Descrição de chapéu Otavio Frias Filho

Leitores comentam a morte de Otavio Frias Filho, diretor de Redação da Folha

Jornalista, dramaturgo e ensaísta morreu no dia 21 de agosto, vítima de câncer originado no pâncreas

​​Otavio Frias Filho

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Vicky e Joseph Safra, Carlos Sicupira, empresário, Fernando Teles, diretor-geral da Visa no Brasil, Morgan Stanley, Santiago Rubin e Thomas R. Silva, do Goldman Sachs, Alvaro Stainfeld, do MC Capital Group, Ernest Sotomayor e Steve Coll, da Escola de Jornalismo da Universidade Columbia, Álvaro Teixeira da Costa, Ana Amélia, Carlos Fernando Monteiro Lindenberg Neto, Jaime Câmara, Luciana Dummar, Mário Gusmão, Sylvino de Godoy Neto e Walter Mattos, vice-presidentes da ANJ, Guilherme Stoliar, presidente do Grupo Silvio Santos, Gaudêncio Torquato e Luciano Ornelas, da GT Marketing e Comunicação, Gil Torquato, presidente do UOL Diveo, Antônio Carlos Moreira Turqueto, do Grupo Zahran, Roberto Teixeira da Costa, membro honorário do conselho e um dos fundadores do Centro Brasileiro de Relações internacionais, Shigeaki Ueki, ex-ministro de Minas e Energia e ex-presidente da Petrobras, Rubens Ricupero, ex-ministro da Fazenda e do Meio Ambiente, Raquel Cristina Novaes, sócia, e Antonio Souza Corrêa Meyer, sócio fundador do Machado Meyer, Jorge Werthein, assessor especial do Instituto Americano de Cooperação para a Agricultura, Jaime de Paula, presidente da Neoway, Lars Leber, diretor-geral da Intuit no Brasil, Rosana Paixão, da Taler, Antonio Araújo, Carminha F. Góngora e Guilherme Marques, da Mostra Internacional de Teatro de São Paulo, Adriana Garbim, Alex Cardoso de Melo, Beatriz Helena de Miranda, Bennett Nisencwajg, Carlota de Paranaguá Moniz Lima, Claus Vieira, Dionisio Neto, Esteban Malpica, Irene Ravache,  Edison Paes de Melo Filho, Ivone da Cunha Rego, John C. Fowler, Jorge S. Decol, Leonardo Teshima, Luiz Gonzaga Bertelli, Miguel Longo, Ney Lima Figueiredo, Odair Mofato Jr., Ricardo Silveira, Victor Ribeiro, UP Bahia Viagens e Turismo e da Gazeta de Notícias

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Luis Ermírio de Moraes e família, Daniel Feffer, presidente do ICC Brasil, Diretoria da Bunge South America, Gustavo Werneck e Renato Gasparetto, diretor-presidente e diretor de assuntos institucionais, comunicação e responsabilidade social, respectivamente, da Gerdau, Guilherme Cunha Pereira, presidente do GRPCOM, André Hees, editor-chefe d'A Gazeta, do Espírito Santo, Dacio Nitrini, diretor de jornalismo da TV Gazeta, Eduardo Ribeiro, diretor da newsletter Jornalistas & Cia, Laurindo Ferreira, diretor-adjunto de Redação no Sistema Jornal do Commercio, Anna Maria Tuma Zacharias, Ives Gandra Filho, Fabrizio Gueratto, assessor de imprensa e educador financeiro, Teixeira Coelho, coordenador de estudos junto ao Instituto de Estudos Avançados da USP, Paulo Lourenço, ex-cônsul-geral de Portugal em São Paulo, Maria Claudia Bacci, sócia-diretora da Bowler, Fábio Cunha, diretor de relações institucionais e poder público da In Press Porter Novelli, Gustavo Ungaro, controlador-geral do Município de São Paulo, Darlene Dalto, Leandra Peres e Nelson Blecher, jornalistas, Alceu Gandini, Alessandra Marchesi, André Aron, Claudia Santos, Gustavo Costa, Israel Vainboim, Eduardo Jadão, Jayme Barreiros, Lucila Cano, Regina Di Marco, Sarah Coelho, Vagner da Costa Ricardo, Vagner Ricardo, Vera Soares, Vitor Hallack, Vitor Sion, e de João Leiva, Carolina Chagas e equipe da JLeiva Cultura e Esporte. 

