Política de segurança pública de Bolsonaro é cada um que se vire, diz leitor

Registros de novas armas aumentaram ao menos 48% em 2019

Armas
A política de segurança pública de Bolsonaro é assim: cada um que se vire (“Com Bolsonaro, registros de novas armas aumentam ao menos 48%”). Faça um curso de tiro. Se não tiver condições, fique sem segurança.
Paulo Henrique de Mello (Campinas, SP)

É uma forma de a pessoa garantir sua segurança, sentindo-se mais protegida. Nada de errado. Parabéns a Bolsonaro pela medida de apoio à compra de armas. Quem não quiser não é obrigado a fazê-lo.
Lineu Saboia (Salvador, BA)

Repórter da Folha dispara arma de fogo em clube de tiro em São Paulo - Jardiel Carvalho - 31.jan.19/Folhapress


Um governo que incentiva as pessoas a resolverem as questões à bala não é sério.
Josué de Oliveira 
(Rio de Janeiro, RJ)


Milhares de mortos na conta de quem votou em Bolsonaro.
Leandro Gomes 
(Rio de Janeiro, RJ)


Porta dos Fundos
Lamentável o atentado (“Vídeo de ataque a bomba à produtora do Porta dos Fundos é verdadeiro, diz polícia”). No entanto, não acho que a liberdade de expressão e de produção cultural dê direito a um grupo ironizar valores da fé de outro.
Paulo Roberto dos Santos (São Paulo, SP)

É incrível como uma mentalidade medieval ainda permaneça no consciente de parte significativa da coletividade brasileira, inclusive entre alguns segmentos considerados formadores de opinião. Os especiais de Natal do Porta dos Fundos podem não ser obras-primas, mas a sede do grupo humorístico, tão irreverente quanto divertido, não merece ser transformada em uma versão brasileira do Charlie Hebdo, como parece sugerir o ritmo com que a onda obscurantista e sua sombra crescem sobre o país.
Flávio Guimarães De Luca (Limeira, SP)

Sou de origem armênia e gostaria de externar o meu incondicional repúdio com “A Primeira Tentação de Cristo”. Não há mais espaço abaixo do fundo do poço. A criatividade maligna e a agressividade chegam ao extremo do intolerável, do insuportável e do abominável. Instigam de maneira jocosa e interpretam como liberdade de expressão, mas na verdade, desrespeitam e ofendem a fé das pessoas de todo o mundo.
Krikor Boyaciyan (São Paulo, SP)

O artigo “O real cristão oferece a outra face e não o molotov ao se sentir ofendido” me fez pensar em  Cristo impedindo o apedrejamento da adúltera: os do molotov e os cristãos que apoiaram a ação terrorista agiriam de que forma? Já cantava Renato Russo: “Ter bondade é ter coragem”. O problema é que, para o fascista e seus simpatizantes, bondade é mimimi de vagabundo.
Leandro Veiga Dainesi (Lorena, SP)


Lava Jato
A Lava Jato deixou de ser uma ação específica da polícia (“Em seu pior ano, Lava jato tem revezes em série no STF e julgamentos estagnados”). Ganhou o sentido mais amplo de combate à corrupção. Evidentemente, poderosos, “armados até os dentes”, conseguiram se livrar de acusações porque assim é a Justiça, o que nada diminui a grandeza do serviço prestado à nação.
Paulo Tarso J. Santos (Barretos, SP)

Com as sucessivas puxadas de tapete que tem sofrido, Sergio Moro deveria pedir demissão. Ficar significa aceitar tacitamente o progressivo enfraquecimento da Lava Jato que o governo pratica. E permanecer, para depois possivelmente receber como prêmio a indicação para o STF, soa a oportunismo pessoal em troca renegar suas convicções de combate à corrupção. 
Rafael Alberti Cesa (Caxias do Sul, RS)


Sistema de cotas
É de se estranhar que a USP, uma das maiores instituições  do país, não adote mecanismos de prevenir fraudes em cotas (“USP apura 21 suspeitas de fraude nas cotas; alunos cancelam matrículas”). Acreditar na autodeclaração é ingenuidade. 
Marcelo Rebinski (Curitiba, PR)


Poluição no litoral
Sobre o editorial “Salgada e suja”, em dezembro de 2018, 66% das praias paulistas estavam com qualidade boa. Nesta semana, a porcentagem subiu para mais de 90%: só 13 impróprias. Cerca de 30% do investimento em saneamento no país são feitos em SP pela Sabesp. Nas férias, a secretaria realiza o mutirão Verão no Clima. Em 2018 foram retiradas cinco toneladas de lixo. Há um desafio nacional para melhoria, com regularização fundiária, ligações de esgoto onde já há rede e conscientização ambiental.
Marcos Penido, secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente (São Paulo, SP)


Cheque especial
Marcia Dessen alerta para o perigo contido no uso abusivo do cheque especial (“Livre-se do cheque especial”). Oportuno o esclarecimento sobre o assunto que passava quase despercebido. 
Zenilda Nunes Lins (Florianópolis, SC)


Boas-festas
A Folha agradece e retribui os votos de boas festas recebidos de Robert Muggah, Instituto Igarapé, Abracom (Associação Brasileira das Agências de Comunicação), EducaMais e José Renato de Araújo (Tapiratiba, SP).


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​. ​ ​ ​​

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.