Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
02/11/2010 - 15h36

Chegam a cinco os pacotes-bombas achados pela polícia da Grécia; não há feridos

Publicidade

DA EFE

Chegam a cinco os pacotes-bombas enviados nesta terça-feira a embaixadas estrangeiras em Atenas. Apenas um deles, o que foi enviado à representação da Suíça na capital da Grécia, explodiu, mas sem deixar feridos. Os outros quatro foram detonados pela polícia grega.

Na sede do governo alemão, um pacote suspeito foi encontrado e está sendo investigado pela polícia. Ontem (1º), já haviam sido descobertos outros quatro artefatos explosivos destinados a três embaixadas e ao presidente da França Nicolas Sarkozy.

Dos pacotes-bombas desta terça-feira na Grécia, apenas um explodiu, o que fora enviado à embaixada suíça, mas sem causar vítimas. De acordo com os primeiros indícios da investigação, os funcionários da representação jogaram o pacote no pátio por considerá-lo suspeito.

Yiorgos Karahalis/Reuters
Investigadores deixam a Embaixada da Suíça em Atenas, onde uma bomba explodiu hoje sem deixar feridos
Investigadores deixam a Embaixada da Suíça em Atenas, onde uma bomba explodiu hoje sem deixar feridos

O ministério suíço das Relações Exteriores indicou que o artefato, depositado na entrada da embaixada em Atenas e considerado suspeito, estava sendo examinado quando soltou uma fagulha. Uma fonte policial informou que um homem foi preso pouco depois do incidente, mas esta informação não pôde ser confirmada oficialmente.

Os outros quatro pacotes foram neutralizados por especialistas da polícia grega, chamados pelas próprias embaixadas, no caso de Bulgária e Rússia, ou pelas transportadoras, quando as representações de Chile e Alemanha se recusaram a receber a encomenda, segundo a mesma fonte.

As embaixadas haviam sido alertadas na segunda-feira, e orientadas a se manterem atentas com o correio, disse à agência France Presse uma fonte diplomática grega. Pela manhã, autoridades gregas não descartavam a possibilidade de existência de novos pacotes-bombas como os localizados ontem.

"Dentro das pesquisas sobre o atentado de ontem e como medida de prevenção, está sendo realizada uma investigação sobre a possibilidade de outros pacotes-bombas para outros destinatários", declarou nesta terça-feira, antes da nova explosão, à agência Efe um porta-voz da polícia grega.

As autoridades enviaram às empresas responsáveis pela entrega de encomendas uma série de recomendações e conselhos sobre como detectar pacotes suspeitos. Peso excessivo para o tamanho, ausência de remetente, a presença de muitos selos ou embalagem mal fechada são alguns sinais que devem chamar a atenção.

Além disso, fontes diplomáticas indicaram à Efe que a Polícia advertiu aos funcionários das embaixadas cuidados com as correspondências recebidas.

TENSÃO SOCIAL

Estes incidentes ocorrem dentro de um contexto social tenso na Grécia, a poucos dias de um pleito decisivo para o governo socialista, que está aplicando um impopular programa de austeridade para reduzir o elevado deficit do país.

A Grécia tem sido abalada por uma onda de ataques com explosivos, geralmente reivindicados por grupos de esquerda. As agressões começaram depois que a polícia matou um adolescente em Atenas em 2008, incitando os piores tumultos na Grécia há décadas.

Em junho, um pacote explodiu no ministério que controla a polícia, matando um dos assessores mais próximos do ministro.

MERKEL E SARKOZY

Na Alemanha, a polícia interceptou nesta terça na sede do governo um pacote considerado suspeito de conter explosivo, o que ainda não foi confirmado. Segundo um jornal local, o pacote era destinado à chanceler (premiê) Angela Merkel e tinha como remetente a Ministério da Economia grego.

Orestis Pabagiotou/Efe
Polícia grega vistoria empresa de logística onde um pacote-bomba destinado a embaixadas explodiu ontem
Polícia grega vistoria empresa de logística onde um pacote-bomba destinado a embaixadas explodiu ontem

Ontem (1º), a polícia grega afirmou que um dos pacotes-bombas encontrados em Atenas era endereçado ao presidente da França, Nicolas Sarkozy. "Um dos explosivos que os suspeitos estavam tentando enviar tinha como destino o presidente da República da França, Nicolas Sarkozy", disse um porta-voz da polícia à agência Reuters.

Ele disse que os outros pacotes eram endereçados às embaixadas da Bélgica, Holanda e México na capital. Um deles explodiu antes de ser entregue, dentro de uma empresa de correios, ferindo levemente uma funcionária.

Segundo a polícia, a bomba que explodiu era transportada pelos suspeitos presos e estava endereçado à embaixada mexicana em Atenas. Dos dois suspeitos presos, um era procurado por atividades extremistas anarquistas.

"A bomba explodiu minutos depois que dois homens entregaram o pacote. Uma funcionária sofreu leves queimaduras", disse o policial, que não quis ser identificado. Ele acrescentou que os suspeitos estavam usando coletes à prova de balas e portando armas.

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página