'Bolsonaro cumpre critérios próprios de um autocrata', diz leitor

Em discurso no Rio, presidente afirmou que o problema do país é classe política

Bolsonaro cumpre todos os critérios de um autocrata

Governo Bolsonaro

Lendo o Painel (de Daniela Lima) e “A carta de Jânio” (de Celso Rocha de Barros) nesta segunda (20), deparo-me com a seguinte questão: é isso o que têm a oferecer o presidente e boa parte dos políticos ao país? Bolsonaro parece oferecer a possibilidade da impossibilidade; os políticos, a possibilidade de respostas arcaicas e extemporâneas. Ao presidente parece faltar o que ele próprio recomenda: deixar de lado o “mimimi” e começar a governar; aos políticos parece faltar até mesmo a mais remota noção do que vem a ser uma democracia.

Gustavo A. J. Amarante (São Paulo, SP)

Apesar das fragilidades, nosso arcabouço democrático é sólido o suficiente para neutralizar a sanha de populistas autoritários e tresloucados (“Emparedado e depurado”, de Vinicius Mota). O PT negou isso para instrumentalizar o medo no segundo turno.

Yacoff Sarkovas (São Paulo, SP)

O presidente Bolsonaro está cumprindo todos os critérios próprios de um autocrata (“Entre a faixa e a coroa”, de Bruno Boghossian). Lendo o livro “Como as Democracias Morrem”, isso fica ainda mais nítido. Aterrorizante pensar que estamos sendo empurrados para o precipício.

Matheus Ruffino (Cachoeira, BA)

Tabata Amaral fez uma descrição precisa do que está ocorrendo no (des)governo federal (“Renúncia ou impeachment?”). Os ministérios foram construídos na base do recalque, com pessoas incompetentes que não foram aceitas nos ambientes acadêmicos e empresariais. Não vejo a renúncia como possibilidade, pois demandaria alguma grandeza do presidente, algo inexistente. O impeachment é o mais plausível, mas, mesmo sobrando provas de inépcia governamental, faltam ainda convicções.

Adilson Roberto Gonçalves (Campinas, SP)

Bolsonaro, que esteve tantos anos no Congresso, parece não entender nada de política como a arte de governar e de se relacionar com os outros Poderes. Nada de sistema de pesos e contrapesos. Não sabe que a democracia se caracteriza pela ausência da opressão. 

Marta Oliveira Ramalho (São José dos Campos, SP)

Não é o país que é ingovernável, mas, sim, alguns eleitos se recusam a governá-lo (“Bolsonaro se exime de texto polêmico e pede apoio para mudar país”). Daí que apoiadores ocupem o espaço do eleito. Atualmente, temos um “filósofo” com incontinência verbal dando ordens lá dos EUA e internamente temos “filósofos” frasistas de para-choques de caminhão dando os seus pitacos.

Jairo Guimarães, advogado (Santo André, SP)

Em referência à frase de Bolsonaro nas Frases da Semana, digo a ele: não, senhor Jair Bolsonaro, nem tudo é pequenininho aí. Tenho certeza de que a quase totalidade da população oriental, no Brasil e no restante do mundo, tem educação, respeito pelo próximo e inteligência infinitamente maiores que a sua. A propósito, para alguém que se pretende presidente de uma nação, esses seriam atributos mais importantes do que esse que o senhor valoriza ao fazer essa piada de mau gosto.

Eduardo Mizuho Miyashita (Tatuí, SP)

Índios marubos

O caderno especial “Sebastião Salgado na Amazônia”, com textos de Leão Serva e registro fotográfico de Sebastião Salgado, é um libelo em defesa dos povos indígenas, mais do que nunca ameaçados pela ganância do agronegócio e do extrativismo e pela política equivocada do governo federal. Parabéns, Folha!

Geraldo Tadeu Santos Almeida (Itapeva, SP)


Educação

Se ao governo federal cabem os papéis de agente regulador e disseminador de boas práticas, além das restrições orçamentárias, é urgente definir se haverá um novo adiamento para o cumprimento da resolução CNE/CP Nº 2, de 1° de julho de 2015, que define as diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, tendo em vista as orientações de documentos apresentados entre 2017 e 2018, vinculando os currículos dos cursos de formação de docentes a novas exigências (“Pelo debate educado”).

Paulo Fernando Campbell Franco (Santos, SP)

Como tudo no Brasil, o buraco é mais embaixo (“Estreitar campos de aprendizado piora a educação, diz especialista”). Implantar um sistema de avaliação [de professores], com a ética de nossos governantes, pode dar margem a perseguições e clientelismo. Contudo fica evidente que a falta de uma medida de qualidade e de consequências para maus resultados leva a esse desastre. Mas encostar o problema só na equipe da escola é, no mínimo, covardia. Todos somos responsáveis, alguns mais, principalmente quem assina os cheques e define prioridades.

Lucas Renan Cavalcante de Oliveira (Lagoinha, SP)

O professor Fernando Haddad faz colocações pragmáticas e isentas das emoções e confusões do momento (“Mais livros”). Tem uma palavra lúcida e tranquilizadora. Demonstra o problema e sugere soluções. Apenas. Não vai jogar gasolina na fogueira.

Caroline de Azevedo Martins (Rio de Janeiro, RJ)


Tribunal de Contas

Claro e didático o texto do presidente do TCM-SP, João Antonio da Silva Filho (“Ação preventiva nos Tribunais de Contas”). O controle preventivo e concomitante de serviços e obras da municipalidade, com foco na prevenção, compreendendo as fases dos editais e a execução, busca evitar o desperdício das verbas públicas em prol da supremacia do interesse público. Todos os auditores de controle externo estão empenhados em atender com seriedade e conhecimento técnico o cidadão paulistano, verdadeiro “cliente” do tribunal.

Emílio Lang, auditor de controle externo (São Paulo, SP)


Velocistas

Parabéns, Folha, pela maravilhosa reportagem sobre os atletas brasileiros que conquistaram a magnífica vitória no Mundial de Yokohama no revezamento 4 x 100 m (“Velocistas vão da falta de sapatilhas ao título mundial no revezamento”). Eles, sim, são brasileiros que representam o país e o povo brasileiro, enquanto nossos governantes são exemplos do que não podemos ser. Tomara que mais Dericks, Rodrigos, Jorges, Paulos e Vitors surjam no Brasil e continuem nos enchendo de orgulho, mostrando que o melhor do Brasil são os brasileiros!

Jorge Pereira (São Paulo, SP)

PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.