Comissão Eleitoral encerra processo sobre suborno pago por equipe de Trump a atriz pornô

Democratas defendem que pagamento se enquadra como doação ilegal de campanha

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A FEC (Comissão Eleitoral Federal dos EUA) encerrou a investigação sobre as denúncias de que Donald Trump teria violado leis eleitorais em 2016, quando seu advogado pagou pelo silêncio da atriz pornô Stormy Daniels. Assim, o ex-presidente e membros de sua campanha não serão punidos pelo caso.

Michael Cohen, ex-advogado pessoal do republicano, declarou-se culpado em 2018 de ter violado leis de campanha ao fazer um pagamento de US$ 130 mil para Daniels em troca de seu silêncio. A atriz ameaçava divulgar detalhes de sua relação com Trump.

A atriz pornô Stormy Daniels durante evento na Califórnia
A atriz pornô Stormy Daniels durante evento na Califórnia - Mike Blake - 23.mai.18/Reuters

Cohen disse que o pagamento buscava evitar problemas para a campanha presidencial. Por isso, democratas e diversas organizações acusaram os republicanos de violarem regras eleitorais, por considerar que o pagamento foi, na prática, uma doação ilegal. Como as doações individuais eram limitadas a US$ 2.700 naquele ano, o hoje ex-advogado de Trump teria descumprido a lei.

O advogado foi preso por mentir ao Congresso e sofreu condenações por violação de leis eleitorais e evasão de impostos. Já Trump nunca foi punido pelo caso. Embora negue envolvimento com a atriz, o ex-presidente confirmou ter reembolsado Cohen pelo valor.

O pagamento pelo silêncio de Daniels foi divulgado pela imprensa americana no início de 2018. Depois da revelação, a atriz fez declarações sobre sua relação com Trump em entrevistas e em um livro. O ex-presidente nega ter se envolvido com ela. A FEC é chefiada por seis conselheiros. Atualmente, há três republicanos e três democratas. A continuidade da análise do caso demandava ao menos quatro votos.

Sem apoio dos republicanos, o processo foi suspenso.

Os correligionários de que integram a FEC alegam que o caso já foi investigado em outras instâncias federais e que analisá-lo na comissão seria uma redundância e um desperdício de recursos.

Os integrantes democratas do órgão, por sua vez, disseram que há amplas evidências de que o ex-presidente recebeu contribuições irregulares e defendem a continuidade das investigações. Trump celebrou a decisão pelo fim do processo. "Agradeço à comissão pela decisão, que encerra este capítulo de fake news", disse, em comunicado. Cohen criticou a medida. "O pagamento de suborno foi feito em benefício de Donald J. Trump. Como eu, Trump deveria ser considerado culpado", escreveu, no Twitter.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.