Descrição de chapéu Belarus

Chefs convertem personalidades de líderes mundiais em receitas

Criações vão de bolo com laranjas-sanguíneas para Bolsonaro até prejereba com chuchu para Kamala

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Para Kamala Harris, vice-presidente eleita dos EUA, o Dia de Ação de Graças não é o mesmo sem sua receita de “cornbread dressing”. Um dia antes do feriado mais importante do país, ela fez sucesso ao publicar em suas redes sociais o preparo, que mistura ingredientes como linguiça e farinha de milho assados em uma forma.

Diante do prato postado no fim de novembro, nesta reportagem o jogo virou: são os políticos que se transformaram em comida.

A pedido da Folha, três chefs aceitaram a tarefa de representar seis personalidades de peso do cenário político de 2020 com receitas —que podem ajudar, inclusive, a nortear o debate familiar que geralmente acompanha a ceia natalina (Veja as receitas completas ao final do texto).

Receitas que representam líderes internacionais
Bolo invertido de cacau com laranjas-sanguíneas, proposto em referência ao presidente Jair Bolsonaro - Catarina Pignato

Além de Kamala, foram traduzidos em preparos comestíveis o atual presidente americano, Donald Trump; o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido); o ditador da Belarus, Aleksandr Lukachenko; Joe Biden, o presidente eleito dos EUA, e a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern.

Por terem características semelhantes, os três primeiros nomes podem ser enquadrados em um mesmo bloco, diz Felipe Loureiro, professor e coordenador do curso de relações internacionais da Universidade de São Paulo (USP).

Ele foi responsável por apontar peculiaridades dos líderes para auxiliar os chefs na criação e escolha das receitas.

“No caso do grupo de Bolsonaro, Trump e Lukachenko, é muito presente a ideia de externar força e masculinidade tradicionais. Toda expressão de sentimento está muito identificada com um feminino ligado à fraqueza, fora do que é considerado moderno”, diz.

No caso de Bolsonaro, a masculinidade relacionada à força militar e às armas está particularmente presente. Para representar o líder, Letícia Massula, chef e pesquisadora de cozinha brasileira, sugere um bolo invertido de cacau com laranjas-sanguíneas.

A massa, explica a chef, é densa e remete às receitas antigas dos bolos de frutas do Hemisfério Norte, e também aos stick toffee puddings —o oposto de bolos delicados, de massas leves.

“É uma ideia e um modelo de masculinidade apegado ao passado. Daí a receita retrô, das poucas coisas que ainda podemos resgatar de um passado em que éramos mais racistas, classistas, sexistas e homofóbicos do que somos hoje”, diz a chef. “E, no topo invertido, as laranjas-sanguíneas são autoexplicativas”, diz.

A chef escolheu uma torta de batata-doce roxa com creme azedo e feijões para simbolizar Lukachenko, ditador da Belarus. No comando do país desde 1994, ele usa métodos duros e repressivos para lidar com a oposição, e tem como marca sua capacidade de se adaptar a novas situações, diz Loureiro.

“É uma torta rústica como o líder, para simbolizar a personalidade de camaleão, com recheio que está escondido, que em nada é muito claro. O totalitarismo está ali, enclausurando tudo”, explica Massula.

O apreço do atual presidente dos EUA, Donald Trump, pelo fast-food foi uma das inspirações levadas em consideração por Raphael Despirite, chef do Fechado para Jantar e à frente da startup Suflex.

Porém, a um balde de frango frito —como o da rede KFC— Despirite adicionou a finalização com folhas de ouro comestíveis, remetendo à lógica de espetacularização, em que o governante se transforma em notícia constantemente.

“Existem análises muito interessantes de que a Presidência Trump é um grande atrativo porque permite a ele aparecer e ser o tema da conversa 24 horas por dia. É uma característica narcisista elevada ao extremo”, diz Loureiro.

Para o rival democrata de Trump, Joe Biden, a escolha recaiu sobre a tradicional canja de galinha, prato sem sabores gritantes.

“Depois da agitação do ano e de tanta coisa apimentada, é uma comida para acalmar os ânimos”, diz Despirite. Para ele, a receita se relaciona com a figura moderada do presidente eleito dos EUA, que, mesmo ambicioso, é considerado um político capaz de buscar consensos.

