Leitor critica poder público por inação nas chuvas na Baixada Santista

Não há 'céticos' do clima, há terraplanistas climáticos, diz leitor

Chuva e clima
A chuvarada que acometeu a Baixada Santista na noite de domingo (1°) e madrugada de segunda (2) jestava prevista. Apenas nos primeiros dias, choveu o equivalente ao previsto para todo o mês de março. Com os dados dos satélites e os equipamentos meteorológicos, pergunto por que o poder público não entrou efetivamente em ação, evitando todo o caos.
Elizeu Ferreira dos Santos (São Vicente, SP)

Não há "céticos" do clima. Há terraplanistas climáticos. A ciência é clara; as evidências, volumosas. Quanto mais se der espaço para essa baboseira patrocinada por quem ganha muito dinheiro mandando o planeta para o inferno, menos tempo teremos para nos prepararmos para a catástrofe que já está encomendada. Os eventos extremos que temos testemunhado são só uma amostra do que está por vir.
Hamilton Carvalho (São Paulo, SP)

Bolsa Família
Peço a este jornal que faça chegar meus sinceros parabéns à leitora Ângela Maria Bedeschi Faria pela sua mensagem publicada na terça-feira (3) nesta seção. Errar é humano, e reconhecer o erro nestes tempos de "lacração" online é sobre-humano.
Marco César de Souza Mendes (Vila Velha, ES)

Coronavírus
Já que o digníssimo senhor presidente não lê a Folha de S.Paulo, alguém poderia repassar para ele o artigo da professora Ester Sabino ("As pesquisas não podem parar", "Tendências / Debates", 3/3)? Assim, ele e a turba de ministros deste desgoverno poderão entender a importância das universidades e da pesquisa brasileira.
Flávia Aidar (São Paulo, SP)

0
A pesquisadora Ester Sabino, da equipe de cientistas brasileiros que sequenciou o genoma do coronavírus - Divulgação

Lula
Ao mesmo tempo que é enxovalhado em seu próprio país, sendo considerado um chefe de quadrilha, acusado, em consequência de um processo viciado, de ser aquele que inaugurou a corrupção no Brasil, Lula é recebido pelo papa Francisco e, logo em seguida, pela prefeita de Paris, Anne Hidalgo, que lhe entregou o título de cidadão honorário. São fatos que mereciam destaque na Primeira Página.
Anete Araújo Guedes (Belo Horizonte, MG)

Lula e a prefeita de Paris, Anne Hidalgo - Charles Platiau/Reuters


Tenho admiração pela Folha e por seus colunistas e, embora sonhe com um jornalismo totalmente imparcial e isento, não sou tão ingênuo a ponto de considerá-lo possível. Mas, cá para nós, dedicar apenas uma simples foto escondida numa página ao prêmio concedido na França a Lula —um ex-presidente do país por oito anos— é um pouco desonroso para com o verdadeiro jornalismo. Ou não?
Rodolpho Motta Lima (Rio de Janeiro, RJ)

O ex-presidente Lula viajou para a França, onde  foi condecorado como cidadão honorário, título concedido a ele por integrantes do Conselho de Paris. Cá entre nós, só vejo uma explicação para tal honraria: aquele conselho não tem a mínima ideia do significado dos termos mensalão e petrolão.
Gildete  Nascimento (São Paulo, SP)

O ex-presidente Lula e o papa Francisco em encontro no Vaticano - Ricardo Stuckert - 13.fev.2020/Instituto Lula

Polanski
João Pereira Coutinho diz em seu artigo "A acusação de Polanski" (Ilustrada, 3/3) que os crimes de um artista não tiram o mérito de sua arte —a respeito do cineasta Roman Polanski. A pergunta que me fica é esta: será que ele diria o mesmo se o crime fosse outro? Será que para ele o estupro é um crime menor e, portanto, não lhe traz tanto desconforto? 
Flávia Martins de Moraes (São Paulo, SP)

