Igreja defende ciência e governo espera milagre, ironiza leitor

Leitores criticam posição de Bolsonaro sobre isolamento

Coronavírus
A gente percebe que há algo errado quando vê que quem está defendendo a ciência é a igreja e quem está esperando por um milagre é o governo (“CNBB e entidades de cientistas, advogados e imprensa pedem respeito a isolamento”, 27/3).
Eduardo de Araújo (São Caetano do Sul, SP)

“Propaganda do Planalto pede fim de isolamento, e Bolsonaro incentiva protestos anticonfinamento” (Poder, 27/3). O STF deveria proibir a veiculação dessa propaganda, já que ela, de forma clara, estimula a população ao risco de contágio.
Pedro Silva (Ilhéus, BA)

Que Bolsonaro então dê o exemplo. Coloque 100% do funcionalismo federal nos seus postos trabalhando e depois faça cobranças de quem ele quiser. Convoque todos para trabalhar a partir de amanhã. Mas não, ele não vai fazer nada, vai ficar só no discurso, pura demagogia. E, mesmo que fizesse, os servidores não iriam aparecer para trabalhar. O presidente precisa liderar o país com atitudes positivas, não é hora de conversa fiada.
Arnaldo Nogueira Ferreira (Rio de Janeiro, RJ)

Diferentemente de Milão, aqui nem se morressem 4 bilhões o Bolsonaro cancelaria essa campanha.
Rodrigo Caldas (Recife, PE)

Li o artigo “Dinheiro do auxílio-paletó precisa virar máscara de proteção e luvas para médicos”, de Marcos Mendes (28/3), em que instiga os governadores a terem coragem para redirecionar recursos para a área de saúde neste momento. Concordo! Quero, porém, recordá-lo de que 40% dos que estão na linha de frente são da enfermagem, e mais 20% são outros profissionais da saúde (psicólogos, farmacêuticos, assistentes sociais, entre outros). Portanto, não são só médicos que precisam de máscara e luvas. Está na hora de dar nome aos bois: é a área da saúde que salva vidas, não apenas médicos.
Maria Júlia Paes da Silva, enfermeira (São Paulo, SP)

Complementando o que escreveu Marcos Mendes, penso que o dinheiro dos fundos eleitoral e partidário precisa financiar um programa diário em rede de rádio e TV, conduzido por médicos e cientistas, para orientar com segurança o nosso correto comportamento durante a pandemia. Não é só nas redes sociais, mas também na imprensa, que surgem informações contraditórias, atribuídas a profissionais da saúde reconhecidamente competentes —quando não a governantes irresponsáveis.
Luiz Dalpian (Santo André, SP)

Agentes políticos e membros do Judiciário estão demorando para, num gesto humanitário nesta hora aguda, doar por quatro meses parte de seus salários e/ou mordomias para “virarem máscaras e luvas para os médicos e hospitais”, como preconiza Marcos Mendes. Dariam um bom exemplo.
Celso Gagliardo (Americana, SP)

O caderno Saúde é excelente fonte de informação. Como a saúde é preocupação primordial do brasileiro em qualquer época, sugiro que este caderno se torne permanente.
José Marcos Thalenberg, médico (São Paulo, SP)

“Levantamento mostra que isolamento começou a achatar a curva de coronavírus em SP” (Cotidiano, 27/3). Detesto João Doria, mas, se não fosse ele peitar Bolsonaro, a curva de contaminação no estado de São Paulo estaria subindo muito mais rapidamente que a da Itália.
Elaine Maria Lopes Loureiro (Rio de Janeiro, RJ)

Gostaria muito que essa notícia fosse verdadeira, mas a reportagem não tem base científica nenhuma. A estatística apresentada é muito superficial, além de se referenciar na quantidade de casos (que depende da quantidade de testes).
Julio Takeshi Ueno (São Paulo, SP)

“Brasileiro mergulha no esgoto e não acontece nada, diz Bolsonaro ao minimizar coronavírus” (Poder, 27/3). O maior problema é que as declarações psicóticas desse senhor foram banalizadas. Mas não podemos tratar Jair Bolsonaro como um humorista ou como o bobo da corte. Ele tem o poder presidencial e pode colocar o país em sérios apuros. Impeachment, já!
Francisco Barbosa (Guarapuava, PR)

Se há algo de que Bolsonaro e seus filhos entendem é de esgoto (“Brasileiro mergulha no esgoto e não acontece nada, diz Bolsonaro ao minimizar coronavírus”, Poder, 27/3).
Roque Alves (São Paulo, SP)

Os manifestantes pedem o fim do isolamento para os outros, mas ficam isolados dentro de seus carros. É muita hipocrisia (“Sem sair de seus carros, manifestantes pelo país atendem apelo de Bolsonaro e pedem fim do isolamento”, Poder, 27/3).
Luiz Alves (João Pessoa, PB)

O presidente Bolsonaro afirma que muita gente no país já foi contaminada pelo vírus e desenvolveu anticorpos. Ele deve estar falando de si próprio, uma vez que até agora não mostrou o resultado de seus exames —e mais de 20 pessoas que viajaram em sua comitiva para Miami apresentaram resultado positivo para o coronavírus! #CadêoExame.
Celso Bittencourt (São Paulo, SP)


PM de SP
Diferentemente do que aponta a coluna Painel deste sábado (28), o ex-comandante-geral da PM, coronel Marcelo Vieira Salles, afirmou durante o anúncio do seu sucessor que a decisão de passagem para a reserva era de caráter pessoal. Na ocasião, Salles também agradeceu ao governador João Doria e ao secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, pela oportunidade de comandar a PM nesta gestão.
Vinicius Traldi, assessor de imprensa da Secretaria de Segurança Pública (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.