De senador Flávio Bolsonaro não tem nada, diz leitor

Para leitor, Justiça que tarda nada mais é do que a injustiça institucionalizada

Flávio Bolsonaro
Temos como "senador" um cidadão que luta apenas para adiar o seu julgamento, criando factoides para tentar se safar do óbvio ("Flávio Bolsonaro pede troca de investigadores do MP-RJ em caso da 'rachadinha'", Poder, 6/8). Não apresenta um projeto, apoia medidas contra tudo o que é lógico e não trabalha a não ser para si próprio e a família. De senador não tem nada.
Leonilda Pereira Simões (São Paulo, SP)

Justiça tardia nada mais é do que a injustiça institucionalizada.
Tuca Tavares (Santos, SP)

*

Quem tem dinheiro e bons advogados sempre encontra diversas brechas na lei e com isso sai impune.
Esleide Gomes (São Paulo, SP)

*

Tanto medo assim é confissão indireta de culpa.
Elilio de Faria Matos Júnior (Vargem Bonita, MG)

*

O problema da mentira é que ela não resiste aos fatos ("O que Flávio Bolsonaro não disse", Opinião, 6/8).
Henrique Oliveira Baptista (Vila Velha, ES)


Secretário de Doria
Aposto que ele vai falar que é perseguição, que querem tirá-lo da disputa pela Presidência em 2022 ("Secretário dos Transportes de Doria é preso pela PF em operação sobre fraudes na saúde", Poder, 6/8).
Vicente Alfredo de Paula Rodrigues (Brasília, DF)

0
Alexandre Baldy, secretário estadual de Transportes Metropolitanos de São Paulo - Governo do Estado de São Paulo


Até vir o golpe que tirou Dilma, a mídia nos fazia acreditar piamente que corrupção no Brasil era sinônimo de PT e de mais ninguém. Por outro lado, PSDB e seus parceiros têm passe livre no país, podem pintar e bordar, não ficam presos muito tempo nem são condenados. Assim são as coisas por aqui.
José Tadeu Barros (Poços de Caldas, MG)

*

O que levou um ex-deputado de Goiás, do PP (centrão raiz), a ser secretário da área de transportes metropolitanos de São Paulo? Seguramente não foram suas credenciais técnicas. Isso é o centrão sendo centrão, não importa se numa pequena prefeitura, num estado poderoso ou mesmo no Planalto, que agora domina.
Valdo Neto (Jandira, SP)

#UseAmarelo pela Democracia

Shakira, a cachorra democrática da Ana Paula - Ana Paula Franzoia/Arquivo Pessoal


Shakira, embrulhada no amarelo, pela democracia.
Ana Paula Franzoia (São Paulo, SP)


Garimpo ilegal
"Ministério da Defesa barra fiscalização do Ibama contra garimpo ilegal no PA" (Ambiente, 6/8). Imagine que no lugar de garimpeiros, garimpos ilegais e tratores sejam traficantes, bocas de fumo e carregamentos de drogas. A policia destrói os carregamentos nas bocas. Os traficantes, descontentes, vão até o aeroporto da cidade e ameaçam fechá-lo. Os policiais, que em parte não eram a favor de destruir os carregamentos, em vez de prender todos, os levam para conversar com o chefe de polícia... Percebem a distorção? Ilegal é ilegal! Não tem que fazer acordo com ninguém! Tem que prender e pronto!
Luiz La (São Paulo, SP)


Eleições 2020
Boulos trabalha em quê? Ele também é Lula livre, então é mais do mesmo ("Caetano, Chico e ex-petistas dão apoio a Boulos em SP e reforçam resistência da esquerda a nome do PT", Poder, 6/8). Melhor Moro presidente.
Augusta Maria de S. Guimarães (São Paulo, SP)

*

O problema não é o Jilmar Tatto em si, mas isso é tão família quanto os Bolsonaros. O império que os Tattos construíram na zona sul paulistana é vergonhoso. Deveriam se afastar da política por umas décadas. Só vivem disso. Chega de herança política.
Walter Tabacniks (São Paulo, SP)

*

Execrável a Folha. Se alguns apoiaram o PT no passado, mas hoje decidem apoiar outro candidato, isso faz deles "ex-petistas"? Querem vender a ideia de que o segundo maior partido do Brasil está morrendo. Sonhem!
Denise Bellesia (Belo Horizonte, MG)

*

Chega da "velha" esquerda, o povo não aguenta mais. Fernando Haddad não fez um governo ruim, mas ou sai do PT ou ficará eternamente na sombra de seu cacique. Essa chapa Boulos-Erundina tem boas chances de conseguir canalizar os votos da esquerda e da centro esquerda.
Rafael Pimenta (São Paulo, SP)


Idade, passado e futuro
Parabéns a Beatriz Resende pela excelente coluna "Idade como desqualificação" (Opinião, 6/8). Temos que expor mesmo esse desrespeito com os que são a memória deste país. Os que mandam hoje são aqueles contra os quais tanto lutamos no passado. Cabe a nós, idosos, trabalharmos para mudar essa impressão da sociedade e sermos vistos como cidadãos úteis e produtivos. Juntaremos nossas forças, pegaremos nossas bengalas, andadores, cadeiras de rodas e tudo o que for necessário e estaremos ao lado de vocês, jovens, para lutarmos juntos por mais respeito. É unindo o passado e o presente que construiremos o futuro.
Maria Antônia Rodrigues Gigliotti (Lorena, SP)

*

Texto precioso e preciso. Nas entrelinhas lê-se muito mais. Parabéns!
Emília Amoedo (Rio de Janeiro, RJ)


Imorais
Fulminante o texto de Contardo Calligaris ("Estamos entre os mais imorais", Ilustrada, 6/8), levando-nos a pensar nos sebastianismos que ainda cultivamos em nosso meio, o que nos coloca sempre à mercê dos iluminados heróis de ocasião. O dilema político e social de atrelar a moralidade à fé foi muito bem pontuado: até quando localizaremos no outro a "salvação" de nossas profundas mazelas?
Rene Sampar (Curitiba, PR)

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.