Lamentável um médico afirmar que aborto não é problema de saúde pública, diz professor de medicina

Para médico, argumentos do articulista não resistem a uma análise acadêmica séria

Aborto
Lamentável que um médico com acesso às evidências científicas afirme que o aborto não é problema de saúde pública ("Ativismo pró-aborto", Tendências/Debates, 14/10). Vivemos um momento muito perigoso, no qual pessoas se baseiam na misoginia para respaldar seu discurso. E um ginecologista, que deveria estar ao lado das mulheres.

Olimpio Barbosa de Moraes Filho, professor-adjunto da Universidade de Pernambuco, presidente da Comissão de Pré-Natal da Febrasgo e membro da Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia do CFM (Recife, PE)

O doutor Raphael Parente se esquece de citar entre suas credenciais que é delegado do Instituto Liberal de São Paulo, instituição devotada à pregação das ideias da direita. Seu artigo, como sua conhecida atividade na militância antidescriminalização do aborto, é, antes de tudo, ideológico. Seus argumentos "científicos" não resistem a uma análise acadêmica séria.
Sérgio Rosemberg, médico (São Paulo, SP)

Um problema de saúde pública não é o aborto, mas a falta de maternidade e de paternidade responsáveis. Homens e mulheres querem ter seu prazer sexual atendido, mesmo que não se tenham prevenido para isso. Há cerca de 44 mil pretendentes à adoção no país, mas já existem crianças depositadas nos abrigos esperando encontrar uma família para chamar de sua. Nos abrigos, essas crianças já não são filhas. Algumas delas jamais serão.
Ivone Maria de Lima Jaime, membro do Grupo de Incentivo e Apoio à Adoção da Região de Ourinhos (Ourinhos, SP)

 

Militares
Muito me surpreende a Folha estampar na manchete de 14/10 "Número de militares sobe em 30 órgãos do governo". Qual seria o problema? Não são cargos de confiança? E, sendo o presidente egresso da carreira militar... Sou leitora da Folha há 40 anos e não me lembro de ver tal levantamento em relação ao governo do PT e aos sindicalistas que ocuparam tais cargos.
Silvana Lima Górniak (São Paulo, SP)


Regalias
Quero ver se essa cambada vai ter coragem de pedir que os lascados apertem o cinto ainda mais ("Presidente do STJ muda regra e amplia regalia de classe executiva para magistrados", Poder, 14/10). Enquanto você, espoliado pagador de impostos, economiza para beber uma cerveja com um frango a passarinho no boteco, os superioristas bebem vinhos premiados e comem salmão. E são os maiores salários da República
Vicente Alfredo de Paula Rodrigues (Brasília, DF)


Direita
Os três maiores problemas do Brasil são o desemprego, o tráfico de drogas e a corrupção. Isso tudo leva à violência urbana, à desagregação familiar e aos péssimos serviços prestados pela administração pública. E aí vem o arcebispo de Aparecida dizer, em pleno Dia de Nossa Senhora, que a direita é violência e ódio? Com isso, mostra desconhecimento da realidade e falta de compromisso com os cidadãos e destrói alguma chance de a igreja ganhar credibilidade.
Andre Coutinho (Campinas, SP)

Folhinha
Adorei ("11 livros para ler antes de crescer", Folhinha, 12/10). Agora fica faltando a lista de games para jogar antes de crescer.
Mario Bertini (Uberlândia, MG)

Produção cultural
Em relação ao texto de Ruy Castro de 13/10 ("A tutela do Estado"), lembro que, se, entre 1964 e 1985, boa parte da produção cultural vivia do mercado, esse não era o caso do cinema, que muito dependia da Embrafilme. A estatal, criada pelos militares, financiou filmes de 1969 a 1990, que, ironicamente, eram censurados ou mutilados pela censura do próprio regime.
Alexandre Carvalho (Registro, SP)


Ciro
Ciro busca a sua consolidação junto ao amplo eleitorado ("Huck não tem experiência; chega de mandar estagiário para a Presidência", Poder, 13/10). Com um discurso inquestionável e corajoso, deixa clara a sua meta de, antes de tudo, propor ao país um projeto factível, amplo e que tem pé e cabeça.
Robson M. Silveira (São Paulo, SP)

A Folha outra vez nos brinda com uma entrevista de um político ultrapassado, que insiste em ideias e conceitos que só produziram maus resultados no passado. Ciro só faltou dizer que se acha o único candidato viável à Presidência em 2022.
Antônio Carlos Romeu Fogaça (São Paulo, SP)


CPAC
Que "comovente" a imagem de Onyx Lorenzoni afagando Eduardo Bolsonaro. Que lindo... Já a ministra Damares Alves parece uma Polyana com os óculos do Doutor Pangloss. O pior cego é aquele que não consegue enxergar a realidade. Quatro, oito, 12 anos... Que piada! (Governo Bolsonaro 'vai dar tão certo que vamos ficar 4, 8, 12 anos', afirma Damares", Poder, 13/10).
Ricardo Pedreira Desio (São Paulo, SP)

A conferência conservadora tupiniquim do Cone Sul foi um fracasso. Em nada se assemelhou à sua suposta inspiração de 1974, que reuniu Nixon, Ford e Reagan. Frustração de público e agenda. Nem mesmo o presidente, que encarnaria a glória do evento, deu o ar da graça. Não passou de um convescote da militância e da imprensa bolsonarista sobre base ideológica incerta.
Jorge Neto (Areia, PB)

Saneamento
A narrativa sobre a privatização do saneamento é reducionista (Empresas de saneamento podem render até R$ 140 bi", 13/10). Parte de um pressuposto falso ao dizer que a privatização levará substanciais recursos ao setor. Desconsidera a tendência mundial que aponta para o arrependimento de municípios que optaram pela privatização. Afinal, saneamento é para investidores ou é um direito humano?
Léo Heller (Belo Horizonte, MG)


Colunista
Antonio Prata é o bálsamo dos domingos. Suas colunas sempre são motivo de reflexão. Com "Nem toda unanimidade é burra" (Cotidiano, 13/10), não foi diferente. De fato, o mundo está vivendo em cima de "likes" e de "coraçõezinhos". Com isso alimentamos a mediocridade e a brevidade das coisas. O youtuber de hoje será um mero desconhecido amanhã. Venha logo, meteoro!
Adauto Levi Cardoso (Sorocaba, SP)


Popó
À época de Antonio Carlos Magalhães, muitas dessas figuras prosperaram na política (Mônica Bergamo, Ilustrada, 13/10). Mas, para a tristeza de Popó, os tempos são outros. Daí sua decepção com a política. Mas a recíproca é verdadeira: a completa decepção da política com Popó.
Ricardo Mello (Goiânia, GO)


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​​​​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.