Descrição de chapéu
Josep Borrel e Michel Barnier

Brexit: O que significa para a UE e seus parceiros?

Continuaremos conectados por princípios e pela forte crença no multilateralismo

Na última sexta-feira (31), o Reino Unido deixou a União Europeia. Perdemos um membro da nossa família. Foi um momento triste para nós, para os cidadãos europeus —e, de fato, para muitos cidadãos britânicos. No entanto, sempre respeitamos a decisão soberana de 52% do eleitorado britânico, e agora esperamos iniciar um novo capítulo em nossas relações.

Emoções à parte, 1º de fevereiro acabou sendo uma data histórica, mas também não dramática. Isso se deve em grande parte ao Acordo de Retirada que negociamos com o Reino Unido, que nos permitiu garantir um brexit "ordenado'. Um acordo que —pelo menos por enquanto— minimize as perturbações para nossos cidadãos, empresas, administrações públicas —e também para nossos parceiros internacionais.

Britânico faz o "v" da vitória no dia do brexit, em Londres - Henry Nicholls - 31.jan.2020/Reuters

Nos termos deste acordo, a UE e o Reino Unido concordaram em um período de transição, pelo menos até o final de 2020, durante o qual o Reino Unido continuará a participar da União Aduaneira e do Mercado Único da UE e a aplicar a legislação da UE, ainda que deixe de ser um Estado-Membro. Durante esse período, o Reino Unido também continuará a cumprir os acordos internacionais da UE, como deixamos claro em uma nota verbal aos nossos parceiros internacionais.

Portanto, com o período de transição em vigor, há um certo grau de continuidade. Isso não foi fácil, dada a magnitude da tarefa. Ao deixar a União, o Reino Unido automaticamente, mecanicamente, legalmente, deixa centenas de acordos internacionais concluídos por ou em nome da União, em benefício de seus Estados-Membros, em tópicos tão diferentes como comércio, aviação, pesca ou cooperação nuclear civil.

Agora temos que construir uma nova parceria entre a UE e o Reino Unido. Esse trabalho começará em algumas semanas, assim que a UE-27 aprovar o mandato de negociação proposto pela Comissão Europeia, estabelecendo nossos termos e ambições para alcançar a parceria mais próxima possível com um país que permanecerá nosso aliado, nosso parceiro e nosso amigo.

A UE e o Reino Unido estão vinculados pela história, geografia, cultura, valores e princípios compartilhados e uma forte crença no multilateralismo baseado em regras. Nossa futura parceria refletirá esses laços e crenças compartilhadas. Queremos ir muito além do comércio e continuar trabalhando juntos em segurança e defesa, áreas em que o Reino Unido tem experiências e ativos que são mais bem utilizados como parte de um esforço comum.

Em um mundo de grandes desafios e mudanças, turbulência e transição, devemos nos consultar e cooperar bilateralmente e em fóruns regionais e globais importantes, como as Nações Unidas, a Organização Mundial do Comércio, a Otan ou o G-20.

Talvez seja um clichê, mas a verdade básica é que os desafios globais de hoje —das mudanças climáticas, ao cibercrime, terrorismo ou desigualdade— exigem respostas coletivas. Quanto mais o Reino Unido for capaz de trabalhar em conjunto com a UE e em conjunto com parceiros de todo o mundo, maiores serão nossas chances de enfrentar esses desafios com eficácia.

No centro do projeto da UE está a ideia de que somos mais fortes juntos; que reunir nossos recursos e iniciativas é a melhor maneira de alcançar objetivos comuns. O brexit não muda isso, e continuaremos a levar esse projeto adiante. Juntos, os 27 Estados-Membros continuarão a formar um mercado único de 450 milhões de cidadãos e mais de 20 milhões de empresas. Juntos, continuamos sendo o maior bloco comercial do mundo. Juntos, somos o maior doador de ajuda ao desenvolvimento do mundo.

Nossos parceiros podem ter certeza de que permaneceremos fiéis a uma agenda ambiciosa e voltada para o exterior —seja sobre comércio e investimento, ação climática e digital, conectividade, segurança e contraterrorismo, direitos humanos e democracia ou defesa e política externa.

Continuaremos a cumprir nossos compromissos. Continuaremos a defender os acordos que nos vinculam aos nossos parceiros internacionais e desenvolver estruturas de cooperação multilateral em todo o mundo.

A União Europeia continuará sendo um parceiro em que você pode confiar. Defensor constante do multilateralismo baseado em regras, que trabalha com nossos parceiros para tornar o mundo mais seguro e justo.

Josep Borrel

Alto representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros e a Política de Segurança

Michel Barnier

Negociador-chefe da União Europeia no processo de saída do Reino Unido

TENDÊNCIAS / DEBATES

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do jornal. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.