Já Kamala, a primeira mulher a assumir a Vice-Presidência do país, tem personalidade gastronômica marcada por múltiplas especiarias, que coincidem com sua história familiar —ela é filha de imigrantes, uma pesquisadora da Índia e um professor da Jamaica.

Na visão da chef Bel Coelho, à frente do Clandestino e do Cuia, Kamala pode ser simbolizada pela prejereba em crosta de especiarias com curry de chuchu, broto de feijão e amendoim.

“Prejereba é um peixe menos representado, com menor participação nos menus, unido a condimentos que lembram a diversidade”, diz Coelho.

Para Loureiro, da USP, a demonstração de empatia é um elemento comum entre Biden e Kamala —mas é ainda mais explícito em Jacinda Ardern, premiê da Nova Zelândia. Outras características de sua liderança são a defesa da diversidade e a projeção da mulher em postos de trabalho.

Traduzida em uma receita, a neozelandesa seria a salada vermelha de beterraba, tomates, tamarillo, queijo feta, baru e raspadinha de melancia.

“[Esse prato] tem sabores marcantes, como as posições adotadas por Jacinda. Mas, com os adocicados e texturas, consegue reunir, aglutinar, tendo equilíbrio ao mesmo tempo”, explica a chef Bel Coelho.

Veja as receitas a seguir:

*

Donald Trump
presidente dos EUA

Frango frito apimentado coberto por folhinhas de ouro

Receitas que representam líderes internacionais
Catarina Pignato

Chef: Raphael Despirite, do Fechado para Jantar e da startup Suflex

Tempo de preparo: 30 minutos + marinada por 12h
Rendimento: 4 porções

INGREDIENTES
1 kg de frango (asa, coxa e sobrecoxa) cortado em pedaços pequenos, a passarinho
1 colher (sopa) de páprica picante
Quanto baste de sal marinho moído
1 xic. (chá) de iogurte natural sem açúcar
½ xic. (chá) de farinha de trigo
½ xic. (chá) de amido de milho
Folhas de ouro comestíveis a gosto
Óleo para fritar

Molho de pimenta
1 xic. (chá) de pimenta-malagueta
1 colher (sopa) de gengibre ralado
1 dente de alho
1 folha de louro
Azeite


PREPARO
Coloque os pedaços de frango em uma tigela grande, cubra com água e sal moído (1 colher de sopa de sal por litro) e deixe marinar por uma noite. Retire da vasilha e seque com papel-toalha para absorver o excesso da água.

Faça uma mistura com a farinha de trigo, o amido de milho e a páprica picante. Passe o frango por essa mistura, mergulhe no iogurte e depois passe novamente pela mistura de farinha. Frite em imersão no óleo quente. Quando esfriar, esfarele a folha de ouro e salpique em cima do frango antes de servir.

Para fazer o molho de pimenta, retire os cabinhos e coloque em uma panela pequena, adicionando todos os ingredientes e cobrindo com azeite. Deixe o azeite esquentar até formar bolhinhas pequenas. Desligue o fogo, deixe esfriar e armazene em um pote com as pimentas submersas no azeite.


Joe Biden
presidente eleito dos EUA

Canja express com ovo mole e hortelã

Receitas que representam líderes internacionais
Catarina Pignato

Chef: Raphael Despirite
Tempo de preparo: 1 hora
Rendimento: 2 porções

INGREDIENTES
½ colher (sopa) de azeite
1 cebola picada em cubos
2 cenouras em rodelas pequenas
1 talo de salsão em cubos
2 batatas picadas em cubos
1 peito de frango
1 coxa de frango
1 folha de louro
1 ramo de alecrim
½ xic. (chá) de arroz cozido
2 ovos de galinha caipira
1 litro de caldo de galinha (ou água)
3 folhas de hortelã laminadas
1 colher (café) de sal


PREPARO
Em uma panela de pressão, doure a coxa e o peito de frango com um pouco de azeite. Reserve. Coloque as cenouras, a cebola, as batatas e o salsão e refogue em fogo médio. Volte o frango para a panela e adicione o caldo de galinha, o alecrim, o louro e o sal e cozinhe por 20 minutos.

