Oprah descarta envolvimento de rainha Elizabeth e príncipe Philip em acusações de racismo

Meghan e Harry afirmam que membros da realeza britânica estavam preocupados com cor de pele do primeiro filho deles

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

BAURU (SP)

A apresentadora americana Oprah Winfrey afirmou, nesta segunda-feira (8), que a rainha Elizabeth 2ª e seu marido, o príncipe Philip, não estavam envolvidos nas conversas sobre a preocupação com o tom de pele do primeiro filho do príncipe Harry com a atriz Meghan Markle.

"Ele [Harry] não compartilhou a identidade comigo, mas queria ter certeza de que eu sabia, se eu tivesse a oportunidade de compartilhar, que nem sua avó nem seu avô fizeram parte dessas conversas", disse Oprah durante entrevista à emissora CBS nesta segunda, acrescentando que insistiu, fora das gravações, em saber quem teria se envolvido no assunto.

Em entrevista concedida a Oprah neste domingo (7), Meghan afirmou que havia um receio entre alguns membros da realeza sobre a cor da pele do primeiro filho do casal, Archie, que nasceu em 2019.

O príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, durante entrevista concedida à apresentadora Oprah Winfrey nos EUA - Joe Pugliese/Harpo Productions

Harry e Meghan não citaram nomes de quem teria expressado preocupação com a cor da pele de Archie, mas a duquesa afirmou ter uma "suposição bastante segura" que, para os envolvidos, a possibilidade de o primeiro filho do casal ter a pele mais escura era um problema.

Em trechos da entrevista que não foram exibidos neste domingo, Harry afirmou que o racismo foi uma das principais razões para a saída do casal do Reino Unido. Ao lado da esposa, ele já havia dito que precisou se colocar no lugar de Meghan para entender o preconceito que ela enfrentava como mulher negra.

“Passei muitos anos fazendo o trabalho e aprendendo por conta própria. Mas então, na minha educação e no sistema em que fui criado e a que fui exposto, eu não estava ciente disso. Mas, meu Deus, não demorou muito para repentinamente tomar consciência disso”, disse ele sobre as questões raciais.

Segundo o relato de Meghan, quando ainda estava grávida, ela foi informada pelo Palácio de Buckingham de que seu filho, Archie, não receberia o título de príncipe e, portanto, não teria direito à segurança oficial a que têm direito os membros da realeza.

Questionada por Oprah se considerava importante ter o filho chamado de príncipe, Meghan disse que não nutre qualquer apego aos títulos oficiais. O que a incomodou, de acordo com o relato, foi a ideia de que Archie pudesse não estar seguro, além do fato de que, como primeiro membro da família real com ascendência negra, ele não receberia o mesmo tratamento que outros bisnetos da rainha.

Meghan e Harry participaram em março do ano passado do último compromisso real após anunciarem seu desligamento das funções da realeza. Desde então, eles passaram um período vivendo no Canadá e estão atualmente em Montecito, na Califórnia. O casal chegou a processar algumas publicações e paparazzi por invasão de privacidade.

A entrevista, que já era aguardada, ganhou mais força nos últimos dias, com a emissora veiculando trechos da conversa. Além disso, Meghan entrou em nova polêmica com a realeza britânica na última semana, já que o Palácio de Buckingham decidiu investigar um possível bullying da duquesa a funcionários.


Cronologia do relacionamento de Harry e Meghan

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.