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Joaquim Levy, diretor-geral e diretor financeiro do Banco Mundial, Guilherme Piereck, especialista sênior do Banco Interamericano de Desenvolvimento, Milú Villela, presidente do Itaú Cultural, João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça, Ives Gandra da Silva Martins, advogado e professor emérito da Universidade Mackenzie, da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército e da Escola Superior de Guerra, David Feffer, presidente da Suzano Holding, Michael Klein, presidente do Grupo CB, Luiz Lacerda Biagi, empresário, Pius Hornstein, diretor-geral da Sanofi no Brasil, Ogari Pacheco, presidente do conselho diretor do Laboratório Cristália, Raphael de Carvalho, presidente da MetLife no Brasil, Vivien Rosso, superintendente-geral do A.C. Camargo, Rogerio Fasano, empresário e sócio do grupo Fasano, Demian Fiocca, sócio-diretor da Mare Investimentos, Santiago Rey Fernández-Latorre, presidente do jornal A Voz da Galicia, Annette Schwartsman, Douglas Gavras, Elisandra Escudero, Marcelo Xavier de Mendonça e Marcus de Barros Pinto, jornalistas, Isabel Campos, da In Press Porter Novelli, Gesner Oliveira, sócio-executivo da GO Associados, Anaísa Silva, diretora de atendimento da CDI Comunicação Corporativa, Marisa Moreira Salles, sócia-fundadora da Bei editora e do Por quê? Economês em bom português, Regina Esteves, diretora-presidente da Comunitas, João Romeiro Hermeto, economista, e de Geraldo Alonso Filho, presidente do conselho consultivo da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Marisol Argueta de Barillas, diretora de estratégia regional do Fórum Econômico Mundial para América Latina, Jackson Schneider, presidente da Embraer Defesa & Segurança, Victor Pardini, presidente do conselho de administração do Hermes Pardini, Carlos Eduardo Moreira Ferreira, presidente emérito da Fiesp/Ciesp e conselheiro emérito da CNI, Daniel Mendez, presidente da Sapore, Roberto Giannetti da Fonseca, presidente da Kaduna Consultoria, Melissa Vogel, presidente da Kantar Ibope Media no Brasil, Mario Petrelli, fundador e presidente emérito do Grupo RIC PR SC, Marco Cortinovis, da comunicação corporativa internacional de Pirelli & C., Milão, Claudia Antunes, Guilherme Barros, Leandro Martins, Lillian Witte Fibe, Lisleine Uchôa do Lago, Marcelo Beraba, Mauro Zanatta e Sérgio Bourroul,  jornalistas, Antonio Seidl, jornalista e escritor, Luciana Branco, Amanda Aguiar e Larissa Silva, diretora e gestoras, respectivamente, da [ Em Branco ], Waldomiro Carvas Jr., presidente da GWA Comunicação Integrada, Cecilia Loreto Mack, diretora-geral da Agência Comunicado, Paulo Alves, diretor da Comunique Editorial, Gabriela Wolthers, sócia-diretora de contas públicas da FSB, Ana Lúcia Moretto, sócia-diretora da 4Press Comunicação, Graziele do Val, sócia da Communicação Assessoria Empresarial, Cleide Sanchez Rodriguez, gerente de comunicação da Febraban, Patrícia Torres de Melo, relações públicas, Mauro de Salles Aguiar e Hubert Alquéres, diretor-presidente e diretor, respectivamente, do Colégio Bandeirantes, Conselho e Diretoria do Museu Judaico de São Paulo, William Eid Junior, professor da FGV, Ricardo Siqueira Campos, diretor de sustentabilidade e projetos sociais da Fundação Dom Cabral, Edevaldo Alves da Silva, fundador da Advocacia Professor Edevaldo Alves da Silva, Ordélio Azevedo Sette, sócio do Azevedo Sette, e de Pedro Dallari, ex-coordenador da Comissão Nacional da Verdade.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Fersen Lambranho, presidente do Conselho de Administração da GP Investments, Missão Diplomática dos EUA no BrasilManuel Otero, diretor-geral do IICA (Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura), diretoria da Petrobras, Mary Grün, presidente da Sétima Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Alcides Lopes Tápias, sócio da Aggrego Consultores, Alexandre Munck, superintendente da Fundação Dorina Nowill para Cegos, Roberto Nicolsky, diretor-presidente da Protec (Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica), Caco Alzugaray, presidente-executivo da Editora Três, ANJ (Associação Nacional de Jornais), jornal Público, de Portugal, Jota Mape, jornalista, Unic Rio (Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil), Jorge Görgen, gerente de relações com a imprensa para América Latina da CNH Industrial, José Francisco Sánchez, diretor da Fundación Santiago Rey Fernández-Latorre, São Paulo Futebol Clube, e de Abraham Goldstein, presidente da B’nai B’rith no Brasil.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Maria Silvia Bastos Marques, presidente do Goldman Sachs no Brasil, Márcio Schettini, diretor-geral do Itaú Unibanco, Flavio Corrêa, presidente da Brandmotion, Gabriel Portella, presidente da SulAmérica, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, presidente da CNSEG (confederação nacional das seguradoras), Marco Lucchesi, presidente da Academia Brasileira de Letras, Antonio Hermann, presidente da Sociedade de Cultura Artística, Marcelo ReisMarcio Toscani, copresidentes da Leo Burnett, Paulo Camarda, presidente do conselho diretor da Fundação Cásper Líbero e demais funcionários da fundação, João Lara Mesquita, jornalista, Aroldo Cedraz, ministro do Tribunal de Contas da União, 11ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, Marcos da Costa, presidente da seção São Paulo da OAB, João Ricardo de Azevedo Ribeiro, sócio do Mattos Filho, Marcos Camargo, presidente da Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais, Nelson Mussolini, presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo, Luiz Alvaro de Menezes Filho, presidente do Rotary Club de São Paulo, Ruy Pedro de Moraes Nazarian, presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo, Conselho de Administração e diretoria da Klabin S.A.Abratel (Associação Brasileira de Rádio e Televisão), Diretoria do Grupo A Tribuna de Santos, Ricardo Viveiros, presidente da Ricardo Viveiros & Associados – Oficina de Comunicação, Ricardo Madalena, deputado estadual, Fábio Trad, deputado federal, e de Isac Felix, vereador paulistano.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Edison Garcia, presidente do Instituto Nacional do Seguro Social, Sidney Klajner, presidente da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, Guilherme Maradei, presidente da Merck no Brasil, João Tavares, diretor-presidente do Banco Cooperativo Sicredi, Simão Jatene, governador do Pará, Única (União da Indústria de Cana-de-Açúcar), Abílio Baeta Neves, presidente da Capes, Alex Atala, chef e empresário, Marcelo Kheirallah e Valdesir Galvan, presidente voluntário do Conselho de Administração e superintendente-geral, respectivamente, da AACD, Patricia Blanco, presidente do Palavra Aberta, Ulysses Cruz, diretor de teatro, Antônio Donizete Mercúrio, presidente da Câmara Municipal de Franca (SP), Toninho Paiva, vereador, Igor Ribeiro, editor do Meio & Mensagem, Manesco, Ramires, Perez, Azevedo Marques Sociedade de AdvogadosBO Paper, Luz Publicidade, Conteúdo Comunicação, Riot Games, e de Cleinaldo Simões, diretor da Cleinaldo Simões Assessoria de Comunicação. 

