Descrição de chapéu A Cidade É Sua

Prefeitura não libera documento para aposentadoria, afirma leitor

Clientes reclamam também do Itaú, dos Correios, da Vivo e da Sky

São Paulo

O leitor Gustavo Gea diz que a Prefeitura de São Paulo atravanca liberação de documento para que ele possa oficializar a sua aposentadoria.

O documento em questão é uma certidão de tempo de contribuição, que foi solicitada em 28 de dezembro de 2017.

Ele afirma que a Ouvidoria pede que seja cadastrada uma reclamação no serviço SP156 para atendê-lo, mas o site não permite esse tipo de cadastro. "Sem o protocolo", diz Gustavo, "a Ouvidoria da Prefeitura nem me 'ouve'. Parece um pesadelo". "É um direito nosso."

Resposta da Secretaria Municipal de Gestão - Informa que o processo foi encaminhado para homologação em 27 de março e que o interessado será comunicado para a retirada, que deve ocorrer nesta semana.


Queixa de Flávio Samara Mendes: serviço não cumprido

O Itaú não realiza o pagamento de seguro de vida conforme previsto. Arrecadou o pagamento do seguro por anos. Agora exige documentos já enviados e gera novos prazos cada vez que um anterior vence.

Resposta do Itaú - Diz que cumpre prazo de 30 dias, conforme normas vigentes da Susep.


Queixa de Flora D'Avila Batalha: encomenda extraviada

Os Correios não entregam encomenda enviada da China em outubro. Ela chegou ao Brasil em 8 de novembro e foi liberada sem taxação três dias depois, mas ainda não foi entregue. Prazo era de 40 dias úteis.

Resposta ​dos Correios - Ignora dado de que encomenda chegou ao Brasil e diz que problema é no país de origem.


Queixa de Cida Borges: cobrança indevida

Vivo envia todas as faturas atrasadas. Com isso, o pagamento é feito atrasado. A fatura mais recente veio com a cobrança da anterior somada, sendo que aquela já foi paga. Companhia foi acionada, mas não resolveu.

Resposta da Vivo - Diz que não localizou anormalidade na entrega da fatura e que enviou códigos por e-mail.


Queixa de Daniela Nogueira: cobrança indevida 2

A Sky cobra por um ponto a mais que não existe. Os terceirizados, ao trocar receptor com defeito, não deram baixa em antigo ponto. A empresa chegou a reconhecer o erro, mas a cobrança voltou a ocorrer.

Resposta da Sky - Diz que questão já tinha sido resolvida e que gerou crédito a ser abatido da próxima fatura.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.