Descrição de chapéu Coronavírus Europa

Holanda anuncia fechamento de atividades não essenciais no Natal e no Ano-Novo para frear ômicron

'Fechar é inevitável devido à quinta onda em nossa direção', disse o premiê Mark Rutte

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Haia | Reuters

A Holanda fechará atividades não essenciais a partir deste domingo (19) para tentar frear o avanço da variante ômicron, anunciou o primeiro-ministro Mark Rutte neste sábado. "Fechar de novo é inevitável em razão da quinta onda em nossa direção com a variante ômicron", disse o premiê em entrevista coletiva.

O país, que já havia restringido o horário de funcionamento de lojas e bares mais cedo nesta semana, agora adotará uma regra mais dura para lojas, restaurantes, salões de beleza e academias até o dia 14 de janeiro. As escolas permanecerão fechadas até 9 de janeiro.

Pessoas caminham em rua com decoração natalina
Pessoas caminham em rua comercial com decoração natalina na cidade de Nijmegen, na Holanda, na véspera da entrada em vigor de um novo lockdown - Piroschka van de Wouw - 18.dez.2021/Reuters

As autoridades holandesas também recomendaram que os encontros entre pessoas de lares diferentes se limitem a duas pessoas. Não está claro se a medida vale para as reuniões de Natal e de Ano-Novo.

Segundo Rutte, deixar de agir agora provavelmente levaria a "uma situação inimaginável nos hospitais", que já cancelaram atendimentos não urgentes para acomodar mais pacientes de Covid.

A Holanda registrou uma média de 15 mil casos diários de coronavírus ao longo da última semana, após atingir um recorde de mais de 22 mil casos diários no fim de novembro.

O anúncio vem na esteira do endurecimento das restrições em outros países da Europa.

Neste sábado, Paris anunciou o cancelamento dos fogos de artifício e dos shows no Ano-Novo, dias após as autoridades francesas imporem restrições a viajantes do Reino Unido para frear o avanço da ômicron.

Na terça (14), o governo britânico implementou ações como a obrigatoriedade do uso de máscaras na maior parte dos locais fechados, a exigência do certificado de vacinação em certas ocasiões, como boates e grandes eventos, e a vacinação de profissionais da saúde.

A Alemanha também impôs restrições a viajantes vindos da França e da Dinamarca, países vizinhos que passaram a ser considerados zonas de contágio "de alto risco".

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.