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Murilo Riedel, presidente da HDI Seguros, Henio de Nicola, diretor-geral da Mexichem Brasil, Paulo Vandor e Fernando Fernandes, sócios do L.E.K. Consulting, Carlênio Castelo Branco, presidente da Senior, João Carlos Marchesan e José Velloso Dias Cardoso, presidente do Conselho de Administração e presidente-executivo, respectivamente, da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, Rosane Ghedin e Paulo Zuben, presidente e diretor artístico-pedagógico, respectivamente, da Santa Marcelina Cultura, Sérgio Ricardo Pulzatto e Edilson de Siqueira Varejão Júnior, presidente do Conselho de Administração e presidente da diretoria executiva da Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Quarto de Milha, Arnaldo Niskier, membro da Academia Brasileira de Letras, Bemis Latin America, Associação das Administradoras de Meios de Pagamento Eletrônico de Frete, Associação Nacional dos Procuradores Municipais, Centro de Cidadania Fiscal, Instituto Unibanco, The Nature Conservancy, Cartórios de Protesto do Estado de São Paulo, Equipe Cause, LS Comunicação, CM Advogados, Serur Advogados, Diretoria da Porto Seguro, Cláudio Eugênio, jornalista, e de Luís Eblak, chefe da assessoria de imprensa da Câmara Municipal de São Paulo.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Nelson Antônio de Souza, presidente da Caixa Econômica Federal, Armando Ennes do Valle Jr., vice-presidente da Whirlpool, Paulo Vasconcellos Bastian, presidente do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Robson Braga de Andrade, presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), José Ricardo Roriz, presidente da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) e do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), José Romeu Ferraz Neto, presidente do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), João Batista Diniz, presidente da Cebrasse (Central Brasileira do Setor de Serviços), Juan Quirós, presidente da SP Negócios, Alencar Burti, presidente da ACSP (Associação Comercial de São Paulo) e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), Carlos Roberto Siqueira Castro, sócio da Siqueira Castro Advogados, Luiz Perissé Duarte Junior, presidente da Associação dos Advogados de São Paulo, Paulo Hamilton Siqueira Jr., advogado, Ricardo Pedreira, diretor-executivo da Associação Nacional de Jornais, Pedro Luiz Passos, conselheiro da Natura e colunista, Suzana Singer, jornalista e ex-ombudsman, Dennis de Oliveira, professor da Escola de Comunicações e Artes da USP, Mariana Barbosa, jornalista, e de Luís Henrique AmaralErica Benute, sócios da Analítica Comunicação.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Rubens Menin Teixeira de Souza, presidente do Conselho de Administração da MRV, Telma Salles, presidente-executiva da ProGenéricos, Antonio Quintella, presidente da Canvas Capital, Alessandro Horta, presidente da Vinci Partners, Bernardo Guillamon, gerente do Escritório de Alianças Estratégicas do BID, Eduardo Mufarej, empresário e idealizado do RenovaBR, Bernardo Paz, empresário e idealizador do Instituto Inhotim, Gabriel Villela, diretor, cenógrafo e figurinista, Luiz Kignel e Ricardo Berkiensztat, presidente e presidente-executivo, respectivamente, da Federação Israelita do Estado de São Paulo, Michel Schlesinger, rabino da Congregação Israelita Paulista, Ricardo Rozgrin, presidente da Braziliex, Wilson Risolia, presidente da Falconi Consultores de Resultado, José Horácio Halfeld Rezende Ribeiro, presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo, José Nuzzi Neto, presidente do Instituto Brasileiro de Advocacia Pública, Patrick Butler, vice-presidente de programas do International Center for Journalists, Vera Guimarães Martins, jornalista e ex-ombudsman, Alethea Batista, Alon Feuerwerker, Carlos Brickmann e Marcelo Lins, jornalistas, e de Nathan Herszkowicz, diretor-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Café e presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Café do Estado de São Paulo.

 

É com grande pesar que recebi a notícia do falecimento de Otavio Frias Filho. Reconheço seu trabalho inovador e a colaboração deixada como legado para a evolução do jornalismo brasileiro.