Depois de cozinhar, retire os pedaços de frango e desfie. Adicione o arroz, o frango desfiado e, se preciso, um pouco mais de caldo ou água. Faça o ovo: cozinhe em água fervente por 5 minutos, retire da água e descasque em uma tigela com gelo. Finalize a sopa com a hortelã e o ovo.


Kamala Harris
vice-presidente eleita dos EUA

Prejereba em crosta de especiarias com curry de chuchu, broto de feijão e amendoim

Receitas que representam líderes internacionais
Catarina Pignato

Chef: Bel Coelho, do Clandestino e do Cuia
Tempo de preparo: 1h
Rendimento: 4 porções

INGREDIENTES

Para a prejereba
720 g de prejereba em 4 filés sem pele e espinhas
100 ml de azeite extravirgem
1 col. (sopa) de semente de coentro
1 col. (sopa) de mostarda em grão
1 col. (sopa) de cardamomo
1 col. (sopa) de pimenta-do-reino preta
20 g de louro em pó
1 col. (chá) canela em pó
1 col. (café) de cravo
1 col. (chá) de semente de erva-doce
Sal a gosto

Para o chuchu
50 ml de azeite extravirgem
100 g de cebola roxa fatiada fina
20 g de alho picado
80 g de broto de feijão
50 g de amendoim torrado sem sal
350 g de minichuchu sem casca e cortado em bastonetes
Coentro picado, curry, manjericão-tailandês e sal a gosto


PREPARO
Comece pela prejereba: leve todas as especiarias ao fogo em uma frigideira e, mexendo sempre,
aqueça-as até exalar o aroma das especiarias. Retire do fogo e moa em moedor elétrico.

Tempere os filés de prejereba com sal a gosto e em seguida faça uma crosta de especiarias do lado do filé de onde foi retirada a pele. Frite o peixe em azeite quente na frigideira antiaderente, começando pelo lado da crosta até o peixe estar inteiramente cozido, mas com cuidado para não passar. Sirva o peixe sobre o chuchu.

Para fazer o chuchu, aqueça o azeite e refogue a cebola roxa e alho. Adicione o broto de feijão, o curry, o amendoim e refogue por mais alguns minutos, sempre em fogo alto e salteando para não queimar.
Acrescente o chuchu e refogue até que fique macio. Tempere com coentro, manjericão e sal a gosto.


Jair Bolsonaro
presidente do Brasil

Bolo invertido de cacau com laranjas-sanguíneas

Receitas que representam líderes internacionais
Bolo invertido de cacau com laranjas-sanguíneas, proposto em referência ao presidente Jair Bolsonaro - Catarina Pignato

Chef Letícia Massula, chef e pesquisadora de cozinha brasileira
Tempo de preparo: 2 horas
Rendimento: 8 porções

INGREDIENTES

Massa
½ xícara (chá) de pasta de ameixas secas (para fazer, deixe 2 xíc. de ameixas de molho em água, escorra e processe até virar uma pasta)
½ xícara (chá) de bourbon
1 xícara (chá) de cacau 100% em pó
1 xícara (chá) de manteiga sem sal
1 xícara (chá) de açúcar mascavo
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 ovos
1 colher (café) de noz-moscada
Raspas de ½ laranja-sanguínea
1 colher (sobremesa) de fermento em pó

Cobertura de laranja-sanguínea
½ xícara (chá) de açúcar demerara
¼ de xícara (chá) de água
1 laranja-sanguínea laminada em rodelas finas com casca


PREPARO
Comece pela cobertura de laranjas: aqueça o açúcar até derreter e formar um caramelo dourado. Junte a água aos poucos, com cuidado, e deixe derreter o açúcar; ferva até ponto de calda “puxenta”. Adicione as laranjas laminadas em rodelas, apague o fogo e deixe que descansem na calda até esfriar; disponha no fundo de uma forma quadrada, cobrindo toda a superfície.

Passe, então, para o preparo da massa; preaqueça o forno. Bata o açúcar mascavo com a manteiga na batedeira até obter um creme. Junte os ovos e continue batendo. Adicione a pasta de ameixas e o bourbon e, depois, acrescente o cacau e a farinha de trigo e continue batendo. Junte a noz-moscada, as raspas de laranja-sanguínea e, por último, o fermento em pó, misturando bem.

Disponha a massa sobre as laranjas caramelizadas e leve ao forno a 180ºC por cerca de 40 minutos, até fincar um palito e ele sair limpo da massa. Desenforme antes de servir, expondo as laranjas no topo.


