'Filósofo racista', diz La Nación sobre frase de Fernández; Guardian aponta insensibilidade racial

Presidente da Argentina disse que brasileiros vieram da selva e argentinos chegaram de barco da Europa

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

No El País, desastrosa foi a definição para a frase "os mexicanos vieram dos indígenas, os brasileiros, da selva, e nós chegamos em barcos", do presidente argentino, Alberto Fernández.

Para o jornal espanhol, que destacou o escândalo nos meios de comunicação e nas redes sociais e a acusação de racismo contra o presidente argentino, Fernández "cometeu um erro lamentável".

O inglês The Guardian citou a enorme repercussão negativa no Twitter, com a viralização das críticas ao líder de centro-esquerda e ênfase em sua falta de sensibilidade racial.

"Filósofo racista do século 21", ressaltou o argentino La Nación, em definição feita pelo jornalista Eduardo Feinmann, que chamou as declarações de Fernández de "vergonha nacional".

Em manchete no argentino Clarín, são destaques a forte reação brasileira e a indignação no México. Em imagem abaixo da manchete, o Clarín reproduziu o destaque da Folha para o caso.

O holandês RTL Nieuws repercutiu a reação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL). Filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o parlamentar respondeu Fernández dizendo que "o barco que está afundando é o da Argentina".

A polêmica nas redes sociais foi a chamada do mexicano La Jornada. O também mexicano Milenio ressalta o erro de Fernández ao supostamente citar o poeta e diplomata Octavio Paz.

O presidente argentino, Alberto Fernández
O presidente argentino, Alberto Fernández - Juan Mabromata/AFP

Após a repercussão da declaração, o presidente argentino publicou uma mensagem no Twitter pedindo desculpas. "Mais de uma vez foi dito que 'os argentinos descendemos dos barcos'. Na primeira metade do século 20 recebemos mais de 5 milhões de imigrantes que conviveram com os nossos povos originários. Nossa diversidade é um orgulho." Na sequência, acrescentou que "não quis ofender ninguém" e pediu desculpas "a quem tenha se sentido ofendido ou invisibilizado".

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.