Reino Unido reabre pubs em áreas externas, mas não confirma férias no exterior

Companhias aéreas e aeroportos reclamam de falta de clareza sobre liberação de viagens

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Londres | Reuters

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou nesta segunda (5) que vai reabrir parcialmente a economia a partir da próxima semana. Todas as lojas, academias e salões de beleza voltarão a funcionar, e os restaurantes e pubs poderão receber clientes em áreas externas.

O premiê disse que ele mesmo vai tomar uma cerveja num bar assim que possível.

O esperado anúncio da retomada das viagens internacionais, no entanto, não veio ainda. O governo disse que era cedo demais para saber se os britânicos poderão desfrutar das férias de verão (entre julho e agosto) no exterior —sugerindo que a liberação dos voos seja adiada para depois de 17 de maio.

Bares em Liverpool abriam suas portas em 13 de outubro de 2020, última noite antes de novas medidas locais de bloqueio serem impostas
Bares em Liverpool abriam suas portas em 13 de outubro de 2020, última noite antes de novas medidas locais de bloqueio serem impostas - Paul Ellis - 13.out.2020/AFP

O Reino Unido planeja organizar um sistema de cores para os países (de acordo com o grau de risco de contaminação), assim que as viagens voltarem a ser autorizadas. Mas ainda não se sabe quais países receberiam sinal verde —o que significa que os viajantes precisariam apenas fazer testes antes do embarque e na volta.

“Obviamente temos esperança de seguir com a data de 17 de maio, mas eu não quero subestimar as dificuldades que estamos vendo em alguns países para onde as pessoas podem querer ir”, disse Boris.

“Gostaria de poder dizer mais do que isso, sei que as pessoas querem saber exatamente o que elas podem fazer a partir de 17 de maio, mas ainda não chegamos a esse ponto.”

A falta de informações irritou as companhias aéreas e os aeroportos, que afirmam que o setor está à beira do colapso.

“É decepcionante que se tenha perdido a oportunidade de fornecer mais clareza para reunir famílias separadas pelas restrições de viagens, para dar aos turistas a confiança para reservar suas passagens de férias”, disse o diretor-executivo do aeroporto de Heathrow, John Holland-Kaye.

O relaxamento gradual das regras será acompanhado por um aumento na disponibilidade de testes. Todos os ingleses terão direito a dois testes rápidos por semana para prevenir novos surtos e descobrir pessoas infectadas, mas que não apresentam sintomas.

"À medida que continuamos a ter um bom progresso em nosso programa de vacinação e com nosso roteiro para aliviar cautelosamente as restrições em andamento, o teste rápido frequente é ainda mais importante para garantir que esses esforços não sejam desperdiçados", afirmou o premiê, em comunicado divulgado antes do anúncio do alívio nas medidas.

Todo o Reino Unido tem avançado no programa de imunização, que já atingiu 47% dos britânicos, e visto caírem as infecções de Covid-19 —por isso, a Inglaterra vai passar à fase 2 do plano de saída do lockdown.

O governo pediu que as pessoas continuem trabalhando de casa, quando possível, e minimizem as viagens dentro do país. Boris também confirmou que sua equipe trabalha num projeto de passaporte de vacina, para viabilizar a retomada de eventos com mais pessoas.

Desde o início da pandemia, o Reino Unido registrou 4,4 milhões de casos e 127 mil mortes pela Covid-19.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.