Leitor pede reação urgente às agressões de Bolsonaro

Ataque à jornalista Patrícia Campos Mello é de estarrecer, diz leitor

Insultos de Bolsonaro
"Bolsonaro insulta repórter da Folha com insinuação sexual" (Poder, 18/2). Minha indignação cresce a cada declaração feita por esse senhor medíocre, inculto, leviano, preconceituoso, rasteiro e fascista que responde pelo Executivo brasileiro. É urgente que haja uma reação das forças democráticas a essa permanente tentativa de desconstrução das instituições e dos processos civilizatórios. Merecemos um futuro.
Aureluce Demonte, professora aposentada de ciências farmacêuticas da Unesp (Araraquara, SP)

Jair Bolsonaro insulta a jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha - Reprodução/TV Globo


Esse elemento, que não merece ser nomeado, é o mais baixo presidente de toda a história da nossa República. O que ele disse sobre a jornalista Patrícia Campos Mello é de estarrecer.
José Valcir da Silva Rodrigues (Rio de Janeiro, RJ)

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, que investiga a divulgação de notícias falsas nas redes sociais e assédio virtual, raliza oitiva decorrente do requerimento nº 214/2019.Mesa:depoente Hans River do Rio Nascimento;advogado do depoente, Fernando Barbosa Guarda.Foto: Jane de Araújo/Agência Senado
Hans River Nascimento depõe na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News - Jane de Araújo/Agência Senado


E a liturgia do cargo? Onde o presidente a escondeu?
Eni Maria Martin de Carvalho (Botucatu, SP)

Jair Bolsobaro faz insultos à jornalista da Folha Patrícia Campos Melo, durante transmissão para o Facebook, em portão do Palácio da Alvorada - REPRODUÇÃO/TV GLOBO


Peço desculpas à repórter Patrícia Campos Mello pelos constantes ataques que tem recebido por fazer seu trabalho. E por que peço desculpas? Pela simples razão de eu ter sido um dos eleitores responsáveis pela vitória do "Sem Precedentes da República" que está aí e que, diferentemente do que eu acreditava, não é uma pessoa honesta, íntegra, educada e de valores pautados no respeito. É um sujeito sem caráter e sem ética. Sujo e covarde. Tenho mãe, esposa, irmãs e, em breve, terei uma filha. E a última coisa que desejaria que acontecesse a elas é o que vem acontecendo com a jornalista.
Danilo Renato Tucciarelli (Poços de Caldas, MG)

Não sei se vou aguentar esse estado de náusea por mais três anos.
Ana Lacerda (Brasília, DF)

Não é preciso descer ao nível de um sujeito vulgar que todos os dias mente e xinga gente séria. Mas é preciso tratá-lo pelo que é: um bestalhão perigoso, que arrasta o discurso público e a política para a cloaca. Até quando suportaremos?
Mario Sergio Conti, jornalista (São Paulo, SP)

Ilustração descreve a abertura da assembleia geral da ONU. Com a plateia lotada, o personagem que faz discurso, ao centro, diz: cocô
Charge da Laerte para Opinião de 17.set.2019 - Laerte


Como diria o ministro da Educação: é "imprecionante" "aonde" o Brasil se encontra, com toda essa "paralização" mental e a vulgaridade indecorosa que assola o governo. Quanto tempo mais para chegarmos ao fundo do poço?
Sofia Mello Grivet (Brasília, DF)

Minha solidariedade a Patrícia Campos Mello, vítima das vulgaridades da pessoa indigna que ocupa a Presidência. Apelo aos editores de todos os meios de comunicação de respeito: deixem de enviar seus repórteres ao diário festival de baixarias na porta do Palácio da Alvorada.
Roberto Pompeu de Toledo, jornalista (São Paulo, SP)

