Mergulhadores encontram navio da Segunda Guerra afundado nas Filipinas; veja vídeo

Contratorpedeiro de 115 metros de comprimento foi atacado e naufragou em 1944

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Manila | AFP

Uma expedição encontrou os restos de um navio da Marinha dos EUA, naufragado durante a Segunda Guerra, a 6.500 metros de profundidade na costa das Filipinas, informou um membro da equipe neste domingo (4).

“Acabamos de dar o mergulho mais profundo da história para encontrar os restos do contratorpedeiro USS Johnston”, publicou no Twitter Victor Vescovo, fundador da empresa americana Caladan Oceanic, que dirigiu o submarino que localizou o navio.

Durante dois mergulhos de oito horas no final de março, a equipe conseguiu filmar, fotografar e estudar os destroços do navio, em frente à ilha de Samar, informou a Caladan Oceanic, especializada em tecnologias subaquáticas.

O contratorpedeiro encontrado no fundo do mar, nas Filipinas
O contratorpedeiro encontrado no fundo do mar, nas Filipinas - Caladan Oceanic - 4.abr.21/AFP

O contratorpedeiro de 115 metros de comprimento afundou em 25 de outubro de 1944, durante a Batalha do Golfo de Leyte, um dos maiores enfrentamentos navais da história e que marcou o início do fim para o Japão. Outros exploradores o localizaram no mar das Filipinas em 2019, mas a maior parte do navio não estava ao alcance de nenhum dispositivo.

“Localizamos dois terços da parte dianteira do navio, de pé e intactos, a uma profundidade de 6.456 metros. Três de nós, em dois mergulhos, examinamos o navio e prestamos homenagem à sua valente tripulação”, disse Vescovo.

Apenas 141 dos 327 tripulantes do navio sobreviveram, de acordo com os arquivos da Marinha dos EUA.

A expedição encontrou a proa, a ponte e a seção central intactas. O número 557 ainda estava claramente visível. Duas torres, pontos de reserva de torpedos e numerosos suportes de canhão também foram visíveis, de acordo com a expedição.

Parks Stephenson, navegador e historiador da expedição, destacou que nos destroços do navio era possível ver os estragos que ele sofreu durante aquela intensa batalha, há mais de 75 anos.

"Ele recebeu disparos do maior navio de guerra já construído, o navio de guerra da Marinha Imperial Japonesa Yamato, e disparou de volta com violência", disse Stephenson.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.