Lula, Evo e Fernández lamentam morte de Tabaré Vázquez, ex-presidente do Uruguai; veja repercussão

Líder durante dois mandatos morreu aos 80 anos em decorrência de um câncer no pulmão

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

BAURU (SP)

Autoridades uruguaias e lideranças de diversos países expressaram luto e solidariedade aos familiares do ex-presidente do Uruguai Tabaré Vázquez, que morreu na madrugada deste domingo (6), aos 80 anos, em decorrência de um câncer no pulmão.

"Enquanto descansava em casa, acompanhado por alguns familiares e amigos, devido à sua doença, Tabaré faleceu. Em nome da família, queremos agradecer a todos os uruguaios pelo amor recebido por ele ao longo de tantos anos", escreveu Alvaro Vázquez, um dos filhos do ex-presidente.

O ex-presidente do Uruguai Tabaré Vázquez, morto neste domingo, durante cerimônia de posse em seu 2º mandato, em 2015 - Pablo Porciuncula - 1º.mar.15/AFP

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva divulgou comunicado em que afirma ter perdido "um amigo querido". "Tabaré Vázquez foi um grande médico e político, por duas vezes presidente do Uruguai, que governou com sabedoria e competência, deixando um legado de democracia, desenvolvimento e avanços sociais no nosso querido país vizinho", escreveu Lula.

"Fomos presidentes juntos e só guardo boas memórias de sua atuação pela cooperação e integração da América do Sul." Vázques comandou o Uruguai por duas vezes, entre 2005 e 2010 e entre 2015 e 2020.

Em nota, o Itamaraty disse que o "governo brasileiro tomou conhecimento, com grande pesar" da morte de Vázquez. O Ministério das Relações Exteriores escreveu ainda que "transmite ao povo-irmão do Uruguai e aos familiares do ex-presidente as suas profundas condolências".

Até o início da tarde deste domingo, Jair Bolsonaro não havia se manifestado sobre a morte de Vázquez.

Luis Lacalle Pou, atual presidente do Uruguai, lamentou a morte de seu antecessor. "Ele enfrentou sua última batalha com coragem e serenidade. Tivemos diálogos pessoais e políticos que valorizo e me lembrarei. Ele serviu seu país e, com seu esforço, obteve importantes conquistas. Ele era o presidente dos uruguaios. O país está de luto", escreveu.

A coalizão Frente Ampla, aliança de centro-esquerda da qual faz parte o Partido Socialista, de Vázquez, também se manifestou sobre a morte nas redes sociais. "É com grande pesar que informamos a morte de nosso presidente, Tabaré Vázquez. Seu exemplo de integridade política e compromisso inabalável com nosso país e com o povo nos levará a continuar seu legado", escreveu.

O secretário da Presidência do Uruguai, Alvado Delgado, expressou "respeito institucional e pessoal por um líder e governante que fez história, sempre zelando pelos valores da democracia".

O presidente da Bolívia, Luis Arce, ofereceu condolências ao "povo irmão uruguaio" pela morte de seu ex-líder. "Lembraremos seu legado e vocação de integração na região", disse.

Evo Morales, líder indígena e ex-presidente boliviano, expressou solidariedade aos uruguaios e disse que Vázquez "sempre apoiou o processo democrático na Bolívia".

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou que a morte do ex-líder uruguaio lhe causa "dor enorme". "Fiel às suas convicções, ele se limitou a permitir que o progressismo chegasse ao governo do Uruguai. Junto-me ao pesar daquelas pessoas que hoje choram por ele e abraçam seus entes queridos."

A vice de Fernández e ex-presidente argentina, Cristina Kirchner, disse que lamenta muito o falecimento de Vázquez. "Sua chegada à Presidência do Uruguai, em nome da Frente Ampla, ajudou a consolidar o ideal da Grande Pátria", escreveu ela.

O ex-presidente argentino Maurício Macri disse que "teve a sorte de desfrutar de uma relação" com Vázquez. "Ele foi um cavalheiro na política, um dirigente honesto e de bom senso que estreitou laços com a Argentina e com o Mercosul. Meu respeito por sua memória e meu carinho à sua família e ao povo uruguaio", escreveu.

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, disse que teve "a honra de fazer amizade" com Vázquez. "Foi uma grande pessoa, um líder político ilustre, um promotor da integração regional."

Iván Duque, presidente da Colômbia, disse que sempre se lembrará com carinho do ex-líder uruguaio. "Ele deixa um legado de princípios na política latino-americana e um trabalho incansável pela saúde pública e pela promoção do esporte entre os jovens que nos inspiram a continuar na luta pela democracia."

Em comunicado, a família de Vázquez disse que, devido aos protocolos de segurança na pandemia do coronavírus, não haverá velório, apenas uma cerimônia reservada a seus filhos e netos.

Na tarde deste domingo, um cortejo fúnebre partiu da Esplanada da Administração Municipal de Montevidéu, no centro da capital, para o Cemitério La Teja, bairro do ex-presidente, onde ele foi sepultado.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.