Descrição de chapéu

'Finalmente a fila de prisão de poderosos começou a andar', diz leitor

Veja a opinião dos leitores sobre a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

Lula

Agora os homens de bem podem dormir o sono dos justos. Luiz Inácio Lula da Silva está preso!

Rita Lopes (São Paulo, SP)

 

E agora, com a prisão do ex-presidente Lula, obsessão de Sergio Moro e de Deltan Dallagnol, como ficará a Lava Jato? Acabará?

Marcos Barbosa (Casa Branca, SP)

 

Qualquer juiz que propicie meios jurídicos para a saída de Lula da prisão não pode ser considerado um profissional que respeita e se orgulha de sua profissão, que foi mais uma vez enxovalhada por Lula em seu raivoso e mentiroso discurso de condenado amotinado.

José Salles Neto (Brasília, DF)

 

Finalmente a fila de prisão de poderosos começou a andar.

Carlos Gaspar (São Paulo, SP)

 

Pelos domínios dos fatos, convicções e comemorações, a manchete da Folha deveria ser "Acabou a corrupção no Brasil!", certo?

Adilson Roberto Gonçalves (Campinas, SP)

 

A prisão de Lula confirma que nosso país caminha na vanguarda de nações cuja Justiça não privilegia poderosos, sejam políticos ou abonados financeiramente. A prisão de outros poderosos corruptos virá em breve, o que consolidará a missão saneadora da Lava Jato e dará condições para o Brasil avançar.

Cecília Moricochi Morato (São Paulo, SP)

 

O editorial "Cumpra-se a lei"  veio com o título errado. O correto é: "Para os inimigos, cumpra-se a lei". Porque para os amigos Temer, Aécio, Alckmin, Jucá e tantos outros, nem um caminhão de provas, conversas gravadas e delações resultam em condenação. O que é pior: justiça nenhuma ou justiça só para os inimigos dos poderosos?

Adjalma R. da Silva (Belo Horizonte, MG)

 

Olhando as manchetes garrafais dos jornais, vêm à tona a volúpia de um juiz em condenar e prender e a volúpia da mídia em comemorar a prisão. Prato cheio para nossos historiadores: o papel lamentável da mídia tupiniquim em tempos de golpes, que não foram poucos em nossa história. Fico imaginando essa mesma mídia debatendo as eleições de 2018, com Lula fora do páreo. Vergonha nacional e escândalo internacional!

Hélio de Sousa Reis (Guarulhos, SP)

 

O impasse chegou ao seu final, e as torcidas organizadas puderam chorar ou comemorar. Isso é futebol, não é consciência política. Agora torcemos num Palmeiras e Corinthians, em junho torceremos num Brasil e Alemanha, em seguida, nas eleições. Camisetas amarelas, vermelhas e verdes. E o nosso Congresso continuará fazendo o que faz há séculos. Perdemos de novo de goleada.

Arlindo Carneiro Neto (São Paulo, SP)


Gestão Alckmin

É curiosa a condescendência da Folha com Geraldo Alckmin. Ao traçar um panorama da administração do agora ex-governador no editorial "Alckmin, o discreto", não há uma única menção aos muitos e graves escândalos de corrupção que circundam o tucano. Deve ser um deleite ser tão querido na redação do maior jornal do país!

Alex Fabiano Nogueira (São Paulo, SP)

 

Não há como negar que o equilíbrio orçamentário do estado de São Paulo é um feito importante em meio ao fiasco das finanças públicas no Brasil. Porém, isso não garante uma guinada eleitoral de Alckmin, principalmente entre os mais pobres. Ele terá que mostrar uma agenda clara aos eleitores e, claro, preparar-se para questionamentos, nos debates, sobre supostos esquemas de corrupção em obras do Rodoanel e do Metrô.

Ricardo Carvalho (Diadema, SP)


Educação

A reportagem "Mercado de colégios de elite avança no país" mostra que a educação é tratada como relação de consumo. Os equipamentos e ferramentas apregoados deveriam ser postos à disposição de todos pelo Estado, especialmente nas áreas mais pobres. A educação jamais deveria observar a lógica do mercado. A omissão dos governos na valorização da escola pública é talvez a principal causa de desigualdade no Brasil. Quem paga estuda melhor, alimentando um sistema perverso de exclusão. É preciso valorizar a escola pública urgente.

Jairo de Luca (São Paulo, SP)

 

A escola pública somente será valorizada se nós, classe média, colocarmos os nossos filhos para estudar lá e cobrarmos do Estado a qualidade necessária. Enquanto ficarmos apenas no discurso vazio nos comentários da Folha, nada mudará. De qualquer maneira, fico me questionando se essa parafernália toda realmente faz diferença, visto que, se formos levar em consideração os resultados do Pisa, até os alunos de elite estão em um nível inferior aos de outros países.

Simone Rodrigues Martino (Cascavel, PR)


Colunistas

Imparcial e extremamente lúcido o artigo de Antonio Prata. Infelizmente as redes sociais polarizam ideias e vomitam ódio. Sem lucidez e equilíbrio, jamais construiremos um país justo!

Rodrigo Moreira Vieira (São Lourenço, MG)

 

O estilo Rosa Weber fez escola: Antonio Prata oscilou entre a crítica e o elogio a Lula, mas no fim nos brindou com um belo artigo sobre a roubalheira no PT. Falou e disse.

Olga Espinosa Croitor (São Paulo, SP)

 

O artigo de Luís Francisco Carvalho Filho, "A capa do processo" , lavou a alma de todos os que entendem a importância do respeito às normas que regem o Estado democrático de Direito. Em meio a tanta sandice, dá gosto ler texto tão bem elaborado e ao mesmo tempo objetivo, simples e sem afetação.

Eduardo Pizarro Carnelós (São Paulo, SP)

 


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.