Descrição de chapéu

Nós, cariocas, agradecemos a atitude do Temer, diz leitor

Leitores comentam intervenção federal na segurança pública do Rio

Intervenção no Rio

A intervenção militar se fazia mais do que necessária no Rio de Janeiro. Nós, cariocas, agradecemos a atitude do presidente Michel Temer ao viabilizar tal medida, visando rechaçar a proliferação do crime organizado e vislumbrando ao Rio novamente o status de cidade maravilhosa, a priori, quanto à segurança pública.

Willyan Sylvio da Cruz Santos Dias (Rio de Janeiro, RJ)


A intervenção é uma decisão que precisa ser bem acompanhada por instituições como o Ministério Público e a OAB. Tal cuidado visa que seja preservado o Estado democrático de Direito, para que a luta contra a criminalidade tenha sucesso e perdure sem sofrimento, para a já acuada população fluminense.

José de Anchieta Nobre de Almeida, historiador e ouvidor-geral da OAB-RJ



Um fato e dois pretextos pouco ou nada explicitados na motivação do ato. Fato: o Estado é uma terra arrasada por décadas de desmandos administrativos, corrupção e crime organizado, em escala maléfica rotativa. Pretextos, em ordem a gosto: saída honrosa para não avançar a reforma da Previdência e uma forma de repassar recursos federais ao falido Rio de Janeiro, sem despertar inveja imediata de outros Estados também em penúria.

Nacim Chieco (São Paulo, SP)


Depois da intervenção, o que virá depois? Vale lembrar que essa medida extrema e emergencial somente poderia produzir algum efeito se viesse acompanhada da mesma proporção de investimentos para a reconstrução da educação para mostrar que outros caminhos são possíveis.

Márcia Lopes Reis, socióloga e professora na Unesp-Bauru (Bauru, SP)


Peço ao general Braga Netto que não deixe de ler o artigo de Oscar Vilhena Vieira. Nele está dito, com clareza e coerência, tudo o que o interventor precisa ter em mente para poder obter êxito na sua hercúlea missão: ...uma polícia mais bem treinada, integrada, honesta, bem paga e que faça extensivo uso de inteligência e tecnologia. Nenhum brasileiro de bem deixará de torcer pelo sucesso dessa medida extrema, porém necessária.

Jarim Lopes Roseira, presidente da seção de São Paulo da International Police Association (São Paulo, SP)


Confesso que me senti entristecido ouvindo o discurso sobre o crime organizado e as quadrilhas que tomaram conta do Rio vindo de um presidente investigado exatamente por suspeita de formação de quadrilha e corrupção.

Otávio de Queiroz (São Paulo, SP)


Eleições 2018

O editorial "A renovação é outra"  foi ao ponto certo. De que adianta um outsider sem experiência política para enfrentar um Congresso que, sabemos, não será tão renovado assim? Para ser presidente agora, é preciso ter estofo e principalmente ter estômago para enfrentar tudo que virá pela frente.

Adauto Levi Cardoso (Sorocaba, SP)


Cristiane Brasil

Lamentável a tentativa de dizer que Cristiane Brasil está sendo impedida de assumir o Ministério do Trabalho por ser mulher ("Cristiane Brasil é vítima dos machistas"). O que está a impedindo são dos processos por irregularidades no contrato de trabalho de ex-empregados, fato inaceitável para quem assumir a pasta.

Dina Elisabete Uliana (São Paulo, SP)


Lula e Zuma

Sobre as semelhanças entre a África do Sul e o Brasil, faltou mencionar que lá o partido de Jacob Zuma exigiu sua renúncia por causa de denúncias de corrupção e cá os partidos elogiam os seus corruptos, ao ponto de chamá-los de heróis do povo brasileiro ("Zuma e os sonhos adiados cá como lá", de Clóvis Rossi).

Jairo Geraldo Guimarães (Santo André, SP)


O convite feito por Hélio Schwartsman em Lula, Zuma e o tribunal interior, para substituir o nome de Lula nos casos do tríplex em Guarujá e do sítio em Atibaia por outros ao gosto do leitor, faz-me pensar na inversão de nomes em um outro imbróglio judicial. O desfecho do aeroporto na cidade mineira de Cláudio (caso arquivado), construído em fazenda particular, teria sido outro se Aécio fosse substituído por Lula?

Túlio José Borges Pereira (Cambuí, MG)


Condenações

O colunista Ranier  Bragon criticou as sentenças dadas ao ex-deputado Eduardo Cunha e ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral, além da conferida ao ex-presidente Lula ("Complexo de pit bulls"). Parece-me uma comparação rasa. O que esses senhores fizeram foi condenar pessoas à morte, o que é bem visível na violência, nas filas e no atendimento hospitalar e no desemprego.

Adilson do Amaral Penteado (Valinhos, SP)


Ressaca

Quanto à reportagem "Bebidas prontas e vitaminas prometem aliviar a ressaca", garantimos a devolução do dinheiro caso o produto não funcione. Não se trata de um complexo vitamínico, ele contém minerais e aminoácidos importantes para a reidratação e ativação dos antioxidantes do organismo. A desidratação é resultante da perda de água e minerais. DetoxEtil repõe os minerais, principalmente, o magnésio que regula os eletrólitos. Por óbvio, fica claro que o especialista consultado foi negligente em seu comentário.

Adelson de Araújo, diretor operacional da DetoxEtil



PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.