'Futura ministra da Mulher tem uma visão completamente ingênua', diz leitor

Damares Alves afirmou que meninas devem ser tratadas como princesas e meninos, príncipes

Movimentações atípicas

A explicação dos envolvidos está demorando demais, o que aumenta a suspeita (“Imagem e poder”, de Bruno Boghossian). Inocentes quando são acusados correm para prestar esclarecimentos, procuram a Justiça e até a mídia. Trata-se de um mau início para um governo que se elegeu prometendo combate à corrupção.

Alan Moacir Ferraz (São Sebastião, SP)

 

Acredito na honestidade do senador eleito Flávio Bolsonaro e tenho convicção de que seu pai, Jair, é honesto, sobretudo porque nada foi apresentado que o desabone, apesar da sanha de seus opositores em tentar, pelo menos, fazer crer que o presidente eleito não seja honesto (“Após Bolsonaro falar em ‘pagar conta de erro’, filho diz não ter feito nada errado”).

Manoel Passos (Brasília, DF)

Futura ministra da Mulher

Marta Suplicy voltando a ser Marta Suplicy.  Concordo com tudo o que ela diz no texto “Em que mundo vive Damares?”. Onde estão as mulheres do movimento #EleNão? Não vão protestar? Que tal um movimento #ElaNão? Quero ver quando a pastora chegar à questão indígena. Acredito que até Bolsonaro esteja surpreso com tanta “ideologia”.

Luiz José de Souza (São Paulo, SP)

 

Marta Suplicy, ao escrever sobre a futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, age como se a sua própria carreira política fosse um bom exemplo para todos. Seria ótimo se as pessoas olhassem um pouco para o seu próprio comportamento antes de apontar o dedo acusador.

Tabajara Novazzi, advogado (São Paulo, SP)

 

A futura ministra tem uma visão completamente ingênua e infantil e a sua percepção de mundo não vem da realidade, mas de contos de fadas. Mulheres não querem ser tratadas como o sexo frágil, como princesas, mas como seres fortes, inteligentes e realizadores que são. Não querem ser inferiores nem superiores aos homens, querem apenas igualdade (“Contra aborto, futura ministra defende proposta de pensão a vítima de estupro”).

Sandro Oliveira de Carvalho (Curitiba, PR)

Índios

Deixemos os índios isolados em paz! É o melhor que podemos fazer por eles, por nós e pela humanidade (“Bolsonaro e os índios isolados”).

Walter Neves (São Paulo, SP)


Colágeno

Lamentamos que uma representante de uma entidade médica dissemine mitos sobre suplementos de colágeno, como publicado na seção Saúde Responde (“Como deixar a pele mais firme? Suplementos ajudam?”). O colágeno dá elasticidade à pele e sua produção pelo corpo se reduz com os anos. Mas passar cremes não aumenta o colágeno da pele. A proteína é grande demais para entrar na célula e fica espalhada do lado de fora. Se ingerido, o colágeno é desmontado pela digestão e não chega à pele. Ingerir colágeno só deixará a pessoa com rugas e mais pobre.

Alicia Kowaltowski, professora de Bioquímica do Instituto de Química da USP, e Natália Pasternak, presidente do Instituto Questão de Ciência


Ilustrada, 60

Parabéns pelos 60 Anos da grande Ilustrada. Lembro que, nestes 60 anos, meu falecido pai lia o jornal inteiro durante o dia e deixava para degustar a Ilustrada quando ia para a cama. Não dormia sem esse ritual!

Sergio Poroger (São Paulo, SP)


Visita à Folha

Gostaria de agradecer ao jornal pelo evento com os leitores. Achei muito bacana e gostei muito da seção de perguntas e respostas, assim como de ter tido a oportunidade de conhecer a Redação (“Leitores visitam a Folha e encontram colunistas”). Eu me tornei mais fã ainda desta Folha.

José Carlos Pacheco da Cunha Filho, engenheiro mecânico (Santo André, SP)

 

Muito obrigada pelo convite para visitar o jornal. Foi incrível. Espero que tenhamos outras noites como a de terça-feira (12). E vida longa ao jornalismo neste momento incerto.

Danielle Vieira (São Paulo, SP)


Corrupção

Tem razão o procurador-geral do Ministério Público, Gianpaolo  Smanio (“A corrupção e os direitos sociais”). Devemos juntar esforços para a criação de mais instrumentos legais de combate à corrupção. Um deles seria transferir ao réu o ônus de comprovar a origem lícita de seu patrimônio. Seria interessante que o Ministério Público atuasse também com independência política e religiosa. Afinal, existe para defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis.

Maria Consuelo A. Jóia (Ouro Fino, MG)


Meio ambiente

Com o afrouxamento ou até extinção das multas do Ibama, o maior bioma do mundo, a maior diversidade de flora e fauna do planeta, sucumbirá nas mãos de madeireiros, de garimpeiros e de traficantes de plantas e animais (“Multas ambientais são extorsivas e há capricho de fiscais, diz Bolsonaro”).

Sidnei Esbizera (Belo Horizonte, MG)


Governo Temer

Sempre tive a impressão de que o governo Temer foi mal avaliado e que, tardiamente, a história reconhecerá seus méritos, principalmente considerando o caos político e econômico em que começou a governar. Pena que não teve mais tempo para que a população percebesse que estava no caminho certo, que o governo de Bolsonaro herdará e terá a oportunidade de dar seguimento (“Legados, de Matias Spektor).

Orlando Ferreira Barbosa (Belo Horizonte, MG)


Concorrência

O Grupo Atem esclarece: somos um grupo ético, respeitamos a livre concorrência e obedecemos às normas contábeis, fiscais e tributárias correntes (“Vencedora de leilão da Eletrobras trava disputa com gigantes de combustíveis”). Obtivemos benefício fiscal concedido a empresas sediadas na Zona Franca de Manaus, conforme o Decreto-Lei 288/67 e o acordo vigente do GATT, além de pareceres favoráveis na Justiça. Quando comercializamos produtos para fora da ZFM, recolhemos tributos normalmente. Durante a vigência da liminar contribuímos com mais de R$ 325 milhões de PIS e Cofins.

Antônio Sampaio Neto, gestor jurídico do Grupo Atem


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.