Até que enfim um texto lúcido sobre o que levou Bolsonaro à vitória, diz Antônio Fogaça

Para Anísio Câmara, quando se sabe que o presidente é cria de escola militar, começa-se a duvidar da excelência dessas escolas

Eleição 2018
Excelente o artigo "Forças externas", de Pablo Ortellado (Opinião, 15/10). Até que enfim um texto lúcido, simples e direto sobre os motivos que levaram Bolsonaro à vitória na eleição de 2018.
Antônio Carlos Romeu Fogaça (São Paulo, SP)

 
Posse de Jair Bolsonaro - Pedro Ladeira - 1º.jan.2019/Folhapress

Educação civil
A Câmara Municipal de Belo Horizonte deu de presente aos professores, no seu dia, um cabresto e uma mordaça ao aprovar o Escola sem Partido em primeiro turno. Em vez de enfrentarem os verdadeiros problemas das escolas, os vereadores atacam a liberdade de pensamento, instrumento fundamental para transformar os jovens em cidadãos críticos e preparados para os desafios da vida adulta.
Adjalma Rodrigues da Silva, professor (Belo Horizonte, MG)


Educação militar
Sempre se disseram maravilhas sobre a educação que é dada nas escolas militares. Até por isso, ninguém deveria afligir-se com o excesso de militares no governo ("Número de militares sobe em 30 órgãos do governo", Poder, 14/10). Mas aí, quando se sabe que o presidente também é cria de escola militar, começa-se a duvidar da excelência dessas escolas.
Anísio Franco Câmara (São Paulo, SP)

Os santos e a ciência
O raciocínio que Hélio Schwartsman desenvolveu em "Os santos e a ciência" (Opinião, 15/10) é um atentado contra a inteligência. Ele deveria aplicar a si mesmo a afirmativa que fez de que "não encontrar uma explicação é muito mais uma medida da nossa ignorância". Se Schwartsman é fã do ateu Richard Dawkins, nenhum problema. Mas acho que deveria ler também o respeitado cientista Francis S. Collins e sua obra "A Linguagem de Deus".
Arialdo Pacello (Piracicaba, SP)

Meteu a mão em cumbuca desta vez, meu caro Hélio, mas fê-lo bem. Alguém precisa mesmo fazê-lo de vez em quando.
Albino Bonomi (Ribeirão Preto, SP)

Vôlei
A diferença entre o ascendente vôlei e o decadente futebol da seleção é evidente e demonstra a apatia, o descrédito e a total desmoralização dos jogadores da seleção de futebol, que sofre para empatar com equipes sem expressão, mesmo com todos ganhando expressivas somas em moeda forte. Nosso vôlei saiu invicto da Copa do Mundo, revelando planejamento e, acima de tudo, garra e dedicação.
Yvette Kfouri Abrão, professora aposentada (São Paulo, SP)

Delegação brasileira comemora o título da Copa do Mundo de vôlei no Japão
Delegação brasileira comemora o título da Copa do Mundo de vôlei no Japão - Divulgação/FIVB

Aborto
Encobrir as próprias convicções religiosas sob o véu da cientificidade é feio ("Ativismo pró-aborto: dados falsos e desinformação", 14/10). Seria melhor que o autor tivesse assumido suas crenças a respeito do momento do início da vida e da criminalização da interrupção voluntária da gravidez do que confundir "feto" com "bebê". Feto até 12 semanas de gestação tem cerca de 6 cm de comprimento e é inviável fora do útero materno. Já o "bebê" qualquer um sabe o que é.
Suely Rozenfeld, médica, professora da Escola Nacional de Saúde Pública da Fiocruz (Rio de Janeiro, RJ)

O artigo do ginecologista Raphael Parente desmascara categórica e definitivamente a tese dos que defendem ser o aborto questão de saúde pública, quando, na verdade, é ato criminoso contra a vida de bebês em idade gestacional.
Renato Rua de Almeida (São Paulo, SP)



Mulher preta
"Mulher preta quando ganha voz leva tiro ou vai presa, diz sem-teto solta há 5 dias" (Cotidiano, 15/10). Parabéns a essas mulheres lindas, fortes e guerreiras, sabedoras de seus direitos e conscientes das mazelas sociais que afligem boa parte dos brasileiros. Parabéns também pela reportagem, muito bem elaborada e produzida.
Paloma Fonseca (Brasília, DF)

Preta Ferreira, do Movimento Sem Teto do Centro - Marlene Bergamo/Folhapress

Queimadas
Até quando vamos aguentar esse governo de ineptos, corruptos e extremistas ("Secretário de Bolsonaro atribui queimadas a índios e isenta ruralistas", Ambiente, 15/10)? Estão achando que as pessoas não têm senso crítico? Tiraram o PT para isso?
Maria Isabel M. Pons (Brasília, DF)


PSL
"Bivar planeja destituir filhos de Bolsonaro do comando do PSL em SP e no Rio" (Poder, 15/10). O PSL ganhará respeito da sociedade quando erguer a bandeira do "Fora, Bolsonaro!".
Roberto Xavier de Castro (Antonina , PR)

Bolsonaro irá para a nona ou décima sigla. Muda ao sabor dos interesses. Viu o tamanho do cofre do PSL e agora quer apunhalar quem lhe deu legenda. O partido precisando de união para votar matérias e Bolsonaro brigando por dinheiro. Auditoria de cinco anos? Façam auditoria de 28 anos nos gabinetes de Bolsonaro.
Marcos Teixeira de Souza (Barra Bonita, SP)


Nobel
Recebemos com alegria a premiação do Nobel de Economia. Pela segunda vez na história, a pesquisa dos laureados concentra-se na redução da pobreza. O trabalho de Abhijit Banerjee, Esther Duflo e Michael Kremer é de fundamental importância para compreender como políticas sociais e seus arranjos e desenhos são capazes de impactar positivamente as condições de vida daqueles e daquelas que são beneficiários de políticas públicas.
Eduardo Matarazzo Suplicy e Leandro Teodoro Ferreira, presidente da Rede Brasileira da Renda Básica (São Paulo, SP)

Imagens dos ganhadores do Prêmio Nobel de Economia de 2019 projetadas na Real Academia Sueca de Ciências - Zheng Huansong/Xinhua

Coringa
Ler o artigo de João Pereira Coutinho foi um alívio ("Maus fígados", Ilustrada, 15/10). Também assisti ao filme "Coringa" e tive a mesma sensação que ele. Não entendo até agora essa aprovação, quase adoração, a uma história tão banal e piegas --mesmo com Joaquin Phoenix tendo uma grande atuação.
Juan Manuel Troccoli (São Paulo, SP)


Creche
A Prefeitura de São Paulo reduziu pela metade a fila por vaga em creche ("Fila por vaga em creche sobe 282% em nove meses em São Paulo", 15/10). Entre setembro de 2018 e setembro de 2019, o número de crianças aguardando vaga caiu 11,8% (10.140 a menos). No terceiro ano da gestão anterior, a fila era de 145 mil crianças. A atual gestão já abriu mais de 50 mil vagas em creches, com mais 35 mil vagas sendo criadas até o final de 2020, o que representará um recorde de vagas criadas durante quatro anos.
Bruno Caetano, secretário Municipal de Educação (São Paulo, SP)

Resposta de Fábio Haddad, Editor Responsável do Agora Não há discrepância entre o que o secretário diz e o que a reportagem afirma. Futuras vagas e a comparação com a gestão anterior não interferem no crescimento da fila ao longo do ano, objeto do texto.


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​​​​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.