'Questão social no Brasil é tão marcante que até a igreja virou profissão', diz leitora

Justiça condenou a Igreja Universal por esterilização de pastores

Não tem cabimento essa demora que deixa em agonia as pessoas mais carentes (Bolsonaro diz que, sem crédito extra, suspenderá benefícios neste mês). O presidente pode estar atirando para todo lado, porém, essa suplementação deveria ser prioritária no Congresso pela sua finalidade. Um país com representantes que retardam até mesmo processos que cuidam das necessidades de pessoas carentes deve ser repensado.

Jarbas Biagi (São Paulo, SP)

Não me surpreende que este governo ultradireitista queira punir os mais pobres para continuar governando para os privilegiados, sejam eles da elite do próprio governo ou da bancada da bala e do desmatamento que o elegeram.

Vera Lúcia de Oliveira Jesus (Brasília, DF)

Se eu fosse o Rodrigo Maia começaria na segunda articulação para aprovar a matéria. Ou vão enfrentar a fúria dos velhinhos. O presidente não será culpado pelo calote, pois a matéria está na Câmara. O que Maia está esperando? Trabalhe, moço, ou vai ser, junto de seus pares, responsável pelo calote aos velhinhos.

Marcos Teixeira de Souza (Barra Bonita, SP)

Por que então ficou defendendo decretos ilegais de armas para caminhoneiros, ministro evangélico no STF, pontuação maior para motoristas, filmagem de professores nas escolas, visita a Israel etc.? Não tem a mínima noção de prioridade.

Paulo Henrique de Mello (Campinas, SP)


Jornalismo

A modelo Najila de Souza, que acusa Neymar de estupro, é carregada por seu advogado - Amanda Perobelli/Reuters

Não é a primeira vez que me surpreendo com a utilização da Primeira Página da Folha para um brutal destaque a algo não apropriado (foto da modelo que acusa Neymar de estupro, 8/6). Lamentável a excessiva exploração de fofocas dessa natureza. Por outro lado, parabenizo o jornal pelo projeto Dias Melhores, que merece, sim, destaque. Fatos positivos trazem inspiração e esperança ao povo.

Antonio Carlos Simões, jornalista (Santos, SP)


Cadeirinha

Charge publicada na página A2 do jornal Folha de S.Paulo em 9 de junho de 2019 (Jean Galvão/Folhapress)
Jean Galvão/Folhapress

Faltou na charge de Jean Galvão, após o texto do "pai": "Meu filho não usou a cadeirinha porque eu não quis que ele fosse na cadeirinha no meu carro". Ou ele também perdeu os dentes porque não tem lei que supervisiona a higiene bucal?

Ricardo Cohen (São Paulo, SP)

Tenho lido artigos e cartas de leitores que criticam as mudanças na lei de trânsito, principalmente a que tira a multa da obrigação dos pais colocarem seus filhos em cadeirinhas no carro. Também me indigno com isso, mas não discutimos que, no projeto, há um artigo que libera geral as bicicletas elétricas, o que me parece muito perigoso.

Marcos de Luca Rothen (Goiânia, GO)


Copa do Mundo

Simplesmente lamentável a chamada da Primeira Página sobre a seleção feminina na Copa do Mundo. Envelhecida? Segunda maior média de idade da Copa? Chamada preconceituosa, machista e deselegante. Lamentável.

Sandra Zanini (São Paul0, SP)


Igreja Universal

Clarindo de Oliveira, 44, ex-pastor que acusa a Igreja Universal - Zanone Fraissat/Folhapress

A questão social é tão marcante no Brasil que até a igreja virou profissão ("Justiça do Trabalho condena Igreja Universal por esterilização de pastores"). São essas pobres pessoas, pressionadas por todo tipo de privação e famílias desestruturadas que veem na igreja (seja ela qual for) uma maneira de conforto psicológico. Não é fé, é negócio e política.

Valéria Guimarães (São Paulo, SP)


Vão-livre do Masp

A região da Paulista está toda tomada por moradores de rua e craqueiros ("Vão-livre do Masp vira casa para mais de cem crianças e adolescentes". E ninguém pode fazer nada, senão é tachado de preconceituoso e higienista, inclusive por este jornal.

Aimar Matos (Brasília, DF)

Senhor Bruno Covas, projetos sociais, não só no vão do Masp, mas nas periferias de onde vêm esses meninos seriam bem-vindos.

Elisabeth Beraldo Faria (Mogi das Cruzes, SP)


Educação

Murilo Cavalcanti, secretário de Segurança Urbana de Recife (PE) - Ze Carlos Barretta/Folhapress

As lições da diminuição da criminalidade em Bogotá e a criação do Compaz no Recife mostram o caminho a ser seguido nacionalmente para diminuir a violência: crianças na escola ("Violência só diminuirá com educação, diz secretário de PE").

Antônio Carlos Botta de Assis (Bragança Paulista, SP)


Passagem aérea

Tratar as bagagens como mera sobremesa é um descalabro ("Não existe sobremesa grátis"). Quando as malas passaram a ser cobradas à parte, o valor do desconto não foi percebido como redução no preço dos bilhetes. Como Alexandre Barreto de Souza se preocupa com o consumidor, poderia nos dizer qual o valor real de uma passagem de SP para o Rio: hoje pode ser R$ 200, amanhã, R$ 1.000. É preciso pensar no consumidor.

Miguel Antonio dos Santos de Brito (Bauru, SP)


Colunista

Em sua estreia ("A cachaça"), Marcos Mendes elenca pontos essenciais e que levaram à década da insensatez (2005-2015) na economia brasileira. O título e a metáfora final refletem o ambiente social. O articulista demonstrou que viveremos as consequências das escolhas feitas. Os motivos que travam a economia do país forçam uma reflexão sobre como enfrentar os desafios do baixo crescimento e do alto desemprego. Não podemos viver mais no autoengano.

Luiz Roberto Da Costa Jr. (Campinas, SP)


Nadal

A conquista do 12º título de Roland Garros por Rafael Nadal ("Nadal bate Thiem e conquista 12º título em Roland Garros") é um feito inimaginável especialmente porque acontece na mesma época da carreira não menos vitoriosa de outros dois gênios do tênis, Roger Federer e Novak Djokovic.

Carlos Carmelo Balaró (São Paulo, SP)


Andre Matos

É raro um ídolo de adolescência cruzar nossa vida adulta seguindo no mesmo posto. No caso de Andre Matos, a admiração só aumentou ("Morre aos 47 Andre Matos, expoente do metal"). Por sorte, o tivemos como artista prolífico e por tanto tempo.

Felipe Drummond (Santana do Livramento, RS)


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.