Descrição de chapéu Coronavírus

Milhares violam veto a aglomerações no Paquistão e vão a funeral de clérigo

Evento reuniu dezenas de milhares enquanto país tem alta de casos de Covid-19

Lahore (Paquistão) | Reuters

Dezenas de milhares de paquistaneses compareceram neste sábado (21) ao funeral de um clérigo linha-dura na cidade de Lahore, desafiando a proibição a grandes reuniões públicas imposta após o aumento dos casos de Covid-19 no país.

Khadim Hussain Rizvi, 54, morreu de parada cardíaca na quinta (19), poucos dias depois de liderar uma violenta marcha na capital, Islamabad, contra a publicação na França de charges retratando o profeta Maomé.

Multidão comparece a funeral de Khadim Hussain Rizvi, clérigo líder do partido Tehreek-e-Labaik Pakistan durante pandemia do novo coronavírus, em Lahore, no Paquistão
Multidão comparece a funeral de Khadim Hussain Rizvi, clérigo líder do partido Tehreek-e-Labaik Pakistan durante pandemia do novo coronavírus, em Lahore, no Paquistão - Mohsin Raza/Reuters

Por causa da alta de novos casos de Covid-19 neste mês, o governo proibiu grandes eventos e reuniões e afirmou que o país passa por um repique de contágios após três meses de estabilidade no controle da pandemia.

Dados oficiais divulgados no sábado mostram que 2.843 pessoas receberam diagnóstico da doença e 42 morreram nas últimas 24 horas —ambos os números são os mais altos para um único dia desde julho.

Os organizadores do funeral disseram que o governo não havia lhes pedido para restringir o número de presentes. Autoridades paquistanesas não responderam a um pedido de comentário sobre o evento, que levou à suspensão de serviços de telefonia celular e ao bloqueio das principais estradas por motivos de segurança.

Uma autoridade local, que pediu para não ser identificada, disse estimar que cerca de 200 mil pessoas compareceram ao funeral.

O número de presentes era tão grande que o caixão de Rizvi não pôde ser carregado pela multidão até o local preparado para a cerimônia e teve de ser colocado em uma ponte próxima para as orações.

Conhecido por seus sermões inflamados, Rizvi chefiou o partido Tehrik-i-Labaik Paquistão, que usa denúncias de blasfêmias para mobilizar seus apoiadores e organizou vários protestos nos últimos anos, pressionando o governo em uma série de questões.

No início deste mês, o clérigo liderou uma marcha de milhares de manifestantes até Islamabad que bloqueou uma das principais rotas de entrada na cidade durante horas e teve conflitos entre os manifestantes e a polícia.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.