'Neste governo, Dia da Mentira é todo dia', diz leitor

Leitor diz que Bolsonaro deve ter tido um surto ao ver audiência recorde da Folha

Primeiro de Abril
Bolsonaro não é um governante sério ("No Dia da Mentira, veja frases ditas por Bolsonaro desde a posse", Corrida, 1º/4). E olha que grande parte das fileiras dessa seita política que ele arrebanhou é composta por aqueles que dizem não ter "político de estimação".
Denise Yumi Yabiku (Campinas, SP)

Em suma: o Dia da Mentira neste governo é todo dia.
José Tavares Correia de Lira (São Paulo, SP)


Recorde
"Folha atinge recorde de audiência com coronavírus" (Poder, 1º/4). A Folha é minha "Encyclopédie" de Denis Diderot diária. Claro que não concordo com tudo, mas como fonte de informação é insuperável.
Enir Antonio Carradore (Criciúma, SC)


Bolsonaro surtando em 3... 2... 1...
Wagner Castro (Rio de Janeiro, RJ)


Poder
Abordagem perfeita a de Mariana Carneiro ("O que Bolsonaro não diz", 31/3). O que Bolsonaro deveria ter coragem de dizer é: a única cousa que me interessa é o poder.
Valdicília Conceição Tozzi de Lucena (São Paulo, SP)


Qual o plano?
Sobre o artigo de Luciano Huck ("A cura", 1º/4), penso que temos de prestar atenção na forma como as candidaturas são arquitetadas e o que realmente pregam os candidatos. Collor e Bolsonaro rechearam-nas de distorções e mentiras. Não comparo Huck a eles, mas o "pensar grande" e "um plano maior" para resolver o problema da vida na favela não foi minimamente detalhado. Quem almeja a Presidência precisa dar sinais claros. Huck fez o que todo político faz: trata o tema com superficialidade, de modo a manter o favelado lá, com ações paliativas. Favela não é lugar para as pessoas viverem. Têm de acabar
Jairo Guimarães (São Paulo, SP)

Luciano Huck, de novo? Não vou pedir para a Folha tirar a máscara porque estamos em tempo de pandemia, mas deem logo para ele uma coluna para que possa fazer sua campanha eleitoral.
Luiz Fernando Schmidt (Brasília, DF)


Cloroquina
O colunista Hélio Beltrão é teimoso ("O método científico e o humanismo", Mercado, 1º/4). Não bastassem os comentários pertinentes da ombudsman no domingo (29) e um artigo científico de réplica, ele continua gastando o papel do jornal com sua defesa da hidroxicloroquina. Pelo que entendo, Beltrão está no jornal para propalar o tal "Estado mínimo", tão bem defendido pelo instituto que preside. Que deixe de lado a discussão sobre hidroxicloroquina. A propósito, seu Estado mínimo funciona para pandemias ou já naufragou?
Francisco Moreno de Carvalho (São Pulo, SP)


Transportes
Nesta quarta experimentei um dos maiores absurdos ao ir comprar a passagem de ônibus. Fiquei sabendo que, por questões econômicas, os donos da Piracicabana juntaram horários de trajetos. O ônibus das 15h partiu lotado, e a resposta no guichê fo "assim a empresa não entra em falência".
Osvaldo Santana (Piracicaba, SP)

Pesquisa
É motivo de regozijo o trabalho do brilhante imunologista Michel Nussenzweig ("Brasileiro lidera iniciativa nos EUA para achar tratamento contra novo coronavírus", Saúde, 30/4). Convém lembrar que seus pais, brilhantes cientistas, tiveram que sair do Brasil após os golpistas de 1964 terem perseguido o doutor Samuel Pessoa e todos os seus assistentes na Faculdade de Medicina da USP, incluindo os Nussenzweig. E os americanos ganham muitos cientistas das "banana republics" pelo mundo.
Carlos Brisola Marcondes, professor titular de microbiologia da UFSC (Florianópolis, SC)

O imunologista Michel Nussenzweig - YSA/Divulgação


Grande professor e ser humano ("Morto pelo coronavírus, professor no RN financiava secretamente alunos", Cotidiano, 31/3). Essa perda desmonta o discurso de alguns empresários gananciosos e do presidente irresponsável, que não valorizam a vida. Perderemos muitas pessoas maravilhosas, de renome ou não.
Ricardo Miranda Sá (Natal, RN)

O professor da UERN Luiz Di Souza, 61, que morreu no último sábado em decorrência de Covid-19 - Arquivo Pessoa

Também sou professor da Universidade do Estado do RN . Sabia das ótimas qualidades profissionais de Luiz Di Souza, mas desconhecia suas excepcionais qualidades humanas. Descanse em paz, amigo.
Augusto Carvalho (Natal, RN)


Vovozinha
Magnífica a coluna de Gregorio Duvivier ("A vovozinha pode esperar", Ilustrada, 1º/4). Seria muito mais cômica se não fosse trágica nem espelhasse a infeliz realidade política e administrativa que o país está vivendo. (PS: Nesta situação de coronavírus, faz muita falta a renda básica da cidadania, sempre apregoada por Eduardo Suplicy, que que não foi levada a sério por nenhum governo, nem os do PT).
Pedro Valentim (Bauru, SP)


Saúde
Os procedimentos que Elio Gaspari critica em "A lição do SUS para o mundo" (1º/4) são determinados pelo Ministério da Saúde e idênticos para os sistemas privado e público. Quanto aos critérios para tratamentos da Covid-19, a FenaSaúde informa aos beneficiários quais as condições gerais e seus direitos, conforme regras da ANS. Nossas associadas vêm tomando iniciativas para oferecer atendimentos para a população em geral, em parceria com diversos governos.
Vera Valente, diretora-executiva da FenaSaúde (Brasília, DF)


Postos
Sobre a coluna "Painel" desta quarta-feira (1), esclareço que os postos de combustível e seus restaurantes não estão impedidos de abrir em SP. Grande parte deles está funcionado, como mostra o site www.abastecimentoseguro.sp.gov.br, lançado pelo governo nesta terça (31), que presta um grande serviço aos caminhoneiros que passam pelo estado. Além disso, estamos distribuindo alimentação aos caminhoneiros nas estradas.
João Octaviano, secretário de Logística e Transportes (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.