Sergio Westphalen Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Gilson Finkelsztain, presidente da B3, Luis Alberto Moreno, presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento, David Grinberg, diretor de comunicação do McDonald’s, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, JBS, Hermes Ferreira Figueiredo, presidente do Semesp, Geraldo Magella, gerente de comunicação corporativa da Fibria, Teresa Vernaglia, diretora-presidente da BRK Ambiental, Thatiane Barbosa, gerente de recursos humanos da FLC, Miguel Torres e João Carlos Gonçalves, presidente interino e secretário-geral, respectivamente, da Força Sindical, Chico Alencar, deputado federal, Guilherme José Purvin de Figueiredo, presidente da Associação dos Professores de Direito Ambiental do Brasil, Marcelo Leite, colunista e ex-ombudsman, Ricardo Kotscho e Luciana Dyniewicz, jornalistas, Xico Sá, escritor e jornalista, Primeira turma de trainees sênior, Rodney Vergili, diretor da Digital Assessoria Comunicação Integrada, Nikita André Boguchevski, diretor da 2um Publicidade Curitiba, Ciro Dias Reis e equipe da Imagem Corporativa, Martha Nowill, atriz e escritora, e de Antonio Cicero, compositor, crítico, poeta e membro da Academia Brasileira de Letras.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Luiz Pretti, presidente da Cargill no Brasil, Luiz Fernando Furlan, chairman do Lide, Vera Brandimarte, diretora de Redação, e equipe de jornalistas do Valor Econômico, Elvira Lobato e Eliane Cantanhêde, jornalistas, Junia Nogueira de Sá, ex-ombudsman, Josias de Souza, blogueiro do UOL, Laura Carvalho, Maria Inês Dolci, Paulo Vinícius Coelho, Reinaldo Azevedo, colunistas, Miguel de Almeida, escritor e jornalista, Ico Victorio, subsecretário de comunicação do governo de Mato Grosso do Sul, Maria Inês Fornazaro, presidente da ABO Nacional, Apro (Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais), BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), BGR Advogados, BrazilLAB, Neodent, Equipe SKY, LBV (Legião da Boa Vontade), Thomaz Srougi, presidente do dr.consulta, Victor Oliva, presidente da Holding Clube, Tarcísio Takashi Muta, presidente da Fundação Ezute, Pedro Corrêa do Lago, editor e historiador, e de David Lerer, ex-deputado federal.

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Otto von Sothen, presidente do Grupo Tigre, Edson Franco, presidente da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, Angela Costa, presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Flavio Amary, presidente do Secovi-SP (Sindicato da Habitação), José Rogério Cruz e Tucci, professor titular da Faculdade de Direito da USP, Cássio Clemente, presidente do Conselho de Administração da Apae de São Paulo, Mario D’Andrea, presidente da Associação Nacional das Agências de Publicidade, Grupo RMADFREIRE Comunicação, André Lahóz Mendonça de Barros, diretor de Redação da Exame, Bernardo Ajzenberg, escritor e ex-ombudsman, Laura Carvalho, colunista, Leonardo Sakamoto, jornalista, Cassiano Elek Machado, diretor editorial da Planeta Brasil, Pedro Fernandes de Melo, diretor do Grupo Mídialog, e de Samir Yazbek, diretor e dramaturgo. ​ 

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Rubens Ometto Silveira Mello, presidente do Conselho de Administração da Cosan, Wilson Mello e João Dornellas, presidente do Conselho Diretor e presidente-executivo, respectivamente, da Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação), Juca Kfouri, colunista, Daniel Bramatti, presidente da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo), Percival de Souza, comentarista da RecordTV, Paulinho da Força, deputado federal e presidente nacional do Solidariedade, Tereza Cristina, deputada e presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária, MBL (Movimento Brasil Livre), Laura Laganá, diretora-superintendente do Centro Paula Souza, Marcia Hirota, diretora-executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, Alline Cezarani, diretora-executiva do Hospital Santa Catarina (SP), Edvandir Felix de Paiva, presidente da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, e de Paulo Movizzo, presidente do Sindicato dos Clubes do Estado de São Paulo.

 

O falecimento de Otavio representa uma grande perda para o jornalismo no Brasil. Ele foi um combatente incansável da liberdade de imprensa a serviço do Estado de Direito.

Brieuc Pont, cônsul-geral da França em São Paulo

 

Um grande jornalista, transformador de um grande jornal, o maior de nossa língua comum. De cada vez que, em Portugal, o Diário de Notícias publicar mais uma reportagem da Folha, estará a cumprir um desejo de Otavio Frias Filho —não o esqueceremos.  

Ferreira Fernandes, diretor do Diário de Notícias, de Portugal 

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de
Cacá Diegues, cineasta, Guilherme Boulos, candidato à Presidência da República, José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, Aldo Rebelo, ex-ministro da Defesa, da Ciência e Tecnologia e dos Esportes, Alex Manente, líder do PPS na Câmara, Ivan Valente, líder do PSOL na Câmara, Alessandro Molon e Luiz Carlos Hauly, deputados federais, Luciana Santos, presidente nacional do PC do B, Paulo Maluf, ex-prefeito de São Paulo e ex-governador paulista, RenovaBR, Prefeitura de São Paulo, Arquidiocese de São Paulo, e de Francisco Christovam, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo. 

 

Perde o jornalismo brasileiro um de seus grandes nomes.

