Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
03/07/2010 - 01h44

EUA acham acusação de Zelaya "ridícula"

Publicidade

DA EFE, EM WASHINGTON (EUA)

O Governo americano considerou hoje "ridícula" a acusação do ex-presidente de Honduras Manuel Zelaya de que Washington planejou o golpe de Estado que lhe derrubou em junho do ano passado, disse hoje o departamento de Estado.

No dia 28 de junho, primeiro aniversário do golpe, Zelaya voltou a acusar o comando sul dos Estados Unidos por sua derrocada.

"Ridículo", afirmou Mark Toner, porta-voz questionado pela imprensa sobre estas acusações e o possível papel do departamento de Estado no golpe.

Para ele, desde o princípio os Estados Unidos apoiou a volta da ordem institucional a Honduras e tomou medidas cancelando as ajudas ao país para pressionar os golpistas.

Zelaya, que foi levado para fora do país e agora vive na República Dominicana, enviou uma carta aos hondurenhos no dia 28 de junho assegurando que o golpe de Estado foi planejado pelo comando sul dos EUA, na base militar local de Palmerola.

"Tudo indica que o golpe foi planejado na base militar de Palmerola, pelo comando sul dos EUA, e executado torpemente por maus hondurenhos", disse Zelaya em sua mensagem, enviada por via eletrônica.

Acrescenta que "a um ano do golpe de Estado militar já se esclareceram as causas e os atores intelectuais desse crime que se mantinham ocultos" e se confirmou que "os Estados Unidos estiveram atrás do golpe de Estado".

"Os autores intelectuais deste crime obedecem a uma formação de quadrilha dos velhos Falcões de Washington com hondurenhos, proprietários de capitais e seus parceiros de subsidiárias norte-americanas e agências financeiras", acrescentou.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página