'A verdade não os libertará', diz leitor sobre Jair Bolsonaro e seus filhos

Leitores comentam conduta de Flávio e Jair Bolsonaro

Bolsonaro

Não nasci Bolsonaro, não sou Bolsonaro, mas estou Bolsonaro. Quando há elogios pelos méritos, esses elogios são para o país. Quando há deméritos, são atribuídos ao presidente. Por que essa distinção?

Arcangelo Sforcin Filho (São Paulo, SP)

"Bolsonaro ataca repórter após perguntas sobre Flávio e Queiroz: 'Você tem uma cara de homossexual terrível'" (Poder, 20/12). Minha nossa. Não vejo a hora de ver ele e toda a familícia atrás das grades.

Gabriel Souza (São Paulo, SP) 

Está evidente que o excelentíssimo presidente, se continuar assim, atirando para tudo quanto é lado para proteger seus rebentos, descerá a ladeira, sem retorno, e todo mundo passará a rezar para que 2022 chegue rapidamente.

Luiz Carrieri (São Paulo, SP)

Enquanto estiver fazendo na Presidência tudo o que interessa ao liberalismo explorador, aos rentistas, aos banqueiros e ao agronegócio, ele ficará no cargo, vomitando suas agressões semiprimárias a todos.

Sandro de Oliveira (Goiânia, GO)

A Bolsonaro e à sua prole: a verdade não os libertará.

Carlos Alberto Bellozi (Belo Horizonte, MG)

Então é Natal

"Contra 'climão' no Natal, projeto indica como falar de política sem brigar" (Poder, 20/12). Essa coisa de dialética, debate, lógica e racionalidade não é coisa de bolsonarista. Eles não têm capacidade intelectual para isso. A sua formação moral e intelectual é fundada em um comportamento fascista. Não há diálogo. Quer conselho? Não tente conversar sobre política com eles.

Fred Morgun (Rio de Janeiro, RJ)

Tem mais é que brigar mesmo. Quem votou em miliciano tem é que ouvir bronca e limpar a bagunça sem reclamar.

José Roberto Pereira (Curitiba, PR)


Odebrecht

"Odebrecht demite Marcelo por justa causa a pedido do pai" (Mercado, 20/12). Não sei não, me parece jogo de cena de pai para filho, para voltar a todo vapor nas obras públicas. Mas morro de pena dele. Desempregado e sem o salário de R$ 115 mil.

Rosana Gaio (Florianópolis, SC)


Aço

"Bolsonaro diz que Trump recuou em retomada de tarifa sobre o aço do Brasil" (Mercado, 20/12). Que bela notícia! A Folha deve ter publicado a contragosto, redigindo um texto repleto de "mas" para tentar diminuir o impacto da decisão que favorece o Brasil.

Mario Sampaio (São José dos Campos, SP)


Porta dos Fundos

Não vejo aqui no Painel do Leitor cartas de repúdio quando templos do sincretismo religioso africano são atacados e vilipendiados em vários partes do Brasil. Ataques estes que partem principalmente de setores evangélicos, conforme já demonstraram publicações da imprensa. Agora querem o quê? Que Gregorio Duvivier seja queimado no fogo eterno junto com Satanás e seus anjos?

Pedro Valentim (Bauru, SP)

Imposto

Lá vem outro balão de ensaio! Paulo Guedes provoca a todos com um imposto sobre transações financeiras por aplicativos e computadores ("Guedes estuda imposto sobre transações financeiras por celular", Mercado, 19/12). Nada mais é do que uma CPMF travestida. Os governos não aprendem mesmo, nem prestam atenção na história. Imaginem todo mundo voltando a fazer as transações diretamente nas agências. Os bancos não têm mais gente ou agências para isso.

Wilson Reinhardt Filho (São Paulo, SP)


OAB

O leitor João Braga (Painel do Leitor, 20/12) está equivocado. O senhor Felipe Santa Cruz representa, sim, a OAB, pois foi eleito democraticamente pelos seus pares, em eleição na própria entidade, no dia 31 de janeiro do presente ano, para fazer essa representação. E a tem feito de forma digna e correta.

José Valcir da Silva Rodrigues (Rio de Janeiro, RJ)


Beethoven

No domingo passado, tentei ver a Nona Sinfonia de Beethoven na Sala São Paulo. Não havia mais ingressos. Eu e mais umas 15 pessoas aguardamos por duas horas em pé, ansiosos para entrar no lugar das pessoas que faltassem. Por fim, uma moça recolheu os ingressos dos convidados faltantes e disse para irmos embora. Não poderia ter nos dado os ingressos? Cadeiras vazias não aplaudem nem se emocionam. Beethoven ficaria feliz.

Jaime Pereira da Silva (São Paulo, SP)


Rinha de cães

O que causa mais repulsa em relação a esses psicopatas que mantinham uma rinha de cães é a participação de um veterinário, profissional que fez juramento para cuidar e proteger os animais. Espera-se agora que ele seja exemplarmente punido, tendo o direito de exercer a profissão definitivamente cassado ("Polícia resgata cinco pit bulls em casa de preso em rinha de cães", 18/12).

Maurílio Polizello Júnior (Ribeirão Preto, SP)


Amazônia

"Polícia do Pará indicia brigadistas de Alter do Chão" (Ambiente, 20/12). Isso tem um nome: perseguição política! Ministro do desmatamento, governo federal tomado por milicianos, grileiros, assassinos de ativistas e indígenas, bancada do boi, políticos de extrema direita, juízes corrompidos pelas elites locais e policiais reacionários formaram um cartel para destruir a floresta amazônica e perseguir quem a protege.

Renilson Júnior (Valparaíso de Goiás, GO)

Entre os que estão ali para combater incêndio e os que estão para vender glebas, difícil acreditar na culpa dos brigadistas e na inocência dos grileiros.

Eduardo Aquino (Brasília, DF)

Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​. ​ ​ ​​​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.