Nelson Sirotsky, membro do Conselho de Administração do Grupo RBS

 

Além de acompanharmos a atuação ímpar de Otavio Frias Filho à frente da Folha e seu papel de relevância em momentos importantes da história recente do Brasil, tivemos a grata oportunidade de conviver com sua figura de extrema inteligência e cavalheirismo em ocasiões que, agora, parecem-nos de rara oportunidade. Estamos certos de que sua presença entre nós engrandeceu o país e o mundo com sua ética e compromisso com a verdade e o bem do ser humano.

Roberto Kalil Filho, presidente do Conselho Diretor do Incor, Fabio Biscegli Jatene, vice-presidente do Conselho Diretor do Incor

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Juarez Quadros do Nascimento, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações, Alexandre Ruschi, presidente da Central Nacional Unimed, Edison Simoni, reitor da Fecap, Domingos Meirelles, presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Renato Zaiden, presidente da Associação Paulista de Jornais, Carlos Eduardo Lins da Silva, jornalista e ex-ombudsman, Gilberto Dimenstein, jornalista, Renato Machado, cartunista, Serginho Groisman, apresentador de TV, Nilton Bicudo, ator e diretor de teatro, Fábio Meirelles, presidente da Faesp (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo), Felipe Santa Cruz, presidente da OAB do Rio de Janeiro, Ruy Altenfelder, presidente da Academia Paulista de Letras Jurídicas, CAASP (Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo),  Heloisa Bedicks, superintendente geral do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, Ivã Molina, provedor da Santa Casa de São José dos Campos, Bienal de São Paulo, Câmara Brasileira do Livro, e de Bruno Brandão, diretor-executivo da Transparência Internacional - Brasil.

 

Conheci pouco o Otavio, mas foi por meio do seu fundamental papel à frente da Folha que aprendi a conhecer esta cidade, este estado e, por que não, o nosso Brasil. Fará muita falta.

Pedro Moreira Salles, copresidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco

 

Devemos a Otavio uma lição e um legado para esses tempos difíceis no Brasil: democracia, conhecimento, senso crítico, respeito à pluralidade.

Antônio Britto, ex-ministro da Previdência e ex-governador do Rio Grande do Sul  

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Pedro Thompson, presidente da Estácio, Rodrigo Galindo, presidente da Kroton, Renato Meirelles, presidente da CAF no Brasil, João Martins da Silva Junior, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, Nelson Barbosa, ex-ministro da Fazenda e do Planejamento e colunista, Bruno Blecher, diretor de Redação de Globo Rural, Caio Túlio Costa, jornalista e ex-ombudsman, Laerte, cartunista, Alexandre Schwartsman, colunista, Diogo Mainardi, jornalista, Alvaro Dias, candidato à Presidência da República, Maria Manoella, atriz, Durval de Noronha Goyos JR., presidente da União Brasileira de Escritores, Alê Youssef, produtor cultural, e das editoras Companhia das Letras, Objetiva, Perspectiva e Todavia.

 

Responsável pela implantação do Projeto Folha, que modernizou o diário e o tornou o mais vendido do país, Otavio deixa um legado de profissionalismo e pluralidade. Assim como seu saudoso pai, será sempre lembrado como um dos grandes nomes da comunicação brasileira. 

Sergio Rial, presidente do Santander Brasil

 

Difícil explicar a importância de Otavio para a mídia —e, portanto, para toda a mentalidade— de nossa época. Tinha um dos melhores textos de minha geração. Se duvida, basta ler os extraordinários ensaios publicados em “Queda Livre”. E era —como tive oportunidade de lhe dizer— o caso mais flagrante que conheci de grande talento para a dramaturgia, sem nenhuma vocação. Humores e política à parte, era doce e de uma inteligência cativante, para os poucos que deixava se aproximarem. 

Aimar Labaki, diretor e dramaturgo

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Michael McKinley, embaixador dos Estados Unidos, Vijay Rangarajan, embaixador do Reino Unido, Seyed Ali Saghaeyan, embaixador do Irã, Yasushi Noguchi, cônsul-geral do Japão em São Paulo, Celso Lafer, ex-ministro das Relações Exteriores e professor emérito da Faculdade de Direito da USP, Fernando Haddad, candidato a vice-presidente da República, João Amoêdo, candidato à Presidência, João Doria, candidato a governador do estado de São Paulo, José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, Mário Magalhães, jornalista e ex-ombudsman, Cristovão Tezza, escritor e colunista, Demétrio Magnoli, colunista, André Petry, diretor de Redação da revista Veja, e de Jacob Pinheiro Goldberg, psicanalista.

 

Uma perda precoce e lamentável. Perde o jornalismo, perde o Brasil.

Paulo Caffarelli, presidente do Banco do Brasil

 

O jornalista deixa um exemplo de dedicação ao trabalho desenvolvido em toda a sua carreira, com ética e profissionalismo. Foi um dos criadores do jornalismo moderno e defensor incansável da liberdade de imprensa.

