Bolsonaro propaga mentiras ou meias verdades sobre obras realizadas, diz leitor

Investimento em estradas cai na atual gestão, apesar das postagens do presidente

Investimento em estradas
Infelizmente Bolsonaro usa dos mesmos expedientes da “velha política” que tanto critica, ou seja, propagar mentiras ou meias verdades, principalmente sobre obras realizadas (“Apesar de postagens de Bolsonaro sobre obras, investimento em estradas cai”,). Quem conhece a trajetória política dele sabe que ele é mais do mesmo, com o agravante de ser extremamente radical e incompetente.
Humberto Giovine (Erechim, RS)

A reportagem não informa a quantidade de km construídos ou reformados em cada ano. Número de contratos ou valor gasto não são medidas de eficiência no uso do dinheiro público. Gostaria de comparar eficiência, e não volume.
Paulo Eyder M. de Carvalho (São Paulo, SP)


Pendor autoritário
Editorial corajoso e categórico (“Pendor autoritário”). Um chamado de alerta ao Congresso e ao STF. Que venham a público seus líderes em defesa das instituições. Que fique claro para os saudosos da ditadura os limites que o Estado democrático de Direito lhes impõe.
Paulo Roberto Schlichting (Curitiba, PR)

O presidente Jair Bolsonaro - Pedro Ladeira - 14.nov.2019/Folhapress

Um ex-presidente que chefiou a corrupção e deixou a economia brasileira arrasada, que foi preso pelos seus crimes e que agora recebe as benesses da Justiça não tem o menor direito de ficar criticando, e da forma mais infame, o atual presidente da República. Se quer continuar com sua politicagem em meio à militância, precisa, no mínimo, respeitar as autoridades e as instituições e, caso insista nas transgressões, deve sim, ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional. Nada errado.
Carlos Alberto Félix da Silva 
(Parnamirim, RN)

Parabéns à Folha pelo pertinente editorial. O combate ao autoritarismo passa também pela liberdade de imprensa.
José Gonçalves do Nascimento 
(Osasco, SP)


Bolsonaro e futebol
Este é um país eternamente destinado ao fracasso. Alguns não respeitam o presidente legitimamente eleito (“Na Vila Belmiro, Bolsonaro divide santistas em empate com São Paulo”). Não sabem respeitar o resultado das urnas. Deveria ser um orgulho o presidente prestigiar um time de futebol em seu estádio, torcendo para ele ou não. Não gosto de política,  mas acho respeito fundamental.
Evandro Barroso (Taubaté, SP)

Jair Bolsonaro é cercado por torcedores do Santos na chegada à Vila Belmiro - Adriano Vizoni/Folhapress


Bolsonaro vive do culto à personalidade. Toda vez que o cerco aperta, ele anuncia a semana inteira que vai ao estádio, junta uma tropa de militantes e a imprensa vai atrás sustentando a farsa. Foi assim com Moro, foi assim com Hitler e a Folha não faz a autocrítica.
Odete Borges (Itabira, MG)


Bolívia
A classe dominante, covarde como sempre, não se envergonha de colocar as Forças Armadas contra o povo (“Governo interino isenta Forças Armadas de responsabilidade penal na Bolívia”). É sempre a mesma história. Quando o povo consegue armas e um mínimo de organização tem de partir para cima. A classe dominante não conhece outra linguagem.
Joaquim Fares (Rio de Janeiro, RJ)


Fernando Haddad
Fernando Haddad faz acusação leviana sobre “comprovada compra de votos” para a emenda da reeleição e me ataca gratuita e infundadamente (“Golpes). A emenda foi aprovada por larga margem. Houve acusações vagas. Nunca levantei uma palha contra a apuração. O que sei publiquei em meus “Diários”. Nem eu nem meu governo orquestramos compra alguma. Além de imoral, teria sido estúpida, pois tinha sólida maioria no Congresso. É também estapafúrdia a tese de que teria sido favorável a um terceiro mandato de Fujimori no Peru. Basta de acusações descabidas. Não se constrói um país assim.
Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República

No Brasil houve uma abertura democrática lenta, gradual e segura e está havendo um fechamento autoritário lento, gradual e seguro. Aos poucos, os alicerces vão sendo destruídos até o edifício democrático ruir de vez.
Marcos Valério Rocha (Luziânia, GO)

A versão do golpe convenceu no caso de Dilma porque os elementos importantes estão presentes. Contra Evo Morales, chamar de golpe é ignorar os contragolpes cometidos antes por ele, para calar a vontade popular. Esse discurso acabará comprometendo o entendimento do que se passou por aqui. Na verdade, esse discurso é próprio de uma esquerda que se nega ao diálogo, que não acredita que possamos avançar sem rupturas, sem destruir os adversários.
Alberto Melis Bianconi (Brasília, DF)


Racismo
Adoro F-1, mas me incomoda muito essa falta de engajamento e esse controle por parte dessa elite. Espero que tudo mude, pois ter pilotos engajados é importante. Lewis Hamilton é um ótimo piloto. Se antes havia receio de se colocar, agora não há. Já conquistou seu espaço e deve defender sua causa (“Títulos e fama encorajam Hamilton a se engajar na luta contra o racismo”).
Débora Almeida Azevedo (Osasco, SP)

O piloto Lewis Hamilton - Amanda Perobelli - 13.nov.2019/Reuters


Tantas crianças negras no Brasil e o casal vai adotar os filhos em outro país (“‘Vou fazer o que puder para combater o racismo’, diz Giovanna Ewbank”)? Me parece mais preocupada em fazer cover de Angelina Jolie (essa sim, uma artista de verdade) do que em lutar pela discriminação racial no Brasil. Hipocrisia com pitadas de autopromoção. Lamentável.
Silvana Rodrigues Monteiro (Goiânia, GO)

Não acho que Giovanna se aproveite se promover. Ela combate o racismo, mesmo sendo branca. Há negros e brancos racistas, mas creio que não seja o caso da atriz. Ela é uma figura artística importante, e sempre a vejo combater o racismo. Em vez de criticarem, combatam o racismo também.
Marcio Antonio Souza Paim
(Salvador, BA)

Felizmente estou vivo para ler a corajosa coluna de Flavia Lima (“O ‘novembrismo’ da mídia”). Infelizmente ainda tenho que dizer que é corajosa quando deveria ser simplesmente normal. Mostra o quanto o racismo estrutural ainda tem um longo caminho para ser desenraizado.
Rodolfo Maia (São Paulo, SP)

Um rolo de tinta pintando uma mancha marrom com algumas letras
Carvall

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​ Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br.​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.