em massa nos EUA

  7. Arizona

    Arizona põe à prova discurso de Trump de destruição dos subúrbios americanos

  8. Colorado

    Legalização federal é pedra no sapato de empresários da maconha no Colorado

  9. Arkansas

    Solidamente republicana, Arkansas facilita venda de armas

  10. Alasca

    Chance de explorar petróleo em reserva ambiental no Alasca opõe modelos de desenvolvimento

  11. Nova York

    Nova York procura saída para déficit bilionário agravado pela pandemia de coronavírus

  12. Flórida

    Flórida se tornou laboratório da postura errática de Trump diante da pandemia

  13. Carolina do Sul

    Briga na Carolina do Sul por estátua de Pantera Negra evidencia onda contra símbolos confederados

  14. Nevada

    Com dados alarmantes, Nevada retrata epidemia da violência doméstica nos EUA

  15. Alabama

    No top 5 de tiroteios em escolas, Alabama alimenta estatística que assombra EUA

  16. Dakota do Norte

    Na Dakota do Norte, indígenas enfrentam pobreza e oleoduto apoiado por Trump

  17. Maryland

    Disputa entre público e privado em Maryland é retrato da educação nos EUA

  18. Havaí

    Relação conturbada dos EUA com Coreia do Norte espalha medo no Havaí

  19. Wisconsin

    Sombra da judicialização paira sobre disputas acirradas em estados como Wisconsin

  20. Virgínia

    Passeata na Virgínia em 2017 deu visibilidade para extremistas da alt-right

  21. Kansas

    Kansas quer levar supressão do voto, trincheira dos direitos civis nos EUA, à Suprema Corte

  22. Carolina do Norte

    Com programa inovador, Carolina do Norte enfrenta problema crônico de acesso à saúde

  23. Oklahoma

    Biden visa aumento salarial a professores e mira demanda de grevistas em Oklahoma

  24. Wyoming

    Wyoming espelha diferenças salariais entre homens e mulheres nos EUA

  25. Iowa

    Confusão nas prévias em Iowa reaviva discussões sobre reforma no sistema eleitoral

  26. Nova Jersey

    Governador de Nova Jersey vive rebote de fake news que tomaram EUA desde 2016

  27. Louisiana

    Louisiana espelha tentativas de estados conservadores de cercear o aborto

  28. Ohio

    Às voltas agora com fentanil, Ohio vê nova alta de mortes por opioides

  29. Delaware

    Berço político de Biden, Delaware é paraíso da evasão de impostos nos EUA

  30. New Hampshire

    New Hampshire vira palco de disputa entre religiosos e defensores do Estado laico

  31. Nebraska

    Taxar bilionários, como o 'oráculo de Nebraska', vira tema de campanha

  32. Utah

    Com 1 caso de fraude em voto por correio desde 2013, Utah derruba tese de Trump

  33. Rhode Island

    Vírus leva desemprego a montanha-russa, e estados como Rhode Island pagam a conta

  34. Massachusetts

    Sonho de universidade de ponta em Massachusetts vira pesadelo de dívida estudantil

  35. Maine

    Baixo índice de crimes violentos deixa Maine fora do radar do discurso de 'lei e ordem'

  36. Novo México

    Novo México enfrenta com terapia aumento do suicídio de crianças e adolescentes

  37. Geórgia

    Prefeita negra na capital da Geórgia é exceção que confirma falta de diversidade na política dos EUA

  38. Illinois

    Berço político de presidentes, Illinois simboliza a corrupção nos EUA

  39. Connecticut

    Com dívida bilionária e alta desigualdade, Connecticut ilustra contradições americanas

  40. Mississippi

    Com 40% de obesos, Mississippi lidera epidemia que deixou de ser combatida sob Trump

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.