Dá para confiar em quem não trabalha nos limites legais?, questiona leitor

Reportagem mostrou que Lava Jato manteve sob sigilo conversas de Lula que enfraquecem tese de Moro

Lava Jato

Os diálogos revelam verdadeiro atentado à democracia ("Conversas de Lula mantidas sob sigilo pela Lava Jato enfraquecem tese de Moro"). Como um presidente eleito democraticamente terá a certeza de que não será o alvo seguinte? Fica claro por que o atual presidente, apesar de ter surfado na onda da operação, resolveu quebrar sua estrutura. Dá para confiar em quem não trabalha nos limites legais e busca os holofotes?

Joaquim Branco (Rio de Janeiro, RJ)

É impressionante a persistência dos adeptos do Lula livre em jogar a opinião pública contra a força-tarefa que objetiva a punição dos criminosos de colarinho-branco. Podem até ter ocorrido excessos (isso precisa ser provado, em tribunais e não por meio da mídia), mas com certeza acusados, julgados ou condenados não são tão inocentes assim. Os bilhões de reais desviados do erário e uma parcela até devolvida não estavam com ninguém?

Tersio Gorrasi (São Paulo, SP)

Defendi a Lava Jato por muito tempo e achava o discurso do PT deplorável. Me dava ânsia de vômito escutar "Lula livre". Em hipótese nenhuma voto no PT ou em Lula, mas, sem dúvida, hoje sou forçado a concordar com o Lula livre.

Guilherme Dias Marconi Costa (Juiz de Fora, MG)

Para fugir da prisão, Lula aceitaria parceria até com Eduardo Cunha.

Angelo Gutierre Sampaio de Oliveira (Fortaleza, CE)

Ilícitos justificando ilícitos. O pior é que oportunistas surfaram nessa onda e não restou alternativa a não ser decidir por um caminho dúbio, atrasado e retrógrado.

José Flávio Viana Guimarães (Uberlândia, MG)


Amazônia

Excelentes os argumentos do ministro Ricardo Salles, vindo a desmistificar a pauta ambiental controlada pela esquerda ("Amazônia: preservar e desenvolver").

Hildebrando Teixeira (Piumhi, MG)

O discurso não bate com a prática. As queimadas são combatidas pelo Ibama, que foi deixado sem recursos. E o discurso oficial, não o do artigo, faz fazendeiros promoverem o "dia do fogo". O conteúdo do artigo tem de vir para a prática.

Hercilio Silva (Brasília, DF)


Papado de Francisco

O papa Francisco se destaca tentando dar um novo rosto à igreja ("Com 13 novos cardeais, papa Francisco imprime igreja mais global"). Aberto, diante da pluralidade, resgata a universalidade de princípios recorrentes à proposta de Jesus de Nazaré, tão esquecida no cotidiano. Faz a saída do europeísmo às periferias do mundo.

José Orlando de Siqueira (Passos, MG)


Poluição

O bom artigo do escritor Miguel de Almeida ("Poluição sonora e do ar, os males paulistano são...") mostra que ruído urbano é tema pouco tratado pelo Estado, mas gravíssimo à saúde humana. O atraso na edição do Mapa do Ruído pela Prefeitura de São Paulo só agrava o ambiente já tão degradado da cidade.

Edson Domingues, especialista em conflitos ambientais (São Paulo, SP)


HQ com beijo gay

Cada dia mais triste com meu país. Nem nos piores pesadelos eu acreditava que entraríamos em uma época de trevas. E, o que é pior ainda, com o aval entusiasmado das classes dominantes ("STF derruba decisão que autorizava censura a HQ com beijo gay na Bienal do Livro").

Talvanio José de Oliveira (Varginha, MG)

primeira página do jornal com ilustração de beijo gay de quadrinho censurado
Primeira Página da Folha do dia 7 de setembro de 2019 - Reprodução

Que capa linda a de sábado. Parabéns. Penso, contudo, que a construção midiática "beijo gay" é, por si só, preconceituosa. Beijo é beijo, manifestação de afeto que dispensa qualquer adjetivo ou qualificação, que, posta dessa forma, só reforça a ideia de distinção, inexistente. Por que não noticiar apenas a tentativa de recolher quadrinhos que tinham um beijo na capa, entre duas pessoas, ou entre dois personagens?

Marina Faraco (São Paulo, SP)

Assinante da Folha há mais de 15 anos, nunca vi uma Primeira Página tão deprimente, horrorosa e chocante como a de sábado, com o desenho de dois rapazes se beijando. Que apelação. Deu náuseas. Cada um é dono de seu nariz, mas se todos se tornarem homossexuais acaba a geração humana.

Paulo Roberto Silva Marcondes Cesar (Pindamonhangaba, SP)

Parabéns à Folha pela belíssima manifestação de liberdade de imprensa, de apoio ao Estado democrático de Direito, à Constituição e aos valores humanos. Nessas ocasiões que a imprensa mostra seu valor à cidadania e à proteção aos interesses coletivos.

Bernardo Ferreira Gonzaga (Belo Horizonte, MG)

O Brasil segue firme dando marcha a ré ("Marcha às trevas"). Jair Bolsonaro e Marcelo Crivella não surpreendem, sempre deixaram claro sua ideologia e seu autoritarismo. No caso de João Doria é oportunismo puro, o governador de São Paulo tem se revelado um oportunista nato.

Márcia Meireles (São Paulo, SP)

Marcelo Crivella, João Doria e Presidente Jair Bolsonaro

Liberdade de expressão exige responsabilidade e respeito às instituições e às autoridades legitimamente constituídas, sob pena de se instaurar a balbúrdia, a desorientação e o caos social. A ausência de valores socialmente aceitos não seria a causa da vida sem sentido especialmente no meio da juventude de nosso país? É para isso que serve a liberdade de expressão?

Orlando Ferreira Barbosa (Belo Horizonte, MG)

As trevas estão tomando conta do país em um ritmo avassalador, e a oposição assiste de forma bestializada a essa sandice.

Cleomar José Cordeiro (Aparecida de Goiânia, GO)


'Caça-fantasmas'

A cozinheira Maria Soares da Silva reencontra o irmão, Aparecido Sores de Araújo, após 47 anos - Arquivo Pessoal

Excelente trabalho realizado pelos policiais ("Desaparecido há 47 anos, homem é localizado por 'caça-fantasmas' da polícia de SP"). Tenho um irmão que é auxiliar de papiloscopia policial e penso que o pleito da categoria deveria ser atendido: voltar a ser denominado datiloscopista policial. A reportagem demonstrou que esses policiais são protagonistas, e não coadjuvantes.

Anna Lopes (São Paulo, SP)


PARTICIPAÇÃO

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.