Frederic Zoghaib Kachar, presidente da Aner (Associação Nacional dos Editores de Revistas)

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Nivaldo Luiz Rossato, comandante da Aeronáutica, Rodrigo Rollemberg, governador do Distrito Federal, Mansueto Almeida, secretário do Tesouro Nacional, Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, Carlos Siqueira, presidente nacional do PSB, Davi Depiné, defensor público-geral de São Paulo, Milton Leite, presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Octavio Aronis, advogado e diretor da Confederação Israelita do Brasil, Modesto Carvalhosa, professor aposentado da Faculdade de Direito da USP, Fernando Eduardo Serec, presidente-executivo do TozziniFreire Advogados, Fernando Mitre, diretor de jornalismo da Band, Carlos Alberto Di Franco, jornalista e vice-presidente do ISE Business School, Renata Lo Prete, jornalista e ex-ombudsman, Marta Gleich, diretora de jornalismo de jornais e rádios do Grupo RBS, Mônica Waldvogel, jornalista, e de Ronaldo Bressane, escritor.

 

A abordagem objetiva e apartidária da política, da economia e da cultura que ele imprimiu trouxe prestígio e reconhecimento para o jornal. Ele deixa seu nome gravado na história da imprensa nacional. Sob seu comando, a Folha se tornou um dos mais influentes diários do hemisfério Sul. 

Márcio França, governador de São Paulo

 

Como assinante da Folha há muitos anos e leitora voraz de jornais, mergulhei nos inúmeros artigos sobre Otavio. Diversos no enfoque, na autoria, no grau de relacionamento, no estilo, há algo comum em todos que possibilita construir uma imagem coerente da pessoa retratada. Não é usual que isso ocorra. Para mim, é revelador de algo que chamo de caráter, integridade, inteireza. Os escritos revelam ainda uma mente curiosa e corajosa, uma inteligência brilhante e uma enorme capacidade de trabalho.

Maria Thereza Marcílio (Salvador, BA)

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Pedro Parente, presidente do Conselho de Administração e presidente-executivo global da BRF, Paulo Cesar de Souza e Silva, presidente da Embraer, Murilo Portugal, presidente da Federação Brasileira de Bancos, Gilberto Xandó, presidente da Vigor, Marcos Molina dos Santos, presidente do Conselho de Administração da Marfrig, Marcus Sanchez, vice-presidente Institucional da EMS, Teté Bezerra, presidente da Embratur, Miguel Reale Júnior, advogado e ex-ministro da Justiça, Dalton Pastore, presidente da ESPM, Amilcare Dallevo, presidente da Rede TV!, Roberto Gazzi, diretor de jornalismo do jornal Correio da Bahia, Valéria Perito, sócia-diretora da Ketchum, Caio Blinder, jornalista, Bob Wolfenson, fotógrafo, Dan Stulbach, ator, Zeca Camargo, apresentador de TV e colunista, Fernando Grostein Andrade, cineasta e blogueiro, Leide Jacob, cineasta e produtora cultural, e de Carlito Carvalhosa, artista plástico. 

 

O Brasil e o jornalismo brasileiro, em especial, perderam um dos mais atuantes e instigantes de seus líderes. Líder inconteste da Folha, foi um dos mais argutos interlocutores da cena nacional. Era um homem reservado, correto, talentoso e corajoso. Fará falta ao país, à sua família, ao jornalismo e à democracia.

Eunicio Oliveira, presidente do Senado e do Congresso Nacional

 


Conheço Otavio desde moleque, nossas famílias eram amigas, então fico profundamente triste pelo lado pessoal e profissional. O Brasil perde uma ótima pessoa, um grande jornalista e empresário. Conseguiu atravessar tormentas com dignidade. Vai fazer muita falta.

João Carlos Saad, presidente do Grupo Bandeirantes de Comunicação

 


A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Ivan Monteiro, presidente da Petrobras, Carlos Marinelli, presidente do Grupo Fleury, Carlos Kawall, economista-chefe do Banco Safra e ex-secretário do Tesouro, Paulo Wanderley, presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Floriano de Azevedo Marques Neto, diretor da Faculdade de Direito da USP, Claudio Lamachia, presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Jayme de Oliveira, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros, Fernando Marcelo Mendes, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil, Paulo Prazak, presidente do Tribunal de Justiça Militar do Estado de São Paulo, e de João Luiz Faria Netto, presidente do Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária. 

 

A imprensa brasileira perde um de seus ícones, que revolucionou um jornal que já era importante quando ele assumiu. Ele teve iniciativas revolucionárias, como o “Manual da Redação”, que é uma referência. Ele deixa um legado importantíssimo. A Folha não é apenas um veículo de comunicação, é um conceito de qualidade de conteúdo.

Luiz Claudio Costa, presidente da TV Record

 

Otavio estava entre os poucos grandes publishers que puseram sua alma, junto com a sua fortuna, a serviço do jornalismo de mais alto padrão, investindo nos melhores profissionais. Poucos alcançaram isso. Não conheço ninguém, além de Katharine Graham, que tenha, tão dramaticamente e com tanto sucesso, ajustado seus ritmos pessoais às demandas de uma missão tão importante no jornalismo.

Charles Eisendrath, ex-diretor do Knight-Wallace Fellowship  

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Laurita Vaz, presidente do Superior Tribunal de Justiça, Gianpaolo Smanio, procurador-geral de Justiça de São Paulo, Cauê Macris, presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Campos Machado, deputado estadual, ACM Neto, prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, Alexandre Barreto, presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, Aécio Neves, Ana Amélia, Antonio Anastasia, Armando Monteiro, Cristovam Buarque, Edison Lobão, Eduardo Braga, Fernando Bezerra Coelho, Humberto Costa, José Agripino, Kátia Abreu, Paulo Bauer, Raimundo Lira, Randolfe Rodrigues, Romário, Romero Jucá, Ronaldo Caiado, Simone Tebet, Tasso Jereissati, Valdir Raupp e Vanessa Grazziotin, senadores. 

