Leitor diz que absurdo é pouco após verbas da Secom irem para sites de aposta e fake news

Bolsonaro falar de churrasco, Enem ser mantido e país viver crise econômica são alvos de comentários

Propaganda do governo
Absurdo é pouco! Além de revoltante ver o desperdício de verba pública, o texto nos faz pensar qual o caminho feito depois pelo dinheiro destinado à propaganda governamental em site em russo (“Publicidade de Bolsonaro na Previdência irrigou sites de jogos de azar e fake news”, Poder, 9/5). Quantos outros sites e quantos outros milhões foram destinados? A Secom escolheu o período da abrangência das planilhas, e não deve ter sido ao acaso. Foi para não revelar mais.
Tibério Borges Vale (Santo Antônio de Pádua, RJ)

Bolsonaro comprou militares com a mamata de cargos comissionados e reforma da Previdência que aumentou salários dos que criam o maior rombo. Comprou parte das igrejas, pressionando para isentar dívidas de milhões. Nível de corrupção e incompetência nas alturas.
Ana Paula Amaral (Rio de Janeiro, RJ)


Pandemia e churrasco
Não há razão para surpresas, por favor (“Em dia de recorde de mortes por coronavírus, Bolsonaro ironiza e fala em 3.000 em churrasco no Alvorada", Poder, 9/5). Só estamos vendo o que não conhecíamos ainda, porque ele nunca escondeu nada de ninguém acerca do que é capaz —e incapaz. Com Bolsonaro e os filhos, não há fundo do poço.
Jove Bernardes (Belo Horizonte, MG)
*
Essa notícia aí me dá falta de ar.
Enir Antonio Carradore (Criciúma, SC)
*
Eu não tenho mais forças. Todo dia é uma desgraça diferente.
Renata Silva (Rio de Janeiro, RJ)
*
Comensais da morte, vão comer os cadáveres dos 10 mil mortos.
Fatima Marinho (São Paulo, SP)

Está na hora de a imprensa ignorar Bolsonaro. As falas dele são um desserviço. E o tratamento dado aos jornalistas é mais um motivo para isso.
Pamela Cristina Domiciano Niero (São Paulo, SP)


MBL
MBL tentando conter o monstro que ajudou a criar (“MBL aciona Justiça para fazer Bolsonaro pagar R$ 100 mil caso promova churrasco neste sábado”, Painel, 8/5). Lembro-me de 2013, da multidão nas ruas lutando por R$ 0,20. Em menos de dois anos de governo, o quanto de conquistas sociais foi para o ralo, e todos observam atônitos.
Anselmo dos Santos Almeida (Juazeiro, BA)


Marcha ao STF
Uma frase de Maquiavel que cai como luva para Bolsonaro: “O primeiro método para estimar a inteligência de um governante é olhar para os homens que tem à sua volta”.
Andre Luiz Freitas Guimarães (Mariana, MG)


Promotoria investiga Doria
Quando digo que corrupção no Brasil é algo enraizado na sociedade e endêmica na política nacional, só ouço PT. Aqui, trocar partido político na esperança de evitar corrupção é trocar seis por meia dúzia (Promotoria abre 5 investigações sobre compras de Doria”, Saúde, 9/5).
Mérope Bernacchi (São Paulo, SP)


Quarentena
Infelizmente a questão política se sobreleva (“Prefeitos de SP falam em decepção e injustiça sobre prorrogação da quarentena”, Saúde, 8/5). As eleições municipais estão aí e alguns prefeitos não querem ficar mal com os eleitores que o apoiam e bancam as campanhas.
Jorge Luiz Dantas (Caraguatatuba, SP)

Empresários em casa. Povo na rua.
Jean Pinho (Belo Horizonte, MG)


Crise e produção de veículos
O presidente da Anfavea afirmou que os preços vão ter que subir para cobrir o prejuízo (“Produção de veículos no país recua ao nível de 1957”, Mercado, 9/5). A demanda é alta, o preço sobe. A demanda é baixa, o preço sobe.
Barbara Teixeira (São Paulo, SP)

Bom momento para as montadoras negociarem com os bancos financiamentos em que os consumidores não precisem pagar duas vezes pelo mesmo carro só por causa dos juros e da ganância dos bancos.
Ivan Zacharauskas (Campinas, SP)

Li a primeira página deste sábado da Folha e quase que meu café voltou. Pensei que, se eu não morrer de Covid-19, morrerei pela depressão econômica ou então ficarei com depressão emocional. Como diz aquele locutor: "Que faaaasseee”.
Celso Luís Gagliardo (Americana ,SP)


Astronautas e o isolamento
Nunca pensei que seria tão difícil ser astronauta (“Com novos voos espaciais nos EUA, astronautas dão dicas para lidar com isolamento”, Saúde, 9/5). Esta que foi minha primeira pretensa vocação. Agora devo praticar as ações com os meus, em casa. Legal demais!
José Flávio Viana Guimarães (Uberlândia, MG)


Remdesivir
A pergunta que jamais será respondida: por que o Bolsonaro esqueceu da cloroquina? Até a demissão do Mandetta ele falava da cloroquina a toda hora. Será que ele tomou todo o estoque do país e se curou? Será que é por isso que ele não quer mostrar o seu exame?
Renato Nogueira (São Paulo, SP)

Tem uma diferença “básica” entre esse e a cloroquina ("Brasileiro que lidera estudo com remdesivir diz que a droga é a mais promissora contra Covid", Saúde, 9/5). Ela e os associados custam US$ 5 por paciente e esse, que tem exclusividade de um laboratório e sairá por uma fortuna. Entenderam? E ser mais “promissora” quer dizer o quê? Garante a cura? Conheço gente que se curou com a cloroquina.
Itamar Mortagua (São Paulo, SP)


Desemprego nos EUA
Os países que possuem governo estão criando alternativas para a “Nova Era”. Agricultura sustentável (a agropecuária é uma das mais poluentes do mundo), “comer local”, diminuindo assim a importação. Desenvolvimento de frentes de trabalho de agricultura urbana, investimento em saúde pública. Menos consumo, reaproveitamento de materiais e produtos. Enquanto isso, no Brasil...
Suzi da Costa Teixeira (Rio de Janeiro, RJ)


Enem mantido
Todos os dias se vê nas reportagens a respeito da Covid-19 que grande parte dos brasileiros nem sequer tem água e sabão para poder lavar as mãos. Fico abismada com o desrespeito que os integrantes desse ‘governo’ têm para com a população, sobretudo a que mais precisa da assistência do Estado (“Brasil é exceção com Enem durante a pandemia", Saúde, 9/5).
Nana Hippolyte (Macaé, RJ)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.