Permanência do ministro do Turismo revela dois pesos e duas medidas, diz leitor

Leitores enxergam mesmo 'tipo ilícito' que motivou exoneração de Gustavo Bebianno

Queda de Bebianno
Parabéns à Folha e a todos os jornalistas envolvidos, em especial Ranier Bragon e Camila Mattoso (“Caso dos laranjas do PSL leva à primeira queda de ministro de Bolsonaro”, Poder, 18/2)). Que o efeito dominó, já que não podemos contar com o TSE e o MP, derrube Marcelo Álvaro Antônio e Luciano Bivar.
José Roberto Pereira (Curitiba, PR)
*
O ex-ministro Gustavo Bebianno deveria ter lido ou lembrado Augusto dos Anjos: “A mão que afaga é a mesma que apedreja”.
José Roberto Machado (São Paulo, SP)

*
E Marcelo Álvaro Antônio? Mesmo tipo de ilícito com desvio de dinheiro público! Dois pesos, duas medidas? Cadê a coerência, cadê a nova política? Exoneração de Marcelo Álvaro Antônio já!
Rafael Bluhm (Rio de Janeiro, RJ)

O deputado Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) toma posse no plenário da Câmara dos Deputados
O deputado Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) toma posse no plenário da Câmara dos Deputados - Pedro Ladeira - 6.fev.2019/Folhapress


*
Tem que continuar a investigação, tem muita sujeira embaixo desse tapete. Tem muita laranja podre para cair ainda. Segue a ópera-bufa!
Indi Almeida (Rio de Janeiro, RJ)


Novos áudios
Se há provas que desmentem presidente e vereador, quanto à afirmação de que Bebianno é mentiroso, o presidente e o vereador mentiram (“Áudios confrontam versão de Bolsonaro sobre conversa com Bebianno”, Poder, 19/2). Muito grave. 
Dermival Pereira de Macedo (Barueri, SP)


Prisão de Paulo Preto
A Operação Ad Infinitum prendeu, pela terceira vez, o engenheiro Paulo Preto (“Lava Jato dribla Gilmar Mendes ao levar Paulo Preto para Curitiba”, Poder, 19/2). Como das duas primeiras vezes ele recebeu habeas corpus, concedido por Gilmar Mendes, o nome escolhido para a nova fase da Lava Jato parece ser alusão à obstinação com que os defensores do cumprimento das leis perseguirão tal intento, dificultando que a justiça seja feita e que malfeitores sejam punidos.
Marcelo Gomes Jorge Feres (Rio de Janeiro, RJ)

Cabos e carregadores de celular no closet de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, que não tinha nenhum celular na casa
Cabos e carregadores de celular no closet de Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, que não tinha nenhum celular na casa - Polícia Federal/Divulgação


*
Folha, por favor, pare de dar palco para o Deltan Dallagnol. Ele, há tempos, deixou de exercer sua função constitucional para atuar politicamente. Em nome da moralidade, passa por cima do Estado democrático de Direito. 
Marcos Valente Carvalho da Silva (Brasília, DF)
*
Colocar R$ 100 milhões para tomar sol, aí já é demais (“‘Paulo Preto guardava R$ 100 milhões em bunker’, disse delator à Lava Jato”, Poder, 19/2). Esse Paulo Preto é muito cara de pau!!!”
Arcângelo Sforcin Filho (São Paulo, SP)
*
Fico pensando quantos apartamentos, porões, caixas-fortes, há espalhados por aí guardando dinheiro vivo de santos, probos e inocentes.
Juarez Linhares de Souza (São Paulo, SP)


Padre católico gay
O padre dizer que é gay e celibatário é instigante. Hoje ele pode estar celibatário, mas amanhã pode ter affair com alguém (“Não é um armário, é uma gaiola”, diz padre católico gay sobre a igreja nos EUA”, Mundo, 19/02). Nenhum clérigo é de fato celibatário, porque isso vai contra as necessidades humanas —nem santo aguenta. Muita hipocrisia da Igreja Católica.
Marly Pigaiani Leite (Ubatuba, SP)


Reajuste no IPTU 
Os administradores públicos, por serem incompetentes, têm como aforismo: governar é aumentar impostos (“Prefeitura assume falha e IPTU pode superar 50% de reajuste”, Cotidiano, 19/2). Isso é ranço do colonialismo. São Paulo cobra absurdo de imposto do paulistano, e locadoras alugam carros aqui, entopem o trânsito e pagam impostos em outro estado.
Neli Faria (São Paulo, SP)
*
Só erram contra os contribuintes!!!
Henderson Verona (São Paulo, SP)


Reforma da Previdência
Engraçado classificarem como “população de renda mais alta” aqueles com benefícios de R$ 3.000 (“Bolsonaro define idade mínima de 62 anos para mulheres e de 65 para homens”, Mercado, 15/2). É muita hipocrisia. A regra deve ser mais justa.
Marcio Valerio Oliveira da Costa (Apucarana, PR)
*
Os trabalhadores brasileiros nada têm a ver com o descontrole das finanças públicas. Atingir o marco de 62 e 65 anos, mulheres e homens, é o mesmo que a eles não garantir a aposentadoria, visto que, com essas idades, já estarão desempregados!
Nilberto Rafael Vanzo (Cascavel, PR)
*
Tem que igualar não só a dos políticos (“Reforma da Previdência deve igualar regras de aposentadorias de políticos com as do INSS”, Mercado, 18/2) mas também a de todo o funcionalismo e a dos militares. Se o povo será sacrificado pelo país, que todos contribuam.
Maicon Nicoletto (Limeira, SP)


Damares Alves
Realmente muito polêmica (“Posso ir às ruas e de braços dados com feministas por salários iguais”, Entrevista da 2ª, 18/2). A ministra da metáfora. Pelo menos não há indícios de envolvimento com corrupção.
Elismar Meira Pereira (Extrema, MG)

*
Mas a ministra vai dar o braço às feministas para reivindicar o quê? O chefe dela não disse que não existe diferença de salários entre homens e mulheres no Brasil? Isso não era discurso da esquerda marxista?
Leandro Malavota (Rio de Janeiro, RJ)
*
Damares deveria falar menos, dar menos entrevistas e trabalhar mais na própria pasta. Suas opiniões têm mais atrapalhado do que ajudado o governo Bolsonaro. 
Jose Walter Mota Matos (Pouso Alegre, MG)


USP X Militares
Não há “preconceito da USP” em relação aos militares (Editorial, 19/2). As instituições mantêm relações estreitas há anos. Em 2017, o Comando de Fronteira Rio Negro do Exército prestou apoio à Expedição Científica ao Pico da Neblina. Em 2018, USP e Exército selaram acordo para capacitação e pesquisa. Há 67 anos, Poli e Marinha do Brasil são parceiras, o que resultou no primeiro curso de engenharia naval do país. Na USP,  matrículas seguem regras do edital, rigorosas, visando não cometer injustiças.
Luiz Roberto Serrano, superintendente de Comunicação Social da USP (São Paulo, SP)


Folha, 98
A Folha agradece as mensagens pelos seus 98 anos recebidas de Rui Altieri Silva, presidente do Conselho de Administração do CCEE, Fabio Oliveira, presidente da AIG Seguros, e Diogo Molina Gois.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.