Descrição de chapéu
João Doria

Semear cultura é colher desenvolvimento

Parcerias alavancam e estimulam produção artística

João Doria

Uma sociedade desenvolvida precisa ser culturalmente forte. E cultura forte pressupõe o envolvimento de governos, empresas e promotores do setor. São eles que fomentam a produção artística, criam, mantém equipamentos e ajudam a despertar novos talentos. É o que estamos fazendo em São Paulo, unindo forças para promover a cultura, ampla e democrática.

Neste mês inauguramos um novo e moderno espaço de exposições na capital paulista, o MIS Experience, abrigando a mostra interativa “Leonardo da Vinci - 500 anos de um Gênio”. O MIS Experience é resultado da integração entre governo e empresas privadas. Ele nasce com 1.700 m2 de área de exposições e mais 1.000 m2 de área para projeções interativas. Recebeu R$ 8,5 milhões de investimento por parte de empresas privadas. Será administrado pelo Museu da Imagem e do Som, que ganha assim um segundo espaço de exposições em São Paulo.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante coquetel de inauguração do espaço cultural "MIS Experience", que estreia com a mostra interativa “Leonardo da Vinci - 500 anos de um Gênio” - Mathilde Missioneiro - 3.nov.19/Folhapress

Os resultados dessa ação integrada já foram comprovados no Festival de Inverno de Campos do Jordão. Em sua 50ª edição, o festival recebeu o patrocínio de cinco empresas, bateu recorde de público e ampliou o turismo. A parceria governo-empresas também é realidade na renovação do Museu da Independência —mais conhecido como Museu do Ipiranga. Financiados por 14 empresas privadas, os trabalhos, que estavam paralisados havia seis anos, foram retomados e serão concluídos no bicentenário da Independência, em setembro de 2022, quando o Museu do Ipiranga passará a oferecer uma experiência multissensorial aos visitantes.

A cultura é livre por natureza, incompatível com censura, preconceitos, personalismos, partidarismos e ideologias. A criação e o conhecimento cultural exigem imaginação e ousadia. Transformados em realidade, acessíveis ao grande público, se tornam fonte de emprego, renda e desenvolvimento. É a economia criativa, no seu mais elevado valor.

Para estimular um mercado que movimenta 12 mil empresas e gera 300 mil postos de trabalho, abrimos o Programa de Investimento no Setor Audiovisual de São Paulo, o ProAV. Oferecemos R$ 200 milhões em linha de crédito com juros reduzidos e aprovação em apenas dois dias.

Cultura e economia criativa também são o motor do maior evento de gastronomia do Brasil, o SP Gastronomia, que abrangeu todas as regiões do estado. Pela primeira vez, São Paulo ganhou um evento anual que consolida o estado como meca da arte da boa mesa, setor que emprega 780 mil pessoas diretamente e outros 2,4 milhões indiretamente.

Outra medida, tão fundamental quanto simbólica, é a implantação da Fábrica de Cultura em São Bernardo do Campo (SP). No lugar do que deveria ser o tal Museu do Lula, haverá um espaço para os talentos da região do ABCD. O prédio, que seria um monumento ao personalismo e à política partidária e ideológica, agora servirá à população, especialmente crianças e jovens.

É em parceria com a sociedade, com a juventude, com os artistas e com as empresas que trabalhamos para que a cultura de São Paulo valorize o conhecimento e a energia criativa. A produção cultural gera mudanças, valores, empregos e oportunidades. Semear cultura é colher desenvolvimento.

João Doria

Governador de São Paulo (PSDB), ex-prefeito de São Paulo (jan.2017 a abr.2018) e empresário

TENDÊNCIAS / DEBATES

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do jornal. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.