Leitores comentam desdobramentos da decisão de Toffoli sobre Serra

Presidente do STF suspendeu operação de busca e apreensão no gabinete no senador

José Serra
Desdobramentos da decisão de Toffoli sobre Serra deixam Ministério Público em alerta” (Poder, 27/7). Medidas judiciais que envolvam parlamentares federais com mandato só podem ser efetuadas com ordem do Supremo Tribunal Federal. O local de trabalho do parlamentar na casa legislativa é o seu birô, e não pode ser local para busca e apreensão sem ordem do STF. Protege-se o mandato, não a pessoa. Está na Constituição.

Antonio Adélio Belmonte Ferreira de Carvalho (Belém, PA)

É mais do que óbvio e urgente que o país deve acabar com o foro privilegiado. Há projeto do Senado já encaminhado à Câmara, e esta faz cara de paisagem e não o submete à votação. Impressionante como esses pseudorrepresentantes não nos representam. Voto direto já!, com possibilidade de “recall”, para que a população possa retirar do mandato aquele representante que só representa seus próprios interesses.

João Batista Crestana (São Paulo, SP)

Quando a PF invadiu a casa da senadora Gleisi e o gabinete do então deputado federal Paulo Bernardo, não me lembro de o Senado ou a Câmara recorrendo ao STF. Ao contrário, houve aplausos efusivos. Tem coisa que não muda. São dois pesos e duas medidas.

Richard Lourenção (Curitiba, PR)


Os bancos e a Amazônia
Interessante a preocupação dos bancos com a Amazônia. Projetos bonitos talvez funcionem, haja vista a grana que lhes está sobrando. Mas muito melhor fariam se parassem de dar crédito rural para centenas de milhares de violadores do Código Florestal, que usaram e usam esse crédito para desmatar o cerrado, a mata atlântica e a Amazônia. Aliás, um crédito barato, subsidiado pela sociedade, e que faz falta lá no Fundeb, entre outros setores.

Emilio Borsari Assirati (São Paulo, SP)


Livros
Parabéns aos professores e artistas que criaram a Bancada do Livro para concorrer a uma vaga na Câmara Municipal do Rio de Janeiro (“Artistas e professores criam Bancada do Livro para concorrer a vereador no Rio”, Poder, 27/7). Espero que essa iniciativa seja seguida aqui em São Paulo e que os bibliotecários participem também.

Dina Elisabete Uliana, bibliotecária (São Paulo, SP)

Já começaram mal, entrando em um partido que tem os seus limites nas pautas mais avançadas e comunitárias. Não creio que tenha sido uma boa escolha ir para o Cidadania, um partido com egressos de várias siglas à direita do espectro e cuja visão principal é somente a pauta anticorrupção.

Emidio José Cunha de Carvalho (Rio de Janeiro, RJ)


Vacina e cloroquina
Para o “cloroquiner” virar um “antivaciner”, basta utilizar a mesma tática de Hitler e Bolsonaro. Divulga-se que os efeitos colaterais da vacina podem tornar o indivíduo comunista, socialista, progressista ou humanista; transformá-lo em adepto do bem-estar social e favorável a uma reforma tributária que incida sobre as grandes fortunas, o lucro e os proventos e privilégios exorbitantes.

Anete Araújo Guedes (Belo Horizonte, MG)


Weintraub nos EUA
Itamaraty intercedeu para agilizar entrada de Weintraub nos EUA” (Poder, 27/7). Nada como utilizar a máquina pública em favor dos seus amigos e em desfavor dos seus inimigos. A pergunta que eu faço constantemente quando vejo notícias assim deste governo é esta: onde está o Ministério Público Federal?

Rodrigo Caldas (Recife, PE)


Fake news
Li meio que estupefato a coluna desta segunda-feira da articulista Catarina Rochamonte (“Suprema censura", Opinião, 27/7). Estupefato porque a Folha de S.Paulo é um dos órgãos de imprensa que têm sido atacados por esses terroristas fabricantes de fake news nas mídias sociais, como o Facebook. Condenar, neste caso, o Supremo Tribunal Federal pela sua atitude é comungar com um crime que, este sim, não pode nunca ser confundido com liberdade de pensamento.

Fábio Henrique Cavalcante Gomes 
(Maceió, AL)

Vale a pena esperar pelas segundas-feiras só para ler os artigos da colunista Catarina Rochamonte, que foge da mesmice cotidiana dos demais articulistas e aborda assuntos que também interessam aos brasileiros, como o destacado na coluna de 27/7. O Brasil não é só Jair Bolsonaro, é um país complexo e deve ser abordado como tal. Parabéns à colunista por olhar de outro ângulo.

Claudir José Mandelli 
(Tupã, SP)

A Folha conseguiu azedar as minhas segundas-feiras com Catarina Rochamonte. Discordo de outros tantos articulistas, mas nenhum deles me tira da normalidade racional, pois escrevem com argumentos razoáveis. Onde já se ouviu dizer que o pedido de volta da ditadura cívico-militar não é um ato antidemocrático? Essa senhora é uma bolsonarista infiltrada na Folha.

Cido Faria (Santo André, SP)


#UseAmarelo pela Democracia

Bananas democráticas na feira livre
Bananas democráticas na feira livre de São Paulo - Carlos Balaró/Arquivo pessoal

​A feira livre e o amarelo vivo das bananas revelam um ambiente propício para o desenvolvimento da democracia.

Carlos Carmelo Balaró (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.