Leitor diz que PIB do país já não crescia tanto e agora, com coronavírus, não será diferente

Domésticas, militar na Casa Civil e proposta de chefe da Secom motivam comentários de leitores

Alta do PIB
Se em outros anos mais recentes e de início menos turbulentos que este, sem ameaça de coronavírus ou novos conflitos no Oriente Médio, o país arfou para crescer mísero 1%, por que este ano seria diferente (“Mercado já vê crescimento de 2% em 2020 mais como alvo do que como piso”, Mercado, 15/2)?
Lucas Nascimento Silva (Patu, RN)

Não era tirar a Dilma e “fazer as reformas necessárias” que o Brasil virava o paraíso?
Paulo Sarmanho (Teresina, PI)


Domésticas
Confesso que as lembranças me fizeram chorar. Sua história é nossa, as humilhações são permanentes em todos os seguimentos, pobres, velhos, raça, cor... (“Aparecida, minha mãe, não foi à Disney”, Poder, 14/2). Os exemplos poderiam vir dos poderosos para amenizá-los,mas estamos à mercê de seus preconceitos. Parasitas: Domésticas - Pobres- Gays - Velhos. Meu Deus! Onde chegaremos? Parabéns, Reinaldo Azevedo, pela coragem de nos representar.
Terezinha Dias Rocha, coordenadora do Saraus Biblioteca de São Paulo (São Paulo, SP)

Quando trabalhei como ascensorista no hospital Souza Aguiar, no Rio, e precisei impedir que uma senhora entrasse fumando no elevador, ouvi dela: “Mas quem é você para dizer não!” A senhora não entrou. Perfeito o texto de Reinaldo!
Vanderlei Vazelesk Ribeiro, professor de História da América da Unirio (Rio de Janeiro, RJ)

Guedes atua sem cessar no avanço do país rumo à velha ordem escravocrata travestida de neoliberalismo fajuto. Ofende domésticas, que não conseguiram viajar porque detesta a enchente de brasileiros em sua amada Miami. É vulgar e cafona na ofensa e no deslumbre por Miami.
Maria Cenerentola (Campinas, SP)


Tática de Bolsonaro
“Cumprindo sua promessa eleitoral de evitar o tradicional toma-lá-dá-cá...”, é sério isso?! O que dizer de “o ministro Luiz Eduardo Ramos (Governo) tem se reunido com líderes de partidos para cobrar fidelidade dos que exigem do governo o cumprimento de promessas. Apresentou a caciques o valor liberado para emendas e o número de cargos ocupados no governo”? (“Guedes descontrolado e opção militar na Casa Civil testam tática de isolamento de Bolsonaro”, Poder, 14/2)!
Angelica Maris (Florianópolis, SC)

O presidente Jair Bolsonaro abraça o ministro Paulo Guedes (Economia)
O presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes (Economia) - Adriano Machado - 5.nov.2019/Reuters

Ao lavar as mãos para as barbaridades ditas por seu ministro da economia; ao insistir na metáfora ridícula do “Posto Ipiranga”, e cercar-se de generais, o presidente se autoproclama rainha da Inglaterra.
Delane José de Souza (Belo Horizonte, MG)


Militar na Casa Civil
Que os bons ventos venham soprar novamente (“Bolsonaro nomeia almirante e mina ala ideológica no Planalto”, Poder, 15/2)!
Paulo Mariano (Uberlândia, MG)

Vamos deixar essa coisa patética de olavista! Vamos nos concentrar em milhões de pessoas desempregadas, INSS, educação e saúde pública. Esse governo cruel não tem dó dos que mais precisam.
Fernando José dos Santos (Santo André, SP)

Jair Bolsonaro participa de formatura de novos cadetes na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ)
Jair Bolsonaro participa de formatura de novos cadetes na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende (RJ) - Tércio Teixeira - 30.nov.2018/Folhapress

Entre militares e olavistas quem ganha é a ideologia e quem perde é o Brasil. Olavistas são lunáticos, e militar deve servir ao Estado, e não ao governo. Que isso passe logo.
Jarbas Vasconcelos (Fortaleza, CE)


Lula e o papa
O mundo está cego pelo ódio, e as críticas ao papa Francisco por ter recebido Lula exalam país tomado por ódio ideológico. Não sou bolsonarista nem petista, mas deixemos a depravação da política e olhemos para o ensinamento do papa com esse gesto, o de que Jesus não veio para os justos, e sim para os pecadores. Se o papa fizesse acepção de pessoas, não receberia mais ninguém (“Visita de Lula piora imagem de Francisco na direita”, Poder, 15/2).
Lídice Mayo (Curitiba, PR)

O papa Francisco abençoa o ex-presidente Lula no Vaticano
O papa Francisco abençoa o ex-presidente Lula no Vaticano - Divulgação

Secom
O cidadão não vai soltar o osso (“Wajngarten propõe transferir sociedade para o nome da mulher”, Poder, 14/2)!
Eliane Placido de Almeida (Santos, SP)

Acabou a mamata!
Flavia Fonseca (São Paulo, SP)

Transferir para cônjuge não muda a situação, pois ele é casado com ela e desfruta dos rendimentos auferidos pela esposa. Qual o regime de bens deles, eu desconheço, mas essa é uma das coisas mais descaradas que já ouvi ou li!
Wagner Santos (Ribeirão Preto, SP)


Enchentes
Errado foi a cidade ocupar as várzeas (“São Paulo revive as mesmas enchentes há 91 anos”, Cotidiano, 15/2). As enchentes em São Paulo nunca serão solucionadas.
Ana Paula Rusinas (São Paulo, SP)

Não há hidrólogo capaz de resolver o problema. É insolúvel para as condições atuais de chuvas de alta pluviometria e impermeabilização do solo. A água não sobe ladeira. Flui para os pontos mais baixos da cidade e lá acumula, pois, não tem como ir para o subsolo. Enquanto isso criticamos governantes porque não fizeram isso ou aquilo. Infelizmente, cada morador tem que tomar suas decisões, pois lá foi morar.
Rubens Roberto Habitzreuter (Curitiba, PR)


Sexo
Como educadora há 35 anos desenvolvi projetos de orientação sexual na rede municipal de ensino na gestão de Marta Suplicy. Hoje, ao ler o texto de Djamila Ribeiro (“Liberdade sexual também é dizer não”, Ilustrada, 14/2), é sempre oportuno defender que cabem às escolas realizar a orientação sexual respeitando as manifestações da sexualidade dos jovens. Nossa tarefa é possibilitar aos jovens um debate sadio sobre “sexo seguro”. Poderão viver a sexualidade com responsabilidade. Ao contrário da política de “abstinência sexual” que este “desgoverno” quer impor.
Maria Vanda Yassui Meirelles (São Paulo, SP)

Ilustração de duas cenas. Em uma, uma mulher negra vestindo um top branco está de costas com o rosto levemente virado para frente. Na outra, há as pernas da mulher com uma levemente levantada ao tirar uma calcinha branca. Há manchas coloridas no fundo
Ilustração de Linoca Souza publicada na sexta-feira, 14 de fevereiro de 2020 - Linoca Souza/Folhapress

CPI das Fake News
Aposto que essas senhoras, que agora clamam por censura, criticaram a tentativa de censurar o especial do “Porta dos Fundos”. Liberdade só quando a elas interessa (“Coletivo de jornalistas cobra do Twitter exclusão de postagens ofensivas a repórter da Folha”, Poder, 15/2).
Carlos Marques (Barueri, SP)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.