Descrição de chapéu Coreia do Norte Rússia

Kim Jong-un presenteia Putin com par de cães; veja fotos

Animais seriam de uma raça local chamada pungsan; ditador havia ganhado limusine de presidente russo na véspera

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, recebeu uma retribuição após dar uma limusine a Kim Jong-un durante sua primeira viagem a Pyongyang em 24 anos. O russo ganhou do ditador da Coreia do Norte um par de cães pungsan, afirmou a agência estatal KCNA nesta quinta-feira (20).

A Korean Central Television, controlada pelo Estado, mostrou imagens dos líderes olhando para os cachorros, que estavam amarrados a uma cerca coberta de rosas. Os dois se aproximaram dos animais após Kim aparecer alimentando um cavalo com cenouras enquanto Putin o acariciava na cabeça.

Foto tirada em 19 de junho e divulgada no dia seguinte pela agência estatal da Coreia do Norte mostra o ditador Kim Jung-un presenteando o presidente russo, Vladimir Putin, com um par de cães, em Pyongyang - KCNA via KNS - 19.jun.2024 /via Reuters

Oficialmente, a história desse cachorro de caça na Coreia do Norte remonta a 1956, pelo menos, quando a nação o escolheu como um símbolo, de acordo com a agência de notícias sul-coreana Yonhap. Em 2014, os pungsans foram elevados à categoria de cão nacional.

Entre os dois marcos, nos anos 2000, Pyongyang se encarregou de enaltecer a raça para a população, de acordo com a NK News. O site americano baseado em Seul e especializado em notícias sobre Coreia do Norte afirma que a comunicação do país asiático apresenta os pungsans como cachorros independentes, donos de um espírito orgulhoso e imunes a vilões estrangeiros que tentam usá-los.

A animação infantil "História do cão Pungsan", lançada em 2010, por exemplo, conta a história de uma criança e seu cachorro da raça. Em dois momentos, estrangeiros tentam tirar o cão do garoto —na primeira vez, eles querem o animal para lutar contra tigres; na segunda, um comerciante árabe tenta comprá-lo, de acordo com o NK News.

Ainda segundo o portal, o cachorro aparece também no romance Cães Pungsan, de 2017, cujo enredo fictício é a tentativa de extermínio da raça por autoridades japonesas durante o período colonial na região. O site, aliás, lança dúvidas sobre o status de raça do pungsan, que seria considerado apenas uma variação local do husky siberiano por alguns canis internacionais.

Cães já foram usados pela diplomacia norte-coreana em outros momentos —e causaram problemas. Ao final das reuniões intercoreanas de 2018, quando o nível de tensão na península era menor em comparação com os dias atuais, Kim também presenteou o ex-presidente sul-coreano Moon Jae-in com um par de pungsan, batizados de Gomi e Songgang.

Após deixar o cargo, em maio de 2022, Moon continuou com os animais até entrar em conflito com o atual governo a respeito dos custos com os cuidados dos pets, no final daquele mesmo ano. Gomi e Songgang foram registrados como propriedade do Estado, mas um acordo com o Ministério do Interior havia permitido que o ex-presidente continuasse cuidando dos animais ao sair do cargo com dinheiro do orçamento público.

No final daquele ano, porém, tal acordo se desfez devido à oposição do atual presidente sul-coreano, Yoon Suk-yeol, afirmou o escritório de Moon na ocasião.

"O gabinete presidencial parece ser contra confiar a gestão dos cães pungsan ao ex-presidente Moon", disse a equipe do ex-presidente no Facebook na época. "Se for esse o caso, podem ficar tranquilos, já que tal atribuição é baseada na boa vontade de ambos os lados (...), embora terminá-la seja lamentável, visto que são animais de companhia pelos quais [Moon] se apegou."

O desfecho da discórdia política ocorreu em dezembro de 2022, quando os pets foram entregues a um zoológico na cidade de Gwangju, no sul do país. "Gomi e Songgang são um símbolo de paz e de reconciliação e cooperação entre a Coreia do Sul e do Norte. Vamos criá-los bem, assim como cultivamos uma semente para a paz", afirmou, na ocasião, o prefeito Kang Gi-jung, de acordo com a agência de notícias Associated Press.

O uso de cavalos na propaganda norte-coreana, como feito nesta quarta, tampouco é novidade. Em 2019, fotos de Kim montado em um cavalo branco no Monte Paektu durante uma nevasca inundaram a internet. A mesma estratégia foi usada em um vídeo de 2022, em que o ditador também aparece cavalgando.

Esses animais também são simbólicos para a Coreia do Norte, que nomeou seu esforço econômico para se recuperar da Guerra da Coreia (1950-1953) de Movimento Chollima em homenagem ao cavalo alado da mitologia oriental. O mais recente propulsor de foguetes do país, aliás, chama-se Chollima-1.

Putin, que valoriza sua imagem esportiva, também já foi fotografado pela mídia estatal russa usando óculos de sol, corrente de ouro e calças militares montado em um cavalo marrom. Nesta quarta-feira (19), o presidente russo havia presenteado o ditador com uma limusine do modelo Aurus Senat e se fez passar por motorista do veículo, conduzindo o aliado pelas ruas de Pyongyang.

Com Reuters

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.