 

O Brasil perdeu o maior jornalista de sua geração, sem medo de ousar e sem se intimidar diante dos obstáculos que encontrou pelo caminho. Soube conduzir muito bem o desafio de assumir, desde cedo, o comando da Redação da Folha e pôs o jornal em um nível ainda mais elevado de prestígio e credibilidade. Deixa um legado importante para a história do jornalismo no Brasil.

Roberto Setubal, copresidente do Conselho de Administração do Itaú Unibanco

 

Otavio foi um defensor das grandes causas brasileiras: a democracia, o debate franco, a informação de qualidade. Deixa um legado imenso ao jornalismo e ao Brasil. 

Giancarlo Civita, presidente do Conselho de Administração do Grupo Abril

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Marco Aurélio de Mello, Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Rosa Weber e Alexandre de Moraes, ministros do Supremo Tribunal Federal, Raquel Dodge, procuradora-geral da República, Ali Kamel, diretor-geral de jornalismo da TV Globo, Alexandre Baldy, ministro das Cidades, Aloysio Nunes Ferreira, ministro das Relações Exteriores, Eduardo Guardia, ministro da Fazenda, Gilberto Kassab, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Moreira Franco, ministro das Minas e Energia, Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, Rossieli Soares, ministro da Educação, Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura, Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores, Paulo Câmara, governador de Pernambuco, e de Paulo Hartung, governador do Espírito Santo.

 

Com talento, ousadia e iniciativas fundadas na pluralidade de ideais e liberdade de comunicação, Otavio deixou uma marca na imprensa brasileira. Sensível às questões da saúde, foi grande parceiro do Icesp (Instituto do Câncer do Estado de São Paulo), incentivando a produção de conhecimento nacional na prevenção e combate da doença.

Marco Antonio Zago, secretário de Estado da Saúde de São Paulo

 

Desejo muito sucesso a Maria Cristina Frias na função de diretora de Redação da Folha e diretora editorial do Grupo Folha. “Fugir para a frente” é a melhor maneira de a Folha ser a Folha, como disse Otavio Frias Filho.

Ricardo Patah, presidente nacional da UGT (União Geral dos Trabalhadores)

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Maria Arminda do Nascimento Arruda, socióloga e diretora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, Raul Cutait, professor da Faculdade de Medicina da USP, Silvana Muraro Wildner, vice-reitora da Unochapecó (Universidade Comunitária da Região de Chapecó), Jonas Donizette, prefeito de Campinas e presidente da Frente Nacional de Prefeitos, Nabil Bonduki, ex-vereador de São Paulo pelo PT, Pedro Tobias, deputado estadual e presidente do Diretório Estadual do PSDB-SP, Angelo Oswaldo de Araújo Santos, secretário de Cultura de Minas Gerais, Priscila Cruz, presidente-executiva do movimento Todos Pela Educação, Erasmo Carlos Battistella, presidente do Conselho de Administração da Aprobio (Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil), Luiz Antonio França, presidente da Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), Osmar Roncolato Pinho, presidente da Abel (Associação Brasileira das Empresas de Leasing), e de Claudia Rondon e Carlos Carvalho, presidente do Conselho Diretivo e presidente-executivo, respectivamente, da Abracom (Associação Brasileira das Agências de Comunicação). 

 

As homenagens que estão sendo prestadas a Otavio Frias Filho e as manifestações dos representantes dos mais diferentes segmentos sociais demonstram que ele, com sua forma de atuar, conquistou um espaço muito importante no jornalismo. Permanecerá como um símbolo e certamente será sempre será respeitado.

Uriel Villas Boas (Santos, SP)

 

Otavio fará falta. Ele tinha talento e profissionalismo ímpar para o desempenho do bom jornalismo. Mas tenho certeza de que a Folha continuará grande, importante e necessária à defesa da democracia e à liberdade de imprensa, principalmente pelas bases sólidas nas quais o jornal se ergueu, que ele próprio ajudou a construir.

Romeo Nogueira (Itajaí, SC)

 

O país fica engrandecido e agradecido pelo exemplo de Otavio Frias.

Thales de Azevedo Filho (Salvador, BA)

 

Estive uma única vez com Otavio. Foi num tribunal, fins de 1990. Numa sala, ele e eu, a olhar um para o outro. Ele: “Você é o Loyola?”. Eu: “E você o Frias? Estamos aqui na mesma causa? O Zé Celso?”. Ele: “Uma bobagem. Conhece o padre de Araraquara que o processou?”. Eu: “Um pau mandado por carolas”. Ele: “Depois desta o Zé devia fazer uma peça sobre a intolerância”. Eu: “Por que você não faz?”. Ele foi chamado. Ao sair, contou que o juiz pediu desculpas por estar perdendo o tempo dele e da Justiça.

Ignácio de Loyola Brandão, escritor e jornalista 

 

Lendo todos os relatos, vejo que ele fica conosco, cada um irá lembrá-lo a seu modo e seguirá com o que nos ensinou e compartilhou.