Aleksandr Lukachenko
ditador da Belarus desde 1994

Torta de batata-doce roxa com creme azedo e feijões

Receitas que representam líderes internacionais
Catarina Pignato


Chef: Letícia Massula
Tempo de preparo: 2 horas
Rendimento: 6 porções

INGREDIENTES

Massa
1 xic. (chá) de farinha de trigo
1 xic. (chá) de amido de milho
3 col. (sopa) de manteiga sem sal em temperatura ambiente
½ xic. (chá) de leite
1 pitada de sal
1 gema de ovo para pincelar

Recheio de purê de batata-doce roxa com creme azedo
3 batatas-doces roxas cozidas no vapor com casca
½ xic. (chá) de creme azedo
1 col (sopa) de manteiga sem sal
Sal a gosto

Recheio de feijões
½ xic. (chá) de feijão preto (deixe de molho por 12 horas, cozinhe em água até ficar ao dente e escorra)
½ xic. (chá) de feijão vermelho (mesmo processo acima)
½ xicara de feijões brancos (mesmo processo acima)
1 cebola laminada finamente
2 col. (sopa) de manteiga
1 col. (chá) pimenta-do-reino moída na hora
1 colher (chá) de tomilho-limão


PREPARO
Para a massa, peneire a farinha e o amido de milho. Junte o sal, a manteiga e o leite e amasse bem até formar uma bola. Embrulhe em um saquinho e deixe descansar na geladeira por meia hora. Separe a massa em dois pedaços, um maior para o fundo da assadeira e outro menor para a cobertura. Abra a massa com o rolo em uma superfície enfarinhada, formando dois círculos. Disponha o círculo maior sobre uma assadeira de fundo removível, deixando as bordas para fora.

Passe as batatas descascadas pelo espremedor e leve ao fogo com o creme azedo e a manteiga até aquecer e ficar aveludado. Ajuste o sal. Depois, faça o recheio de feijões (que ficaram de molho e foram cozidos separados). Aqueça uma frigideira de fundo grosso, doure a cebola laminada na manteiga com uma pitada de sal. Junte os feijões e misture bem. Ajuste o sal e finalize com a pimenta-do-reino e o tomilho.

Sobre a massa aberta, disponha uma camada fina do purê e sobre ele uma camada de feijões e assim sucessivamente. A última camada deve ser de purê. Cubra a torta com o segundo disco de massa e feche as bordas. Pincele com a gema de ovos batida. Leve ao forno alto pré-aquecido até dourar.


Jacinda Ardern
primeira-ministra na Nova Zelândia

Salada vermelha de beterraba, tomates, tamarillo, queijo feta, baru e raspadinha de melancia

Receitas que representam líderes internacionais
Catarina Pignato

Chef: Bel Coelho
Tempo de preparo: 1h30
Rendimento: 2 porções

INGREDIENTES

Para a raspadinha
250 ml de suco de melancia
40 ml de suco de gengibre (para fazer, bata 100 g de gengibre e 80 ml de água no processador e coe)
3 folhas de gelatina sem sabor

Para a salada
100 g de beterraba
100 g de tomate sweet grape picado
100 g de tamarillo cortado em 2
50 ml de suco de melancia
100 g de queijo feta em cubos
80 g de castanha baru sem casca torrada
2 colheres (sopa) de folhas de manjericão
Azeite extravirgem, sal e pimenta-do-reino a gosto
Botão de manjericão para decorar


PREPARO
Comece pela raspadinha: hidrate as folhas de gelatina em água gelada. Aqueça 100 ml de suco de melancia a 80ºC e adicione as folhas de gelatina hidratadas e escorridas. Acrescente o restante do suco de melancia, o suco de gengibre e misture até ficar uniforme. Congele em um recipiente de 5 cm de altura. Na hora de servir, tire do congelador e raspe a superfície com um garfo.

Para fazer a salada, descasque a beterraba e corte-a em cubos de um 1,5 cm, temperando com sal, pimenta e azeite. Asse em papel-alumínio em forno médio por 20 minutos ou até ficar macia. Deixe-a esfriar. Para servir, misture todos os ingredientes e tempere a salada a gosto. Sirva em cuias e acrescente a raspadinha no topo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.