"E o César do melhor estuprador vai para..."; protesto em Paris contra Roman Polanski durante a premiação do César, o "Oscar" francês - Lucas Barioulet/AFP

Terra redonda
"Arrependido e ameaçado: confissões de um ex-terraplanista brasileiro" (Ciência, 3/3). A escola infelizmente não cumpre com sua função social mais importante e crucial, que é a socialização e a democratização do conhecimento. E então a realidade vira essa treva do não saber. Não conhecer teorias fundamentais que mostram que a Terra é redonda e que ela não é o centro do Universo é muita falta de saber científico. No fim das contas, uma ignorância estúpida e completa.
Lucivone Costa Silva Neves (Salvador, BA)


Chile
"Nova onda de protestos contra governo de Piñera deixa 283 presos no Chile" (Mundo, 3/3). Foi preciso que morressem dezenas de manifestantes para que o governo chileno admitisse criar uma lei para que o capital contribua com a previdência dos trabalhadores --que são os criadores do valor que é transformado em capital. O ministro Paulo Guedes queria implantar aqui no Brasil o modelo de previdência chileno, e eles querem agora o nosso. 
Celso Acácio Galaxe de Almeida (Campos dos Goytacazes, RJ)

Protestos contra o governo em Santiago, no Chile - Martin Bernetti - 2.fev.2020/AFP

Terra indígena
Em "Ignorância e cumplicidade" (Opinião, 3/3), Cristina Serra defende um crime cometido diariamente: o fechamento noturno da BR-174 para caminhões. Qual é o direito dos índios de proibir o trânsito no local? Ao citar etnias indígenas, ela omite que eles, antes de tudo, são brasileiros, pois aqui nasceram, filhos de brasileiros. Na eleição, a sociedade apoiou majoritariamente o candidato que expressou claramente o que pensava sobre as extensas reservas indígenas e a exploração das riquezas ali contidas . Portanto, tudo o que está acontecendo tem o apoio explícito da maioria da sociedade.
Antônio Carlos Romeu Fogaça (São Paulo, SP)

O deputado estadual Jeferson Alves (PTB-RR) serra o tronco e corta a corrente que bloqueava o acesso à BR-174, onde vivem os índios Kinja, na TI Waimiri-Atroari - Divulgação


Eu não sou cúmplice. Sou uma pessoa indignada com o tratamento que este governo dá aos povos indígenas. A nossa única esperança em relação a essa situação são as decisões do Congresso Nacional e do STF, que se contrapõem à barbárie de Bolsonaro e seus comparsas. Além de esperar por 2022 para tirar Bolsonaro do poder.
Beatriz Alvares (Campinas, SP)

Jamais compactuei com crimes ambientais e invasão de terras indígenas ("Em vídeos, políticos pregam desobediência a leis ambientais", Poder, 29/2). O vídeo publicado foi um pequeno trecho da crítica ao superintendente Alexandre Saraiva, fora de contexto. Defendia ali os trabalhadores que tiveram madeiras legalizadas apreendidas irregularmente e que apodreceram na PF. A exploração legal da madeira gera emprego e renda. Nasci em uma comunidade indígena e meu mandato sempre foi pautado na defesa dessas comunidades.
Telmário Mota, senador pelo PROS-RR (Brasília, DF)

Folha, 99
A Folha completa 99 anos, mas é um jornal moderno, que se renova todos os dias e procura notícias de interesse para toda a sociedade. E é leitura indispensável. A continuar assim, "essa velhinha" vai muito longe.
Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (São Paulo, SP)


Os leitores podem colaborar com o conteúdo da Folha enviando notícias, fotos e vídeos (de acontecimentos ou comentários) que sejam relevantes no Brasil e no mundo. Para isso, basta acessar Envie sua Notícia ou enviar mensagem para leitor@grupofolha.com.br​​. ​  

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.