Folha está de parabéns ao publicar entrevista com Maduro, diz leitor

É um jornalismo sério, que nos permite tirar as próprias conclusões, diz Patrícia Porto da Silva

Maduro
Inacreditável que a Folha tenha dado espaço para o vil e desprezível ditador da Venezuela, Nicolás Maduro. Rejeitado pela comunidade internacional pelo que vem fazendo contra o povo venezuelano, Maduro é apoiado apenas por governos que possuem a mesma linha ideológica que ele, incluindo o antigo governo petista. Que Deus ajude a oposição do país a limpá-lo e a tirar esse tirano.
Marco Antonio Cardoso de Andrade (Lorena, SP)

O país que Maduro descreve e exalta é o mesmo que exporta famílias para os países vizinhos em busca de empregos e acolhida. É o maior contingente migratório da atualidade, e sobre isso Maduro tergiversa, atribuindo a outros países a calamidade social que vive seu país. Esquece que as pressões econômicas e políticas são respostas ao seu governo autoritário e não são as causas da penúria venezuelana.
Ângela Luiza S. Bonacci (Pindamonhangaba, SP)

A Folha está de parabéns ao publicar com destaque a entrevista com Nicolás Maduro. O leitor precisa ter conhecimento da questão sob os diversos ângulos. É um jornalismo sério, que nos permite tirar nossas próprias conclusões.
Patrícia Porto da Silva (Rio de Janeiro, RJ)

A entrevista de Nicolás Maduro a Mônica Bergamo é uma aula histórica de bom jornalismo, pelas informações, objetividade e clareza.
Tales Castelo Branco (São Paulo, SP)

0
O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, durante entrevista à Folha em Caracas - Marlene Bergamo/Folhapress

Golpe
"Foi um golpe", disse Michel Temer no "Roda Viva" de 16/9 ao se referir à deposição de Dilma. Um golpe incentivado pelo PSDB de Aécio, instrumentalizado pela Lava Jato, auxiliado pela mídia, pelo Judiciário e pela elite econômica. A classe média, devidamente manipulada, aplaudiu. De lá para cá, a Constituição vem sendo trapaceada, e a corrupção, institucionalizada. O país segue sem rumo. Colhe os efeitos do golpe.
Anete Araújo Guedes (Belo Horizonte, MG)

'Cura gay'
Mesmo quando grandes empresas dão um grande passo para combater, por exemplo, a homofobia, pessoas são contrárias a essas mudanças ("Que circulem as más ideias", 17/9). O pior é que aqueles livros, além de tentarem ensinar meios de reverter a homossexualidade, a tratam como se fosse doença. Não há nem como tentar buscar motivos para que aquele livro permanecesse à venda. Enfim, mais uma empresa, desta vez a Amazon, começou a lutar contra a homofobia.
André Henrique de Moraes Dias (São Paulo, SP)


Bacurau
Fui ver --a contragosto-- o tal filme "Bacurau", já sabedor de que era mais um desastre do tipo "cineminha papo cabeça" tão ao gosto da bolha intelectual brasileira. E assim foi. E tome clichê de esquerda! A coisa tem o sabor de um sanduíche de pão com pão, devidamente embalado em uma estética da pobreza com uma ode à miséria. A produção cultural brasileira é movida pelo neandertalismo ideológico de quem parou no tempo em maio de 68. Mal posso esperar para --não-- ver o tal "Marighella".
Paulo Boccato (São Carlos, SP)

Ranking de universidades
Mais uma vez, as universidades brasileiras, ainda que a USP continue sendo a melhor da América Latina, não conseguem ficar entre as 250 (editorial "Corrida acadêmica"). É difícil analisar esse desempenho sem discutir a estrutura administrativa e acadêmica, especialmente do sistema público. A utilização de técnicas modernas de gestão, com o uso de inteligência de dados tanto na aprendizagem dos estudantes como na gestão acadêmica, é fundamental para a melhoria do sistema. A falta de definição clara da vocação, da missão e das metas das instituições, bem como de uma avaliação séria e competente, compromete significativamente o desempenho.
Oscar Hipólito, professor titular de física da USP (São Paulo, SP)

O editorial "Corrida acadêmica" sugere que a universidade pública passe por reformas, entre as quais está o fim da estabilidade no "início da carreira" acadêmica. Entre outros problemas, é vil dizer que o título de professor é um prêmio, como se não tivesse havido esforço. Além da graduação, professores têm ao menos uma década de formação, entre mestrado, doutorado e pós-doutorado. Nesse período, não recebem benefícios nem bolsas compatíveis com os valores de mercado. A revisão nos termos de contratação deve acontecer, mas não sem antes profissionalizar o aluno de pós-graduação e criar a carreira de pesquisador nas universidades públicas.
Fábio Navarro, Ph.D, pesquisador do Departamento de Bioquímica da Universidade Yale (New Haven, Connecticut, EUA)

Laerte
Laerte profetizou as brilhantes palavras de Jair Bolsonaro na abertura da Assembleia-Geral da ONU ou teve acesso ao discurso tão aguardado? Parabéns à cartunista!
André Pedreschi Aluisi (Rio Claro, SP)

Ilustração descreve a abertura da assembleia geral da ONU. Com a plateia lotada, o personagem que faz discurso, ao centro, diz: cocô
Charge da Laerte de 17.set.2019 - Laerte

Realmente a Folha mudou. E muito. A charge de 17/9 é de um mau gosto terrível. A Folha continua metendo o pau neste governo. Será que nada está certo? Ou será porque acabou a roubalheira de uns anos atrás. Vamos, Folha, veja se tem algo de bom neste governo e divulgue para nós!
Alaor dos Santos (São Paulo, SP)

Laerte é uma das mais criativas artistas brasileiras. Os quadrinhos de quinta-feira (12/9), sábado (14/9) e domingo (15/9) e a charge de ontem (17/9) mostram o poder avassalador da arte --muito maior que o das armas e o dos reacionários. O quadrinho de 12/9 é uma obra-prima de simplicidade, sensibilidade e amor. A pergunta do cavalo no cartum de 14/9 é espirituosa e inteligente. No de domingo, vemos Tchaikovsky tendo a inspiração para compor o "Lago dos Cisnes"; e a charge de 17/9 resume em uma só palavra o atual presidente. A arte e a cultura vencerão mais esta guerra.
Francisco José Bedê e Castro (São Paulo, SP)

Charge de Laerte publicada em 10.set.2019 mostra releitura do quadro "A liberdade guiando o povo", de Eugène Delacroix, com o ministro Paulo Guedes se referindo à liberdade e dizendo que "é feia mesmo"
Charge de Laerte publicada em 10.set.2019 - Laerte/Folhapress

PARTICIPAÇÃO

​Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.