Eliane Stephan, comunicadora visual

 

Que o exemplo de Otavio como diretor de Redação de um dos veículos mais plurais deste país seja motivo de orgulho para os colegas e torne-se referência para a posteridade.

Jose Roberto Marmo Loureiro, presidente da Laureate Brasil International Universities

 

A presença e inteligência de Otavio Frias Filho iluminaram nossas vidas diariamente na condução de um dos jornais mais importantes do planeta. Somos gratos de termos estado no mesmo tempo que ele por aqui.  

José Manuel Diogo, diretor de Negócios Internacional da Global Media Group

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil, Juliana Azevedo, presidente da P&G Brasil, Wilson Ferreira Junior, presidente da Eletrobras, David Díaz, presidente da Arteris, Sergio Leite, presidente da Usiminas, Miguel Setas, presidente da EDP Brasil, Milton Rego, presidente-executivo da Abal (Associação Brasileira do Alumínio), Guilherme Quintella, presidente da EDLP, Luciano Coutinho, ex-presidente do BNDES, Anafe (Associação Nacional dos Advogados Públicos Federais), Alfredo Attié, presidente da Academia Paulista de Direito, Cleto Baccic, presidente do Atelier de Cultura, Antonio Batista da Silva Junior, presidente da Fundação Dom Cabral, Floriano Pesaro, deputado federal, Adriana Chiarini, jornalista, Partners Comunicação Integrada, Página 1 Comunicação, e de Sergio Poroger, diretor da SPMJ Comunicação.

 

Anos atrás, assisti a uma entrevista do Otavio e pensei: como alguém tão educado, com esse discernimento e visão do Brasil pode dirigir um jornal como a Folha? Naquele tempo, eu pensava que a Redação era uma pancadaria só entre esquerda e extrema esquerda. Hoje, penso diferente, embora não muito. Esta é a maior perda: a capacidade, exercida com humildade, de conter os extremos e cavalgar com habilidade, levando o jornal para a frente. A Folha tem um desafio: não deixar órfãos seus leitores.

Abelardo Pádua Melo Filho (Barueri, SP)

 

Conheci Otavio na década de 1970, participamos juntos do renascer do movimento estudantil, num período em que não era fácil ser contra a ditadura,  e nos tornamos amigos. Otavio foi uma pessoa brilhante, um grande brasileiro e profissional de imprensa, tendo ficado para história como um dos condutores da grande reforma editorial pela qual a Folha passou à época, assumindo o papel de ser um dos principais jornais do país.

Luiz Antonio Guimarães Marrey, procurador de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo  

 

Na semana passada, o jornalismo latino-americano sofreu uma grande perda. Otavio foi um magnífico jornalista, ótima pessoa e um líder carismático de um dos principais jornais da América Latina. 

Jaime Abello Banfi, diretor-geral da Fundação Gabriel García Márquez para el Nuevo Periodismo Iberoamericano

 

Tive a oportunidade de ser colega de Otavio Frias na São Francisco e de conviver com ele. Em setembro do ano passado, tivemos a conversa mais calorosa dos últimos tempos. Além de ser o grande responsável pela mudança do jornalismo brasileiro, com as inovações na Folha, transformando-a no mais importante jornal do país, Otavio era um amigo sempre a postos. Estamos todos muito tristes e já sentindo sua falta.

Fabio Feldmann, ex-deputado Constituinte e ex-presidente da Fundação SOS Mata Atlântica

 

Otavio deixa um importantíssimo legado para o jornalismo brasileiro de preocupação constante com o pluralismo e independência, que garantiram à sociedade informação de qualidade, fazendo com que a Folha se tornasse um jornal tão respeitado no Brasil e no mundo. 

Roberto Livianu, promotor de Justiça e Presidente do Instituto Não Aceito Corrupção

 

A Folha agradece as manifestações de pesar pela morte de Otavio Frias Filho recebidas de Carlos Velloso, advogado e ex-presidente do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral, Alberto Goldman, ex-governador de São Paulo, Paulo Alexandre Barbosa, prefeito de Santos, Mágino Alves Barbosa Filho, secretário da Segurança Pública de São Paulo, Walfrido dos Mares Guia, empresário, professor e ex-vice-governador de Minas Gerais, Danilo Miranda, diretor regional do Sesc São Paulo,  
Jézio Hernani Bomfim Gutierre, diretor-presidente da Fundação Editora da Unesp, Jorge Peres, diretor-presidente da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, Paulo Tonet Camargo, presidente da Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), Daniela Manique, presidente do Grupo Solvay na América Latina, Leonardo Gadotti, presidente-executivo da Plural, e de João Carlos Mello, presidente da Thymos Energia.

 

Lamentamos o falecimento de Otavio Frias Filho. Seu protagonismo na imprensa brasileira é inegável, pela qualidade da sua realização e pelo seu brilho intelectual. Foi um homem transformador. A vida que logrou construir honra a memória do seu pai, o saudoso Octavio Frias de Oliveira.

Lázaro de Mello Brandão, presidente das empresas controladoras do Bradesco

 

Galeria
Mídia estrangeira noticia morte de Otavio Frias Filho
Mídia estrangeira noticia morte de Otavio Frias Filho
Reportagens abordam carreira do diretor de Redação da Folha de S.Paulo
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.