Descrição de chapéu refugiados

Senadores dos EUA reapresentam projeto de lei para receber refugiados de Hong Kong

Grupo bipartidário quer facilitar processo para moradores da ilha que se sentem perseguidos por Pequim

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Washington | Reuters

Um grupo bipartidário de senadores americanos reapresentaram nesta terça-feira (9) um projeto de lei para facilitar que pessoas de Hong Kong com receio de serem perseguidas após participarem de protestos anti-China obtenham status de refugiados nos Estados Unidos.

Os 12 congressistas, liderados pelo republicano Marco Rubio e pelo democrata Bob Menendez, afirmaram que o texto é uma resposta à Lei de Segurança Nacional, imposta por Pequim no ano passado, que criminaliza secessão, terrorismo, subversão e conluio com forças estrangeiras —todos puníveis com prisão perpétua.

O projeto de lei americano, chamado de Ato Porto Seguro de Hong Kong, tornaria os habitantes de Hong Kong que " participaram pacificamente do movimento de protestos e tenham um medo bem fundamentado de perseguição" elegíveis para pedido de reúgio em Hong Kong ou em um outro país.

Não haveria um limite para a quantidade de refugiados, afirmaram os senadores em um comunicado. A proposta de lei torna mais fácil para dissidentes buscarem asilo e prevê ainda que residentes de Hong Kong que tiveram sua residência revogada se tornem elegíveis para o status de refugiados como vítimas de perseguição política.

“Os EUA devem fazer tudo o que podem para ajudar esses cidadão de Hong Kong que corajosamente se posicionaram para defender a cidade que amam da perseguição do PCC [Partido Comunista Chinês] e abrir as portas para eles”, disse o republicano Rubio.

Menendez afirmou que o objetivo era ” reiterar ao Partido Comunista Chinês que os EUA estão totalmente alinhados com as pessoas de Hong Kong” e mostrar que eles não iriam “cair nas rachaduras do nosso quebrado sistema de imigração”.

O projeto foi reapresentado porque sua versão anterior expirou quando um novo Senado tomou posse em janeiro.

O secretário de Estado americano, Antony Blinken, já havia dito que os Estados Unidos deveriam aceitar as pessoas que fogem da repressão de Hong Kong. “Se eles são vítimas da repressão das autoridades chinesas, devemos fazer algo para dar abrigo”, disse à rede de TV NBC, no fim de janeiro.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.