Creio que chegamos ao último degrau do inferno dantesco. Uma jornalista sofre assédio moral do homem que ocupa o mais alto cargo da nossa República. Isso é o resultado de ter-se silenciado e até apoiado os virulentos ataques morais à uma presidenta da República democraticamente eleita e depois afastada do cargo num processo que violou as regras do jogo democrático.
Marcia Novaes Guede (Salvador, BA)


Wajngarten
O descaramento público, e não só os atos ilegais dessa turma que se apoderou de nossas instituições, é uma afronta a todo o povo brasileiro ("Sem investigar, Comissão de Ética da Presidência arquiva caso Wajngarten", Poder, 18/2). Imagino o que não estarão fazendo nos bastidores para se perpetuarem no poder.
Marta Carvalhal (São Paulo, SP)

Orçamento para quem?
No mesmo dia, leio nesta Folha que, apesar de ser servidora federal (no Instituto Federal de São Paulo) e de estar sem correção salarial de acordo com a inflação desde 2016, eu também não terei as gratificações a que tenho direito com o nascimento do meu filho devido a um ofício inédito do MEC ("Federais suspendem de concursos a adicionais", Cotidiano, 18/2). Porém, para conceder ampliação de saúde a filhos de servidores do Senado de 24 para 33 anos, tem orçamento (nota "Hospedeiro", coluna "Painel")!
Beatriz Ferraz Diniz (São Paulo, SP)

Bolsonaro e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre - Fátima Meira/Futura Press/Folhapress

Troca de ideias
Fernando Lottenberg ("Painel do Leitor", 18/2) tem razão. Um espaço que deveria servir para a troca de ideias virou um campo de batalha e de agressões, principalmente contra o governo Bolsonaro e aqueles que o apoiam. Tenho a impressão de que são escolhidos somente textos que atacam qualquer iniciativa do atual governo ou ideias mais à direita. Não sei se a publicação de qualquer texto no "Painel do Leitor" fica a cargo de uma ou mais pessoas, mas, se for somente a opinião de uma pessoa, tirem-na daí!
Claudir José Mandelli (Tupã, SP)


Glenn Greenwald
"Blogueiro é condenado a pagar R$ 15 mil por ofender a mãe de Glenn Greenwald" ("Mônica Bergamo", 18/2). Parabéns, Glenn Greenwald! É assim que se combate a mentira e o ódio. Espero que o sujeito aprenda agora a se tornar gente de verdade.
André Barreto (Campinas, SP)

O jornalista Glenn Greenwald - Sérgio Moraes - 25.ago.2019/Reuters

Saúde
"Mudança em equipes multidisciplinares no SUS opõe governo e especialistas" (blog de Cláudia Collucci, 18/2). Essas mudanças respondem às necessidades da política local, não da população. Há anos os prefeitos fazem o que bem entendem com o dinheiro do SUS. Se querem investir em estradas porque isso para eles é "mais saúde", vão fazer. A política de saúde se resume a repassar dinheiro sem contrapartida --e em ano de eleição municipal, o que será que vai acontecer?
Fátima Marinho (São Paulo, SP)


Folha, 99
Nos últimos 99 anos, o Brasil teve 31 presidentes empossados, mudou a sua capital, passou por diversas crises e planos econômicos e foi sede de duas Copas do Mundo e de uma Olimpíada. Cresceu como nação e em população. E a Folha esteve presente para contar essa história. A Rede Giraffas parabeniza um dos principais veículos do país, reconhecendo a importância da livre imprensa e do compromisso com a informação para a democracia.
Carlos Guerra, CEO da Rede Giraffas (São Paulo, SP)
*
Cumprimentamos toda a equipe da Folha por seus 99 anos de jornalismo de qualidade, levado para todo o país. Mantendo-se atual e relevante durante todo esse tempo, o veículo perpetua-se pelas gerações com confiabilidade e primazia. Esperamos que esse sucesso continue se repetindo por muitos anos!
Marcus Sanchez, vice-presidente institucional da EMS (São Paulo, SP)


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​​. ​  

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.