Para leitor, é obvio que há algo de podre no reino do Rio das Pedras

Folha deveria criar caderno só para as falas pouco recomendáveis dos Bolsonaros, diz leitora

Bolsonaros
O cerco se fecha ("Contas de miliciano foram usadas em 'rachadinha' de Flávio, diz Promotoria", Poder, 19/12). Apesar de ter aparelhado a PF, com Moro, e a PGR, com Augusto Aras, para blindar os ilícitos da família, escapam do controle de Bolsonaro a Polícia Civil e o Ministério Público do Estado do Rio, que aprofundarão as investigações do caso Queiroz —graças aos vazamentos feitos por servidores do antigo Coaf.
Antônio Beethoven Cunha de Melo (São Paulo, SP)


A Folha deveria criar um caderno só para noticiar as falas e as atitudes da família Bolsonaro e dos ministros deste governo. Eu, absolutamente, não sou a favor da censura, mas essas falas, na maioria das vezes, são pouco recomendáveis para crianças e indigestas para leitores desavisados.
Marize Carvalho Vilela (São Paulo, SP)


Não se trata apenas de suspeitas de corrupção ou de outros desvios de conduta. A questão central a ser investigada é o envolvimento direto da família Bolsonaro com o crime organizado. Mais importante do que descobrir se houve rachadinha no gabinete do deputado é saber para quem ia o dinheiro e o que era feito com ele. É obvio que há algo de podre no reino do Rio das Pedras.
Leandro Malavota (Rio de Janeiro, RJ)

O advogado deve ter descoberto que o buraco é mais embaixo e vazou por que sabe que pelo jeito vai ficar pior ("Advogado deixa defesa de Fabrício Queiroz em meio às investigações do caso Flávio" (Poder, 19/12).
João Pedro Sousa (São Paulo, SP)

Queiroz agora vai contratar o Moro.
José Roberto Pereira (Curitiba, PR)


Eleitores
Bolsonaro demonstra agora que erra também na aritmética. Diz que somos 147 milhões de eleitores e que 58 milhões são bolsonaristas. Logo, são 89,5 milhões os que não votaram em Bolsonaro —e representam a maioria. Se pretende governar para a maioria, deveria atenção e respeito a esse contingente. Basta de governar para a claque militante.
Ângela Luiza S. Bonacci (Pindamonhangaba, SP)


Educação
A pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva e pela Apeoesp reflete sim a realidade da rede estadual de São Paulo ("34% dos docentes da rede de SP já foram discriminados por opiniões, diz pesquisa", Cotidiano, 19/12). A secretaria da Educação de SP precisa sair dos gabinetes refrigerados e passar algumas horas nas escolas para entender a realidade.
Maria Elza Sigrist, professora aposentada (Campinas, SP)

Escola Estadual Oswaldo Cruz, na Mooca, que está sem energia após furto de fiação - Rivaldo Gomes/Folhapress

João de Deus
"João de Deus é sentenciado a 19 anos de prisão em regime fechado", Cotidiano, 19/12). A defesa diz que seu estado de saúde é precário. Mas para cometer os crimes a saúde estava muito boa... Uma vergonha usar do seu ofício de líder religioso para cometer abusos.
Jorge Scandelai (São José do Rio Preto, SP)

Esse indivíduo deveria, antes de responder às acusações por abuso sexual, responder por abuso e exploração da confiança e da fé das pessoas.
Jesse Grimberg (Porto Alegre, RS)


Paulo Freire
Não há o que estranhar no comentário do senhor presidente sobre Paulo Freire ("Bolsonaro defende cancelamento da TV Escola e diz que canal 'deseduca'", Educação, 16/12). Com todo o respeito, ele não sabe quem foi Freire nem muito menos conhece o sentido e o alcance de sua magnífica obra.
José Vieira de Mendonça Sobrinho (Belo Horizonte, MG)

No final dos anos 80, já reconhecido mundialmente, Paulo Freire assumiu a missão a ele confiada por Luiza Erundina para cuidar da educação em São Paulo. Foi o melhor momento da educação na cidade. Os profissionais tiveram um plano de carreira, os educandos eram respeitados no seu direito de aprender e a comunidade escolar era ouvida na tomada das decisões. Quão privilegiados fomos.
José Clóvis de Medeiros Lima (São Paulo, SP)

Cívico-militar
Ótima a escolha da foto para a primeira página da edição de 19/12, que mostra o educador cívico-militar aos berros com os alunos.
Fabio Ravaglia (São Paulo, SP)

Sargento Luiz Carlos dos Anjos monitora turma na Escola Leobino Cardoso Ribeiro, em Serrinha (BA) - Raul Spinassé/Folhapress

Trabalho aos domingos
O sindicalista Ricardo Patah pôs o dedo na ferida (Tiroteio, Painel, 18/12). Quem tem que trabalhar sábado e domingo e ainda perde o emprego é o trabalhador.
Ana Castanho (São Paulo, SP)


Túnel
"Justiça proíbe início de obras de túnel na avenida Paulista" (Cotidiano, 18/12). Entre os que são contrários ao túnel, quantos realmente conhecem o que se pretende construir? É preciso cotejar o assunto com quem será beneficiado. Como especialista em fundações e transporte, lamento ver uma obra de engenharia que beneficiará muitos ser sustada por visão míope e elitista.
Telmo Giolito Porto, doutor pela Escola Politécnica da USP (São Paulo, SP)

Obras do megaempreendimento Cidade Matarazzo, que está sendo construído em uma área de 27 mil metros quadrados, entre as ruas São Carlos do Pinhal, Itapeva e alameda Rio Claro - Gabriel Cabral/Folhapress

Moro e Santa Cruz
"Procuradoria denuncia presidente da OAB sob acusação de calúnia a Moro" (Poder, 19/12). Na minha interpretação, o procurador da República signatário da denúncia contra o presidente da OAB cometeu, nesse ato, denunciação caluniosa, por tentar provocar persecução penal de uma pessoa inocente, enquadrando abusivamente o livre exercício da cidadania como crime.
Rafael Calegari (Porto Alegre, RS)

Santa Cruz não representa a OAB, representa ele mesmo, um petista radical. Onde ele estava quando o governo petista se envolveu na maior corrupção da história?
João Braga (Marília, SP)

Tabata Amaral
"Para achar 'novas Tabatas', deputada lança movimento por mais mulheres na política" (Poder, 19/12). Tabata tem aparecido com uma arrogância muito grande. A forma com que trata o PDT é de uma arrogância acima da média. Só irá se encaixar em um partido que a trate como semideusa. Se entrar no Novo, será uma declaração de falsidade, tendo em vista a total ausência de compromisso social do partido.
Rafael Gallina Delatorre (Joinville, SC)


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​. ​ ​ 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.